Categorias Moda

O primeiro corte de cabelo do bebê

corte

Ô judiação! Não precisa ser assim! Imagem: weheartit (public domain)

 

Quando o Pedro nasceu, era bem cabeludinho daí, passou por aquela fase careca-monge franciscano e o cabelo recomeçou a nascer. Um cabelinho lindo, cheio de cachinhos na base e eu não queria cortar nunca!

Afinal, é muito pessoal esta questão do primeiro corte de cabelo do bebê! Ela vai depender primeiro, das próprias características do bebê (alguns nascem carequinhas e o cabelo demoraaaaa pra crescer) e também, do gosto pessoal de cada mãe.

Pra mim, a hora do primeiro corte de cabelo, foi a hora em que o cabelo começou a incomodar ele mesmo. O Pedro tem dermatite atópica severa (entenda o que é neste post AQUI) e por isso, o próprio suor dele causa alergias e muita coceira! O cabelinho cheio de cachinhos cresceu ao ponto de tocar o pescoço e daí, em dias mais quentes, ele suava demais e começou a ter muita coceira no pescoço, orelha e no próprio couro cabeludo. O jeito foi dar fim às lindas madeixas do meu pequeno! Sofri! :/

Na hora de levar ele pra cortar o cabelo pela primeira vez, eu fiz tudo errado! /0\

Eu não sou prendada o suficiente para cortar o cabelo dele eu mesma, minha mãe era! Sempre cortava os cabelos, meus e das minhas irmãs, em casa mesmo. Aparava as franjas, acertava o comprimento…. Até encontrei uma ferramenta interessante para mães que querem tentar esta habilidade, olha só:

Creaclip-SA

O CreaClip é tipo uma “prancha” de plástica com um nivelador, a idéia é você “clipar” a parte do cabelo que pretende cortar, nivelar pra ficar retinho e cortar. Parece simples, será???

 

Enfim, como eu não sou prendada assim, e fiquei com medo de machucar o meu filho, resolvi levá-lo a um salão de cabeleireiro. Na época, eu nem me atentei em pensar em um salão especializado, pensei apenas em não levá-lo no salão que eu costumava ir porque, por lá as mulheres estavam sempre usando muitas químicas e aparelhos e eu achei que não era um ambiente “respirável” para um bebê de quase 2 anos.

Decidi levar ele em uma barbearia que o papai cortava o cabelo e que havia um assento “especial” para crianças, era um carrinho, a criança sentava lá e DEVERIA facilitar o trabalho do barbeiro. Eu também pensei que, já que tem uma cadeira especial destas por lá, no mínimo, o “tio” barbeiro deveria ter alguma experiência com crianças, né?

Bom, o resultado foi que, o tal “tio” barbeiro não tinha nem experiência, nem paciência nem nenhuma habilidade com crianças. O Pedro chorou muito, se mexeu muito, eu fiquei desesperada de preocupação com aquele “cara” com uma tesoura tão perto do pescoço, olhos e rosto do meu filho e ainda por cima, pra tentar contornar o caos, o tio teve a feliz idéia #sóquenão de dar um pirulito pro menino no meio do corte!

O pirulito ficou cheio de cabelo e daí, ele chorava porque estava com medo e porque queria chupar o pirulito e não podia, porque estava cheio de cabelos! Caos define! /0\

Filho de primeira viagem tem destas, né? Tudo o que a gente faz é sem experiência nenhuma, às vezes, funciona, às vezes, não! Neste caso, não funcionou mas, teve o lado positivo, na hora de cortar o cabelo da Cacá pela primeira vez, eu fui muito mais cautelosa e criteriosa:

  • Procurei por salões infantis especializados,
  • Fui conhecer o salão, as instalações, os profissionais e ver referências de crianças que estavam cortando os cabelos por lá (se choravam, como os profissionais lidavam com isso e etc)
  • Procurei saber se os produtos que usariam nos cabelos dos meus filhos eram apropriados para crianças (shampoo/condicionador infantil)
  • Dei uma olhada nos materiais de trabalho (tesouras, pentes, escovas, secadores), alguns salões tem pentes e escovas esterilizados, o que eu acho muito legal para evitar o risco de pegar piolho, por exemplo.

