Categorias Vida de Mãe

O medo de realizar sonhos

Eu acho que já falei por aqui no blog que, desde criança eu sempre o tive o sonho de ser mãe e ter uma família. Não é que eu não sonhasse com uma carreira ou alguma profissão, mas na minha “vida ideal” as duas coisas caminhanhavam juntas e eram complementares, sabe?

Daí que, assim como todo mundo, eu fui construindo a minha vida de acordo com este sonho, descobrindo novas metas, objetivos… E nunca fui do tipo que tem medo de realizar sonhos! Sempre fui muito corajosa, sempre fui lá e dei a minha cara a tapa, o meu sangue, meu suor e nunca tive nada facilitado nesta vida!

Mas, depois que me tornei mãe, eu virei a maior bundona!!

Ao mesmo tempo em que despertou em mim uma coragem absurda de enfrentar o que for preciso pelos meus filhos, também fiquei medrosa! Com medo de tomar decisões erradas, de fazer escolhas premeditadas, de me dar mal e por consequencia, levar os meus filhos nesta também…

Acho eu, que isso é normal! E que todas nós, que nos tornamos mães, passamos a ser mais cautelosas com relação às escolhas da vida, mas também sei que as porradas que a gente leva na vida, fazem este medo aumentar…

E foi por causa de uma porrada destas, bem grande, que eu estava adiando um sonho, ou uma nova fase da minha vida!

Já contei por aqui também que, por causa de uma transferência de trabalho do marido, nos mudamos de SP para o Recife quando o Pedro tinha pouco mais de 2 anos e a Cacá apenas 9 meses!

Na época, quando recebemos a proposta (que inclua uma promoção e um aumento financeiro bem bacana) ficamos muito felizes e acreditamos, de verdade, que esta enorme mudança de cidade e Estado seria para o bem!

Pensamos que a mudança para o litoral traria para toda a nossa família uma melhor qualidade de vida, ar puro, sol, mar, praia, vida mais tranquila…Só que não!

Deu tudo errado!

Foi difícil me adaptar, foi difícil estar sozinha e longe de todos bem no momento em que mais precisava da minha família, foi difícil ver o marido viajar toda semana, foi difícil ver as crianças ficando doentes, foi tudo muito difícil!

Nosso casamento sofreu um abalo gigantesco! Minha família estava em “mau funcionamento” e, depois de tentarmos por 2 anos, percebemos que a única maneira de voltarmos a ser felizes seria voltando “pra casa”!

A volta foi muito complicada! A empresa que nos levou para o nordeste, não queria nos trazer de volta, o Pedro estava ficando cada vez mais doente e eu já não podia viver com as crianças naquela cidade.

Voltei sozinha, com os 2 filhos, enquanto o marido tentava se entender com o pessoal da empresa. Nunca havíamos ficado separados assim! Doeu!

No fim, foi preciso abrir mão de uma carreira de mais de 10 anos na mesma empresa, aceitar um novo emprego para ganhar menos e em um cargo menor e enfim, recomeçamos nossa vida do zero em SP.

Na época, todo mundo achou que estávamos loucos! Que havíamos feito a troca errada, que “dava pra aguentar” mais um pouco lá, ou que dava pra viver eu aqui com as crianças e ele lá…

Como eu sempre digo, ninguém sabe “o sal que a gente come”, né? Abrimos mão de uma vida financeira confortável e insuportável emocionalmente, por uma vida financeira apertada mas, cheia de amor e união, como tem que ser!

Para nós, como família, o amor e a união sempre esteve em primeiro lugar! Antes de carreira, antes de dinheiro, antes de qualquer coisa! E por isso, não enxergávamos nenhuma “loucura” em abrir mão da grana para voltar pra SP!

Trocamos ter dinheiro por continuar a ser uma família cheia de amor, unida e caminhando pela mesma estrada, olhando para o mesmo horizonte.

Não foi fácil!

