Categorias Vida de Mãe

Guia completo: como (e quando) lavar as roupinhas do bebê

lavar as roupas do bebe

imagem: Cloud Dust

Uma das dúvidas mais comuns que eu recebo aqui no blog é sobre como lavar as roupas do bebê. Isso porque se você for fazer uma busca na internet, vai achar muita informação desencontrada: afinal, precisa lavar tudo mesmo, até as peças novinhas? Dá para usar amaciante e deixar aquele cheirinho gostoso ou nem pensar?

Sim, são muitas dúvidas! Antes de ser mãe, eu nunca tinha parado para pensar que até para lavar as roupas do bebê eu precisaria de um passo a passo e um método. Mas acredite, é muito mais simples do que parece. Na verdade, é uma questão de hábito e com o tempo isso passa a fazer parte da nossa rotina de uma maneira que fica automático. ;)

A pele do recém-nascido é super sensível e suscetível a alergias e reações químicas das menores partículas de produtos e bactérias que possam estar presentes no tecido ou nos produtos de limpeza que você for utilizar. Por isso, é essencial tomar uma série de cuidados na hora de lavar e preparar a roupinha do bebê.

Para facilitar, fiz um passo a passo com as dúvidas mais comuns sobre o assunto:

1. Quando lavar as roupinhas?

Isto depende muito da sua disponibilidade, mas o ideal é que você esteja com tudo pronto até o sétimo mês de gestação. Afinal, a gente nunca sabe quando podem acontecer imprevistos!

Com essa data em mente, você pode definir se prefere ir lavando a medida que compra ou ganha ou se prefere acumular tudo e lavar de uma vez. Como eu disse, depende da sua disponibilidade.

Eu escolhi lavar à medida que fui comprando. Depois, pude escolher com calma quais peças eu queria que fossem comigo para a maternidade e não precisei me preocupar em lavar roupas (além, é claro, daquelas que ele foi sujando) nos primeiros 30 dias do bebê.

2. Quais peças precisam realmente ser lavadas?

Como eu disse, tem que lavar todas as peças que vão entrar em contato com a pele do bebê: macacões, meias, gorros, luvas, fraldas… Inclusive toalhas, fronhas e lençóis. Resumindo: tudo mesmo. ;)

Até mesmo aquele kit berço novinho e com ar inofensivo, que acabou de chegar da loja, pode ter acumulado poeira e ácaros por lá. É um cuidado simples, e que pode evitar uma série de desconfortos chatinhos e alergias no recém-nascido.

3. Do que eu vou precisar?

As roupas do bebê precisam ser lavadas totalmente separadas das roupas do restante da família. Isso porque, como eu já disse, a presença de qualquer resquício de sabão ou amaciante comum, ou mesmo a transferência da água “suja” das outras roupas pode causar algum tipo de reação no recém-nascido.

Para garantir a segurança na lavagem e posterior uso da roupinha pelo bebê, você vai precisar de baldes novos e exclusivos para a roupa do recém-nascido.

Parece excesso de zelo, mas os baldes antigos da casa podem conter restos de produtos como cloro, alvejantes e sabão, que podem se misturar na água da lavagem da roupa do bebê. Por isso sim, você precisa de baldes novinhos!

Dica importante e que eu gostaria que alguém tivesse me dado: para lavar roupas do bebê compre baldes de cores iguais, mas que sejam bem diferentes daqueles que você já utiliza na casa.

Tem um monte de balde azulzinho, verdinho e transparente para o dia a dia? Balde vermelhão para as roupinhas do bebê pode ser uma excelente ideia. Acredite, o pós-parto é uma loucura e se você não fizer essa diferença, é bem capaz de começar a confundir já na primeira semana. ;)

4. Preciso lavar as peças à mão?

Você não precisa lavar as roupinhas do bebê à mão, pode sim usar a máquina de lavar para isso.  No entanto, antes de começar, deixe a máquina de lavar rodar um ciclo completo apenas com água para eliminar qualquer resquício de produtos da lavagem anterior.

Pronto, máquina liberada para lavar só as roupinhas do bebê! Não se esqueça de usar o menor ciclo de lavagem ou o ciclo de roupas delicadas, para evitar esfregar demais e danificar as peças.

Afinal, as roupas não estão sujas, e só serão lavadas para ficarem livres de poeira e bactérias. Se tiver peças muito sensíveis, considere usar sacos protetores próprios para lavadoras.

Se ainda assim você preferir lavar a mão cada roupinha — cabeça de grávida tem seus mistérios e há quem ache uma verdadeira terapia — é importante não exagerar na hora de esfregar para não danificar o tecido (a ideia é só se ver livre da poeira e dos ácaros) e dar aquela caprichada extra na hora de enxaguar as peças.

Isso evita que elas fiquem endurecidas, o que pode incomodar o bebê e, principalmente, que sobre algum resquício de sabão nas peças, uma das principais causas de irritações na pele nessa fase.

Nessas horas, o nariz é um bom guia. Lavou as peças e elas ficaram com um cheiro de sabão forte demais? Geralmente isso é sinal de que o excesso de produto segue nas roupinhas, e repetir a operação não é má ideia.

