Categorias Vida de Mãe

Ensinando as crianças a doar

doar brinquedos

imagem: shutterstock

Aqui em casa sempre tive o hábito de reallizar umas “limpas” nos armários e comôdos, para tirar as coisas que não usamos mais e doar. Também aproveito para tirar aquelas que estão quebradas e encostadas com a promessa de serem consertadas e as que deveriam estar no lixo faz tempo!

Eu confesso que sou uma pessoa que gosta de guardar memórias, mas gosto delas bem organizadas e morando em um “apertamento”, não dá pra ficar guardando tudo quanto é tranqueira, né?

Depois que as crianças nasceram, percebi que com filhos, nossa capacidade de acumular coisas se multiplica! São brinquedos que a gente fica com “dó” de passar pra frente, roupinhas de bebê que a gente quer guardar de recordação, roupas e sapatos especiais que quase não foram usados mas, a gente tem certeza que ainda vai encontrar uma ocasião…

Aprender a “destralhar” não é tão simples assim, especialmente se você tiver uma “veia acumuladora” e por isso, eu estou sempre treinando o desapego e tento realizar ao menos 2 limpas por ano nas minhas coisas e nas coisas das crianças. Quando eles ainda eram bebês, era super simples eu mesma escolher quais coisas iam e quais ficavam afinal, eles não opinavam e na maioria das vezes, nem percebiam os brinquedos que não estavam mais lá.

Agora, com eles maiorzinhos, convencê-los a praticar o desapego não tem sido lá tarefa muito simples! Sejamos francas, se nós, adultas, temos a maior dificuldade em desapegar das coisas que estão com a gente por tanto tempo, imagina as crianças? Quando você diz para uma criança que ela precisa “doar” uma coisa que é dela, ela não entende que este gesto é importante para ela e para outras pessoas, ela só entende que você quer que ela “mande embora” algo que é dela! E isso pode parecer muito injusto!

Apesar de não ser fácil, eu tenho insistido muito para que eles aprendam a desapegar das coisas materiais, para que sintam prazer em doar para quem precisa e isso também ajuda a ensiná-los um senso de ordem e organização. Olha só o que tem funcionado aqui em casa:

  • Seja exemplo: antes de pedir que eles comecem a olhar as coisas deles e decidirem o que vão doar, eu começo a fazer “a limpa” pelas minhas coisas. Normalmente, envolvo eles no processo e vou mostrando como estou separando as coisas: coisas para doar, coisas para vender, coisas para consertar, coisas para ir ao lixo. Pra cada uma das coisas que eu separo, explico porque isto será doado, aquilo será vendido e assim por diante.
  • Peça a opinião deles: se eles já têm idade de opinar (cerca de 3 anos), você não pode ir pegando as coisas deles e decidir sozinha o que vai embora e o que fica. Se você estiver separando roupas e sapatos, faça ele experimentar aquelas que já não servem, ou meça na frente do corpo para que eles entendam que aquilo ali será doado/vendido porque não tem mais uso pra ele. Faça o mesmo com livros e brinquedos, explique que tal livro já foi lido muitas vezes, que tal brinquedo está encostado há um tempão…
  • Não o obrigue: a hora de separar brinquedos é sempre a mais difícil. Mesmo que você saiba que aquela boneca ali não recebe um “oi” há meses, se você cismar em dar ela embora, pode arrumar uma boa “briga”. Na hora de separar os brinquedos, explique para as crianças que eles têm muitos brinquedos e que muitas crianças não têm nenhum por isso, seria legal se eles separassem alguns que não brincam mais para deixar estas outras crianças felizes. Deixe-os a vontade para escolher quais ficam e quais saem, se eles escolherem apenas 1 ou 2, não o force a doar mais. A doação precisa ser espontânea, e não pode deixar um “vazio” na criança e sim, deixá-la feliz em fazer isso.
  • Explique o que vai acontecer com as coisas separadas: não basta dizer que vai “levar na igreja”, ou que vai “vender”, ou consertar. Explique com paciência o porquê de a igreja (ou onde você for enviar as suas doações) é o lugar certo para entregar aquelas coisas, o que vão acontecer com elas, para quem vão e porque. Se você vai revender, explique que com o dinheiro que entra, vai dar para comprar um novo brinquedo e assim por diante. Crianças são naturalmente curiosas e quando compreendem o processo, se sentem muito mais seguras em cooperar.
  • Mostre como faz bem fazer esta “limpa”: depois que vocês separarem tudo, organizarem e tiverem novos espaços, mostre pra eles como ficou mais bacana o armário/quarto arrumadinho, como é bacana ter espaço para coisas novas e como faz bem saber que outras pessoas estarão felizes com as coisas que vocês doaram.