De lá pra cá, foram 5 anos reconstruindo, passando perrengue, tomando novas “porradas” de quem achávamos que eram amigos, descobrindo como as pessoas se afastam quando você já não tem mais “nada” para oferecer, fazendo novas escolhas, descobrindo novas maneiras de viver, consumir, planejar…

E no meio disto tudo, tinha as crianças crescendo! Com suas necessidades próprias de cada fase, com a mãe e o pai descobrindo junto com eles como ser mãe e pai e também tinha este blog!

Que foi a melhor coisa que aconteceu comigo quando mudei para o Recife! Foi por causa desta mudança que eu comecei este blog e por causa dele, aprendi tanto e cresci tanto como mãe e mulher!

Mas ainda tinha aquele sonho guardado…

Na minha projeção de vida ideal da infância, eu teria um trabalho que amava e uma família linda vivendo em uma casa cheia de natureza, com espaço para as crianças correrem e brincarem, com espaço para receber os amigos e a família, quem sabe até um cachorro nós poderíamos ter…

Por causa das porradas da mudança anterior, eu deixei este desejo de ter um “lar” do jeito que eu queria, guardadinho no fundo dos meus sonhos, no meu baú de desejos secretos. E aceitei as “adaptações” que fui fazendo.

Não dava pra ter a “casa dos sonhos” mas eu era muito feliz no meu “apertamento” pequenino e cheio de amor, não dava pra ter um cachorro mas, eu amo a nossa gatinha Fiona! Não tem espaço para correr e brincar aqui dentro mas, tem o espaço do condomínio onde eles podem gastar energia, tava bom…

Mas apareceu uma oportunidade!

Faz quase 1 ano que o marido me falou sobre a possibilidade de nos mudarmos de novo, desta vez, para um lugar que queríamos desde quando namorávamos! Para uma casa que a gente escolheria com calma, num bairro que a gente queria, tudo do nosso jeito e no nosso tempo. Sem depender de aprovações de empresa, sem depender de um cargo ou salário para viver esta nova fase da vida…

Parecia um sonho, e eu tive medo!

Medo porque, apesar de estar tudo bem e superado, as porradas destes 5 anos reconstruindo se tornaram aquele tipo de cicatriz de alerta, sabe? Aquelas que, toda vez que você percebe que talvez vai cometer o mesmo erro, coçam ou ardem só pra te lembrar que “pode dar merda!”

E daí, eu passei o último ano matutando esta idéia na calma, planejando, fazendo contas, indo visitar a cidade, os bairros, conhecendo escolas, padarias, supermercados, lojas, traçando rotas, fazendo planilhas e listas com bônus e ônus… Decidi ir, depois decidi não ir! Escolhi uma casa daí, não deu certo e eu achei que era um “aviso do universo”…

Até que rolou!

Numa manhã despretensiosa, decidi ir até lá passear, sem compromisso nenhum! Estava muito claro na minha cabeça que, eu não ia mudar agora, que este era um plano adiado, talvez para a minha velhice já que, as crianças não são mais tão crianças assim e nem precisam mais de uma casa pra correr e uma árvore no quintal para construir um forte…

E então, me apaixonei!

Não sei explicar! Estava sem expectativa nenhuma até que, seguindo o carro da corretora de imóveis ela parou em frente a casa dos meus sonhos! Aquela que eu sempre imaginei que seria, do jeito que eu sempre quis e com todas as referência de arquitetura, texturas e elementos. Parecia que ela tinha entrado na minha cabeça e olha, eu não tinha falado nada disso pra ela e ela só me conhecia a 1 semana!

Quando entramos na casa, as crianças começaram a correr pra lá e pra cá e o meu primeiro impulso foi dizer para eles pararem com aquilo e daí, me dei conta de que sim! Eles podiam correr a vontade, havia espaço, sem vizinho embaixo, sem vizinhos do lado, sem problemas com barulho…

Ver as crianças se divertindo com o simples fato de poderem correr a vontade e sentar na grama, me fez perceber que ainda dava tempo! Que o medo que eu tinha de ter falhado no plano de oferecer para eles uma infância livre e cheia de natureza, era infundado!

Ainda dá tempo!