Como as roupas são muito delicadas, fica complicado torcer com muita força quando se está lavando a mão. Por isso, uma boa ideia é colocar as peças mais sensíveis dentro de uma toalha de banho e torcer a toalha. Dá um trabalhinho extra, mas é muito melhor do que estragar aquela roupinha incrível que você ganhou de uma pessoa super querida, não é mesmo?

Na hora de escolher o sabão para lavar as roupinhas, fique atenta ao tipo. Ele precisa ser neutro, para minimizar qualquer risco de reação e de preferência, ser testado dermatologicamente e hipoalergênico.

A maioria das marcas de lava roupas do mercado possuem uma versão “baby”, o que facilita muito na hora de escolher. Além disso, é muito comum que as pessoas mais velhas (ou até mesmo o pediatra) indiquem o uso do sabão de coco. Aqui estão os tipos que eu usei e gostei:

sabão para roupas de bebê

O meu predileto é o Sabão de coco em pó Roma, usei nas roupas de bebê e uso até hoje. Além dele, também usei o Vida Macia, o Coquel e o sabão de coco em barra da Minuano para tirar manchas e lavagens à mão. São todos igualmente bons e não deram nenhuma reação nas crianças. As novidades do mercado são as versões OMO em pó Baby e OMO delicadas, peguei para testar pois, o Pedro é extremamente alérgico e o produto é mais barato do que o sabão em pó de coco, aprovados também!

Quem lava roupas sabe que o sabão de coco (em pó ou em barra) não é lá muito cheiroso, e por isso mesmo é recomendado para bebês e pessoas alérgicas, já que cheiros muito fortes podem desenvolver alergias também.

Mas olha, eu confesso que adoro uma roupinha bem cheirosa, especialmente a roupa de cama e as toalhas. Por isso, é bom saber que é possível usar amaciantes nas roupas de bebê sim, desde que você escolha produtos específicos para peles sensíveis e que tenham um perfume suave.

No entanto, por maior que seja a tentação nesse momento de caprichar no amaciante para deixar tudo ultra cheiroso, resista. Além de só usar produtos específicos para os bebês e para peles sensíveis, nunca ultrapasse a quantidade recomendada pelo fabricante.

Além do risco de causar problemas na pele do bebê, o excesso de amaciante cria uma espécie de película invisível sobre o tecido, que deixa a peça praticamente impermeável. E essa, definitivamente, não é uma boa ideia, especialmente se a gente for pensar em fraldas e paninhos de boca.

Lembre-se que melhor que o cheiro do amaciante, é o cheirinho de bebê que você vai sentir quanto a roupa estiver sendo usada e não exagere. <3

Se não fizer questão daquele cheirinho de amaciante nas peças, você também pode enxaguar as roupinhas com vinagre.

Além de deixar as fibras mais macias, o vinagre elimina qualquer resíduo do sabão, diminuindo as chances de que as roupinhas provoquem irritações e alergias.

Quando me falaram dessa dica, imaginei que poderia deixar algum cheirinho estranho nas peças, mas acredite, não fica. O ideal é usar o vinagre no penúltimo enxague. Use sempre 25 ml (ou meia xícara) para cada litro de água.

Estes são os amaciantes que eu testei e aprovei:

comfort puro cuidado

Quando eles eram bebês, eu usava o amaciante OLA. Ele tem um perfume bem suave e deixa a roupinha bem cheirosa e macia. O Pedro tem dermatite atópica severa (ja falei sobre isso por aqui) e por isso, até hoje tomo muito cuidado com os produtos que uso para lavar as roupas dele, conheci este lançamento da Comfort, o Puro Cuidado, estou usando e amando! Ele é especial para bebês e pessoas com peles super sensíveis, tá aprovadíssimo por aqui!

5. E na hora de secar? É preciso tomar algum cuidado especial?

Você não precisa se preocupar em secar apenas em secadora ou apenas em área coberta. A secagem pode ser feita como você sempre fez, no varal (ou máquina) que costuma usar.

Tome apenas os cuidados comuns para os tipos de tecido, como evitar a alta exposição ao sol, que pode manchar ou endurecer as peças e secar naturalmente roupinhas que não suportam secagem à máquina. Cheque sempre as etiquetas!

Ah! Se for secar na secadora, sempre deixe as peças “descansando” por duas ou três horas antes de guardar na gaveta ou no armário, para evitar que o vapor do aparelho embolore as peças.

6. Depois de lavar roupas do bebê, acabaram os cuidados?

Ainda não, mas quase! Antes de guardar, você vai precisar remover todas as etiquetas das roupinhas para evitar que o atrito incomode a pele do bebê. Lembre-se: se ele estiver com uma etiqueta incomodando, não terá como te dizer o que está acontecendo e vai chorar, chorar e chorar até você descobrir o que está acontecendo.

Além disso, o contato de alguns tipos de etiquetas pode até mesmo provocar lesões na pele super fininha do bebê, causando brotoejas e até pequenas fissuras.