No primeiro ano de “limpa” do Pedro, ele devia ter cerca de 3 anos e quando eu disse pra ele escolher brinquedos que poderia doar, ele começou a colocar praticamente tudooo na caixa de doações! Daí, tive que fazer o processo inverso, explicar pra ele que ele não precisava se livrar de tudo e que, se não houvesse nada de que ele gostaria de se desfazer estava tudo bem!

Naquela época, acho que ele não compreendia que “doar” significava que ele nunca mais veria o brinquedo, que iria embora para sempre e mesmo ele sendo ainda bem novinho, eu tive uma conversa direta e franca (ou o mais direta e franca possível que se pode ter com uma criança de 3 anos): “Filho, o brinquedo que você colocar nesta caixa aqui vai embora para outra criança e nunca mais vai voltar, você tem certeza que quer dar este brinquedo?”

Ele titubeou em alguns e outros, colocou na caixa mesmo assim! Pode parecer muita responsabilidade para uma criança tão pequena mas, eu sempre “revisava” o conteúdo das doações dele e com o tempo, a sensação de poder “decidir” o destino das próprias coisas, fez com que ele adquirisse um senso próprio de organização e necessidade de retirar o que é excesso.

Com a Cacá, a coisa foi toda diferente! Na primeira tentativa de envolvê-la na doação de roupas e brinquedos (com 3 anos também) ela simplesmente não queria se desfazer de nada! Mesmo as roupas pequenas, apertadas, os sapatos que não serviam, ela não queria doar nada, e chorava quando eu dizia que era preciso abrir espaço para o novo.

Eu decidi então não comprar a briga, deixei que ela tentasse usar mais 1 ou 2 vezes as peças que já não serviam até que ela percebesse, que realmente não tinha mais condições. Com os brinquedos, eu também não forcei nada! Se ela não queria doar nada, não doaria e deixei assim, até que aos poucos, ela foi liberando 1 brinquedo, 2 brinquedos e hoje em dia (aos 5 anos), faz verdadeiras doações!

Este ano, ela e o Pedro me surpreenderam quando começaram a me ajudar e doaram realmente muitas coisas, sem remorso, sem arrependimento, sem apego nenhum, maior orgulho! rsrsrs

doação de brinquedos

A doação do Pedro e da Cacá deste ano! <3

Se você também vai fazer uma limpa por aí, comece assim:

  • Faça pilhas de coisas: a doar, a vender, a consertar, a jogar fora, a pensar. Na pilha de coisas a doar e jogar fora, você está proibida de mexer de novo (para não cair na tentação de querer voltar alguma coisa pro armário), decidiu tá decidido! Na pilha de coisas a consertar, analise se realmente vale a pena o custo X benefício deste conserto, se não houver, jogue no lixo! Na pilha “a pensar”, seja honesta com você e responda de verdade se aquilo ali é útil, se vai fazer falta, se você precisa…
  • Depois que tiver tudo separadinho, você ficará com a pilha a doar e a pilha a vender. Escolha um lugar para receber a sua doação! Eu recomendo: Exército da Salvação, Casas André Luiz e igrejas do seu bairro para receber as suas doações. O que você separou para vender precisa estar em excelente estado, semi novo mesmo e daí, você pode escolher os bazares virtuais. Eu uso muito estes aqui:

www.retroca.com.br

Bom para vender e comprar roupas, sapatos e acessórios infantis que estejam semi novos. Você pode enviar as roupas para eles, eles avaliam e creditam um valor em dinheiro na sua conta daí, você compra peças novas no site deles! Muito bacana, seguro e as peças que eles revendem são novinhas mesmo!

www.olx.com.br

Bom para revender brinquedos, móveis, livros, coisas de bebê (como carrinhos, cadeirões, jumpers e etc). O anúncio no site é gratuito e é super simples de fazer, vende bem rapidinho!

Depois que convenci o Pedro e a Catarina a fazer esta super “limpa”, chegou a hora de convencê-los a se comportarem e me ajudarem com o que virá: REFORMA! Sem sair de casa e com os 2 de férias! Será que vai dar certo?

Confiram as cenas dos próximos capítulos! hahahaha

Bjs ;)

Deixe seu comentário

Comentários

1 comentário via blog