E depois da casa, tudo foi se encaixando tão perfeitamente que eu fiquei assustada! Sabe aquela sensação de “será que é de verdade? Será que eu mereço estar feliz assim?”

Mas era verdade! É verdade!

E se eu disser pra vocês que estou super tranquila e segura com tudo isso, estarei mentindo! Aqui dentro de mim ainda tá rolando uma insegurança, um medo de dar tudo errado como aconteceu no passado mas, ao mesmo tempo, estou me agarrando na certeza de que esta decisão foi muito bem pensada e de que sim, eu mereço sim realizar meus sonhos!

Porque a gente tem esta mania de se sabotar, de achar que é indigna de coisas boas, e de se acostumar tanto com a dureza da labuta e com as porradas de todos os lados, que quando finalmente vê os frutos de tanto esforço aparecendo, fica achando que é “pegadinha do malandro!”

Mas não tem pegadinha!

Eu vou ser feliz sim! Mais ainda! Eu e minha família! Porque a gente merece sim, porque a gente trabalhou muito e porque felicidade não deveria assustar! A gente não devia ter medo de ser feliz e deveria ser errado se acostumar com aquilo que dói!

Chega de ter medo de realizar sonhos!

Se tem uma coisa que eu aprendi nestes meus pouco mais de 30 anos, é que nada nesta vida está sob nosso controle! Achar que podemos fazer planos e esperar que tudo saia exatamente como idealizamos, é pedir por frustração!

Então sim! Eu vou encarar esta nova fase, vamos nos mudar! Eu tomei todas as medidas e precauções para que dê tudo certo, e vou dar tudo de mim para que sejamos muito felizes nesta nova fase. Mas a verdade é que é um salto de fé!

E não é isso que fazemos todos os dias nesta vida de mãe? Acreditar?

Também quero aproveitar este post para pedir desculpas pelo meu sumiço! Agora que expliquei, acho que deu pra entender que a minha cabeça e coração estavam muito atordoados para conseguir vir aqui escrever!

Mas eu não desisti!

Assim como este blog nasceu de uma grande mudança, quem sabe nesta nova fase eu estarei com mais gás e energia para compartilhar as novidades? Afinal, as crianças também entraram em uma nova fase, não tem mais primeira infância por aqui!

O que o futuro nos reserva, só o futuro sabe! Mas eu tenho certeza que se depender da nossa vontade de ser feliz, ele vai ser simplesmente maravilhoso!

Ah, e pra quem ficou curioso, estamos nos mudando para a Granja Viana! Quem é de SP sabe que é bem pertinho e quem não é, imagina que é coladinho na grande metrópole mas, reserva seu ar rural e de casa de campo! ;)

#Vem2018

Deixe seu comentário

Comentários

3 comentários via blog

  1. Luana Fernandes comentou em

    Oi Loreta! Estou passando por estar turbulências que uma mudança faz. Mas o seu texto foi tão reconfortante… Só me deu mais certeza de que estou no caminho certo para realizar o meu sonho de fé. Obrigada por este testemunho! Boa sorte com a nova casa e que Deus abençoe a sua família!

  2. FERNANDA LUCENA comentou em

    Que maravilha!!!
    Boa sorte nessa nova fase!!

    Realemente, depois que as crianças chegam, o medo de errar cresce absurdamente
    Medo das consequencias atingirem mt nossos filhos…
    Mas o q seria da vida sem sonhos né?!

    Espero, com fé, um dia poder postar algo parecido.
    Por enqt, ainda tô na parte das ‘porradas que a vida dá’
    hehehehehehehehe

    Bjoooos

  3. FERNANDA LUCENA comentou em

    Que maravilha!!!
    Boa sorte nessa nova fase!!

    Realmente, depois que as crianças chegam, o medo de errar cresce absurdamente
    Medo das consequências atingirem mt nossos filhos…
    Mas o q seria da vida sem sonhos né?!

    Espero, com fé, um dia poder postar algo parecido.
    Por enqt, ainda tô na parte das ‘porradas que a vida dá’
    hehehehehehehehe

    Bjoooos