Ok, parece que eu estou sendo muito frescurenta e é óbvio que eu não saí investigando o salão inteiro, fui conhecer e dando uma olhada, perguntei qual profissional era mais paciente e então, marquei o corte da Cacá.

Ela começou a chorar, não queria ficar na cadeira-nave espacial e não queria saber de brinquedo nenhum então, neste momento, eu vi a diferença em ter um profissional que se especializou em crianças. A cabeleireira sugeriu que eu me sentasse com ela no meu colo, enquanto íamos conversando (eu e Cacá) ela ia cortando, aos poucos, com muita paciência, me indicando se queria que ela olhasse pra esquerda, direita, pra cima, pra baixo…

No final, deu tudo certo! Cabelos de Cacá cortados, ela saiu feliz, sem choro e eu, sem trauma! Sim, foi mais caro, demorou quase 1h pra cortar mas, fiquei bem feliz em pagar por esta tranquilidade! Depois desta experiência, Pedro e Cacá passaram a cortar o cabelo só no salão especializado, com o passar do tempo, o trabalho que eles davam foi diminuindo e hoje, Pedro aos 7 anos e Cacá, aos 5 anos, já não dão trabalho nenhum!

Então, se você está pensando em cortar o cabelo do bebê pela primeira vez, as principais dicas são:

  • Procure um salão especializado ou, se você tiver, um cabeleireiro de confiança, que conheça o seu filho, seja paciente…
  • Leve um brinquedo ou alguma coisa que seu filho goste e esteja familiarizado, pode ajudar a distraí-lo e dar mais segurança!
  • Se puder, evite os finais de semana que são mais lotados, procure um dia mais tranquilo, com menos barulho e pessoas. Se ele ainda for bem novinho, pode ser muita novidade ao mesmo tempo e acabar assustando!
  • Ninguém conhece o seu filho melhor que você, se você acha que vai funcionar melhor se ele estiver no seu colo, faça isso! Não se importe tanto com simetria do corte, pense mais em segurança!

De uns tempos pra cá, eu percebi um crescimento (pelo menos aqui em SP) de salões especializados, acho bom mas, também tenho algumas restrições quanto às loucuras de vaidade em crianças! Já vi coisas que me deixaram assustada, como crianças de 4/5 anos fazendo MAQUIAGEM e FRANCESINHA no salão! Aí não, né?

Pra mim, criança tem que ser criança! É muito bom ter um salão que se preocupa em ser capacitado a atender todas as necessidades do meu filho, é super bacana ter profissionais que têm paciência e didática para fazer o que é preciso mas, eu acho que é preciso estar sempre atento aos limites desta vaidade afinal, as crianças vão crescer e terão uma vida inteira para conviver com o bombardeio de padrões e imposições de beleza, moda e afins.

Enquanto puderem se preocupar em serem apenas crianças e lindos do jeito que são, é isso o que vou defender, pelo menos para os meus filhos! ;)

E por aí, já rolou o primeiro corte de cabelo? Tem mãe prendada que consegue cortar em casa? Me contem como é isso?

Bjs ;)

Deixe seu comentário

Comentários

3 comentários via blog

  1. carlos alberto maffei comentou em

    Parabéns!!! Gostei muuuuiiiiito das suas observações! Perfeitas.
    Sou cabeleireiro infantil há vários anos e isso muito me enriquece!

    1. Loreta Berezutchi respondeu carlos alberto maffei em

      Oi Carlos, que bom, fico muito feliz que tenha aprovado! Obrigada! :)

  2. Aline comentou em

    Realmente…tem que ser um profissional que saiba lidar com crianças pequenas e que tenha paciência!