Um jeito de eliminar este problema é, na hora de escolher as peças do enxoval, atentar para este detalhe na confecção da peça. Muitos fabricantes já optam por colocar as informações gravadas em locais específicos (como na gola interna) com uma tinta especial, que pode ser passada e lavada, não apaga e não causa alergias ou incômodos!

Depois de remover as etiquetas, você deve passar as roupinhas todas pelo avesso. Isso servirá para matar qualquer tipo de bactéria que ainda esteja por aí no tecido. Nessa etapa, é importante não utilizar nenhum tipo de “passa fácil”, apenas o vapor do ferro.

Ah! Se você é uma mamãe super prevenida, que vai lavar roupas do bebê muito antes do parto, guarde as peças em saquinhos plásticos ou naqueles saquinhos de TNT. Assim, você evita que elas embolorem ou peguem poeira novamente.

Pronto! Roupinhas prontas para irem para a mala da maternidade ou o armário do bebê. Veja neste post AQUI dicas para organizar o armário do bebê e AQUI uma lista de mala de maternidade  que pode te ajudar a se organizar. ;)

Quando o bebê entrar na fase das papinhas, ou quando acontecer um acidente com a fralda em dia de diarreia, é bom saber que não dá mesmo para usar o tira manchas ou alvejante comum, aquele que você costuma usar nas suas roupas. Para estes casos, também existem produtos específicos para a pele do bebê.  Eu experimentei e gostei deste aqui:

tira manchas baby

Dermatologicamente testado, hipoalergênico o Vantage tem me ajudado muito com o uniforme da escola!

7. Até que idade do bebê devo manter essa rotina?

Você pode manter este cuidado com as roupas do bebê até a idade em que for mais prático para você. No entanto, além de o sabão e o amaciante específicos serem mais caros, às vezes é muito mais rápido (e econômico) lavar toda a roupa da família de uma vez, certo?

Se você não vê a hora de fazer isso, espere pelo menos até os 24 meses do bebê antes de o expor aos produtos comuns. Quando chegar nessa fase, faça um teste. Pegue algumas peças dele e lave separado com o sabão e amaciante do resto da família. Deixe a criança usar e observe se acontece algum tipo de reação.

As reações podem ser: bolinhas avermelhadas pelo corpo, coceira, brotoejas, vermelhidão e manchas na pele. Se você notar algo deste tipo, saberá que seu bebê provavelmente tem a pele sensível e suscetível a alergias. Nesse caso, é preciso manter os cuidados com produtos específicos.

Aqui em casa, o Pedro é super alérgico, e por isso eu prefiro cuidar das roupas dele e da Catarina separadas das minhas e do marido. Isso facilita a minha vida e, como eu disse, acaba virando hábito.

Então, pra simplificar, olha o passo a passo resumido e curto:

1 – Comprar balde e produtos específicos para peles sensíveis (ou baby);

2 – Lavar todas as peças (na mão ou na máquina, se escolher lavar na máquina, lembre-se de garantir que ela esteja livre dos resíduos da lavagem anterior);

3 – Secar da maneira usual, tomando os cuidados específicos para cada tipo de tecido;

4 – Remover etiquetas;

5 – Passar pelo lado do avesso.

Lavar as roupas, passar, dobrar, guardar, organizar, deixar tudo limpinho e cheirosinho é também um gesto de amor, que começa lá na escolha dos produtos, das roupinhas, do quartinho…

Eu acredito muito que o amor está nestes pequenos gestos do dia a dia, no carinho que transferimos para cada uma das coisas que tocamos e fazemos por eles e para eles. eu tenho certeza que eles percebem isso desde os primeiros dias, sim! <3

E vocês, que outros cuidados tomam na hora de lavar as roupinhas do bebê? Divida as suas dicas e macetes com as outras mães aqui no nosso espaço! Não se esqueça também de curtir a página do Bagagem de Mãe no Facebook!

Deixe seu comentário

Comentários

6 comentários via blog

  1. Andréa comentou em

    Olá! Comprei o sabão de coco em pó Roma. Como vc usa ele na máquina? Vc dilue o sabão primeiro antes de colocar as roupinhas? Eu coloquei direto…
    Obrigada.

    1. Loreta Berezutchi respondeu Andréa em

      Oi Andrea, eu também sempre coloquei direto na máquina! Bjs!

  2. Débora comentou em

    Adorei as dicas, descobri muitas coisas que não tinha nenhuma ideia já que esse é um novo universo pra mim!! ♥

  3. Kátia comentou em

    Adorei as dicas, o cuidado com as roupinhas do bebê é muito importante!

  4. Patrícia comentou em

    Meu medo é de manchar quando for lavar as roupinhas..pq lógico q não vou lavar de uma por uma,então oq fazer para não manchar? Ou como saber q aquela roupa desbota?

    1. Loreta Berezutchi respondeu Patrícia em

      Oi Patricia! A primeira regra é nunca misturar roupas brancas com coloridas, se você tiver dúvidas sobre uma roupa colorida, pode fazer o teste de cor. É assim: pega a peça que você acha que pode soltar tinta, molha e torce pra ver se sai tinta, ou coloca um guardanapo de papel branco em cima dela e veja se há transferencia de cor! ;)