Dicas de Nutrição Receitas

Pirâmide alimentar infantil

imagem: we heart it

Muitas das mães que atendo em minhas consultas e consultorias têm uma certa dificuldade em saber quantas frutas dar por dia, quanto de leite ou derivados é suficiente, quanto de carne, de arroz, se pode isso ou se pode aquilo, né?

Pensando em ajudar as mamães, o Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria desenvolveu a Pirâmide dos Alimentos e com ela fica mais fácil saber quais alimentos precisam ser ingeridos em maior quantidade e os que precisam ser consumidos em menor quantia.

Pirâmide dos Alimentos Infantil

A base da Pirâmide é composta pelos alimentos ricos em carboidratos e são eles que devemos ter em maior quantia em nossa alimentação diária, pois este nutriente é do grupo energético e são responsáveis em fornecer energia pro nosso organismo.
Carboidratos são os pães, farinhas, cereais, massas, arroz, tubérculos. No caso dos pães, farinhas e cereais os integrais são os mais indicados por terem mais fibra e serem mais naturais,

Na segunda divisão, temos os alimentos reguladores, que são as frutas, verduras e legumes. Estes alimentos são ricos em vitaminas, minerais e fibras e são responsáveis pela regulagem de nosso organismo. Cada vitamina e mineral é responsável por uma função diferente em nosso corpo, por isso a variedade é tão importante em nossa alimentação, pois garantimos a ingestão de todas as vitaminas e minerais e não temos deficiência de nenhum nutriente.

Na terceira divisão estão os alimentos construtores, que são as fontes de proteína, podendo ser de origem animal: carnes, aves, peixes, ovos, leite e derivados e as de origem vegetal, que são as leguminosas (vagem, feijão, soja, ervilha, lentilha, grão de bico, ervilha torta) e as oleaginosas (amendoim, castanhas, noz e etc). Os alimentos construtores são responsáveis em “construir” nosso organismo, quando ingerimos, eles vão pro músculo e lá formam nossa massa muscular, ou seja, como eles não são responsáveis pela energia de nosso corpo, devem ser consumidos em menor quantidade que os carboidratos, caso haja desequilíbrio, a proteína ingerida saí do músculo pra ser usada como “combustível” e com isso perdemos massa muscular.

No topo e em bem menor quantidade estão os alimentos ricos em gorduras e açúcares e neste grupo estão os óleos, maionese, creme de leite, margarina, azeite, açúcar de adição, mel.

Porções diárias de cada grupo alimentar

Eu particularmente gosto de deixar o leite materno em livre demanda até enquanto durar a amamentação, porém, não troco uma refeição almoço e jantar pelo leite materno.

Pra ajudar as mães a entenderem quanto equivale cada porção, eles também fizeram uma tabela.
Eu, como profisisonal só evito ao MÁXIMO, ou melhor, não indico bolacha de cream cracker ou bolacha tipo maisena pra crianças, pois contém muita gordura, sódio e açúcar. Prefiro sempre a opção das bolachas integrais, sem recheio e no caso de opções salgadas, gosto muito dos grissinis, porém ressalvo a importância de ler o rótulo e escolher os produtos que tem menos sódio e açúcar. Sobre o sódio e quantia que precisam observar, relembrem AQUI o que já falei sobre ele.

Quanto equivale cada porção?

Observem que eles falam que os açúcares são após 1 ano de idade e ainda reforço e oriento que após 1 ano, a ingestão deve ser muito, mas muito pouca e controlada. Somente naquelas opções de bolos caseiros sem cobertura e recheios ou outras preparações.
Açúcar de adição é totalmente desnecessário e não deve ser hábito da criança.

Beijos,
Paola

* Repost: Este post foi publicado por mim no blog Maternidade Colorida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *