Categorias Moda

Dia das Mães: Moda Mãe e Filha

Dia das Mães chegando e, por mais que a gente sempre diga que “não precisa de nada”, mãe também gosta de ganhar presente sim!

E quando o presente pode deixar a mãe ainda mais bonita e ainda mais em sintonia com os filhotes, a gente fica feliz da vida simmmm!!!

Eu e a Cacá amamos brincar de moda mãe e filha, eu simplesmente não resisto! Quando vejo marcas que são especializadas nisso, ou mesmo quando encontro estampas e combinações que podem nos deixar “par de vasos” lindos para passear por aí, eu já me apaixono!

De vez em quando consigo convencer o Pedro a fazer parte disso também! Mas com os meninos, eu acho que é mais bacana investir nas estampas e estilos do que na modelagem, sabe? De toda forma, também preciso confessar que eu prefiro muito mais quando o “par de vasos” não é completamente igual e sim, complementar e harmonioso!

Separei algumas fotos nossas que eu já postei no Instagram (segue a gente lá @bagagemdemae) usando modelitos Mãe e filha (e filho) com marcas que nós amamos e confiamos. Dá uma olhada:

moda mae e filha

Minha mais recente descoberta é o Ateliê Fashion, especializado em moda mãe e filha tem vestidos lindos assim, com estampas complementares, conjuntos moderninhos com jaqueta bomber e até vestidinho pra combinar com a boneca!

Clica AQUI para ir lá conhecer o site deles e ver todos os modelitos!

moda mae e filha

A Rose&Bleu é outra marca que eu descobri recentemente e estou perdida de amor! As roupinhas, para meninos e meninas, são confeccionados com algodão pima deliciosos e trazem esta delicadeza da infância sabe?

Eles tem a opção de pijamas mãe e filha ou filho que são uma delícia de dormir! Para conhecer a coleção toda deles acesse AQUI

moda mãe e filha

Acessórios também são sempre muito bem vindos, e lá na Mims Bags dá pra personalizar bolsas lindas e fazer parzinhos assim!

Além disso, o pessoal da Mims tem várias sugestões de kits personalizáveis para presentear as mães, vai lá conferir clicando AQUI

moda mãe e filha

Infelizmente a PopUp Store não faz mais a coleção petit que a Cacá tá usando nesta foto :( mas a Shoestock (para nossa alegria!) reabriu a loja virtual e tem muitas opções de sapatilhas para fazer parzinho mãe e filha, como estas que estamos usando na foto!

Para ver tudo, acesse o site deles AQUI

moda mãe e filhos

E se você quiser incluir o filho nesta brincadeira, uma boa tática é escolher produtos unissex que todo mundo ama! Tipo os tênis Converse!

Podem ser todos da mesma cor ou cada um com a sua cor predileta, o importante é se divertir! Toda mãe precisa de um Converse branco, vai por mim!

moda mãe e filhos

Ou você pode optar por seguir o mesmo padrão de estampas e criar este efeito divertido! Aqui, eu e Cacá estamos usando camisetas básicas da Riachuelo e a do Pedro é da loja BB Básico!

 

Enquanto a Cacá quiser, eu vou continuar a brincar desta coisa fofa de mini me e quem também curte e se inspirou, ainda dá tempo de pesquisar e encomendar um presentinho assim!

Agora compartilha o link com os papais, titios, titias e faça a sua lista de presentes! hehehe

Bjs! ;)

 

 

Categorias Moda

Armário Cápsula: como escolher sua paleta de cores?

Quando comecei a pesquisar e ler sobre o conceito de armário cápsula, vi muitas dicas sobre começar pela paleta de cores. Mas, como escolher sua paleta de cores?

armario capsula

Eu não sei vocês, mas eu nunca tive nada super definido na minha cabeça sobre quais eram as cores que eu mais gostava e mais comprava. Eu até tinha uma certa noção de que os pretos e cinzas eram maioria no meu armário, mas confesso que nunca cheguei a reparar se eu comprava ou escolhia mais pelas cores ou pelos modelos, sabe?

Por exemplo, se eu me apaixonava por uma peça de roupa, ela normalmente seria nas cores que eu mais gosto e teria a modelagem, estrutura e detalhes que eu mais gostava, certo?

Mas, quais eram estas cores, texturas, modelagens, detalhes? Eu sabia exatamente o que eu gostava mesmo, o que caia bem em mim? O que me deixava feliz e me sentindo linda e poderosa?

Não, eu não sabia!

Mas eu sabia as coisas que eu não gostava então, comecei pela eliminação destas coisas. Rosa neon, verdes “marca-texto”, poás, vinil, dourados, vermelho “Ferrari” e outros são, decididamente coisas que eu não gosto então, será que teria algumas delas no meu armário?

Fui caçar e não é que encontrei!?

Que atire o primeiro cabide a mulher que nunca comprou uma “brusinha” nada a ver com ela mesma só porque estava “na moda”, porque estava na liquidação ou porque viu uma amiga com uma parecida e achou linda!

Sim, ás vezes, a gente faz destas, né? E tudo bem, normal! Só que depois, você percebe que aquela peça não tem nada a ver com você e pior, não tem nada a ver com mais nada que você tem no armário o que, na prática, impossibilita o uso desta peça e financeiramente significa jogar dinheiro fora!

Peguei todas as peças que estava “fora do padrão” no meu armário (eram poucas, ufa!) e fiquei pensando por que elas estavam ali. Me lembrei de todos os momentos em que eu as comprei ou ganhei e ficou fácil de entender as “burradas” que fiz com cada uma delas.

Removidas as “divergentes”, parti para a descoberta das cores que eu tenho em maioria no armário. Fiz montinhos com as roupas em cima da cama, separando apenas por cores e, como eu já desconfiava, confirmei que o preto, o cinza e o branco são maioria!

Mas além destas, que podemos chamar de “base” do meu armário, também descobri que o azul índigo (aquele mais puxado para o azul “jeans”, sabe?) também é uma cor que tem muitas peças no meu armário.

Desta forma, descobri quais eram as minhas cores base e depois, descobri as minhas cores complementares. Aquelas que têm menos peças em quantidade mas que, se apresentam em peças “diferenciadas”.

Sabe aquela blusa “bapho” que você sempre usa quando quer arrasar? Ou aquele vestidinho que você sabe que fica ótimo em você e te traz a maior segurança seja qual for a ocasião? Pode reparar que talvez, eles não sejam nas cores base do seu armário, mas serão de cores complementares que você adora!

Depois de descobertas quais eram as minhas cores, descobri quais era as minhas estampas e também, as texturas e tecidos que eu mais tenho no armário. Mais uma vez, dá pra usar o esquema de “eliminação de divergentes” para conseguir chegar no que verdadeiramente você gosta e assim, meu esquema de paleta de cores, estampas e texturas é este aqui:

paleta de cores armario capsula

O mais curioso desta descoberta foi que as cores são todas “combináveis” entre si! Até um roxo vinho pode combinar com um marrom e, eu não sou especialista em design ou cromoterapia mas, achei que ficou tudo bem harmônico e mais importante, tem a minha cara!

paleta de cores armario capsula

Outra coisa curiosa que eu descobri ao identificar a minha paleta de cores, foi que eu não sou uma pessoa de “cores vibrantes”. Isso é interessante porque eu adoro as cores vibrantes na decoração da casa, nos acessórios, no material de escritório, na arte etc. Mas pra vestir, sou mais “apagadinha”, mais básica, mais neutra!

Claro que, não são só estas cores exatas que estão no meu armário, existem variações de tons. Por exemplo, eu tenho peças que são Off White, tons de cinza mais claros e escuros, tons de roxo que podem ser mais claros ou escuros, tons de azuis, tons de burgundy (ou vermelho queimado)…

Mas estas variações têm um limite bem definido! Por mais que eu ame azul e seus tons, não tenho peças azul bebê, por exemplo. O mesmo acontece com o burgundy, não tenho peças vermelho Ferrari ou cor de rosa, e os meus marrons podem variar pra mais escuros até mais claros como creme, mas não tenho peças beges ou amarelas!

Descobrir a minha paleta de cores me ajuda a entender como combinar as minhas peças e até quando vou decidir uma compra. Sabendo quais são as minhas cores o que combina com o que, não caio na cilada de comprar uma coisa que eu achei linda na vitrine mas, que quando chegar em casa não vai combinar com mais nada!

Tem gente que monta o armário cápsula de cada estação a partir de uma paleta de cores definida para aquela estação por exemplo, no verão usa-se cores mais abertas e alegres e no inverno, tons mais escuros e fechados.

Acho mega legal mas, eu não conseguiria!

Porque pra mim, o desafio do armário cápsula é diminuir a quantidade de peças e facilitar o meu dia a dia, organizar melhor as minhas coisas para que eu não perca tempo (nem dinheiro) com elas então, se eu precisar montar um armário a partir de cores para cada estação, vou perder tempo e dinheiro!

Tenho investido em ter peças que dá pra usar em todas as estações e que são mais duráveis e como a minha base é bem neutra, se eu mudar de idéia e quiser me vestir mais colorida e vibrante, terei peças base que certamente vão dar certo com as peças novas!

Estou amando muito fazer o armário cápsula e conhecer a mim mesma por causa dele, isto também traz uma confiança maior e melhora muito a auto estima, vai por mim!

Como vocês sabem, eu compartilho meus looks, dicas, descobertas, acertos e erros lá no Instagram então, quem ainda não segue, vai lá é o @bagagemdemae

E aí, quem também está tentando ter um armário cápsula? E quem já está expert, me deixem dúvidas, sugestões e dicas também!

Bjs!

Categorias Moda

1 ano de Armário Cápsula: aprendizados

No começo do ano passado, contei pra vocês por aqui e em todas as minhas redes sociais, que resolvi começar o desafio do Armário Cápsula.

Talvez você já tenha ouvido falar sobre este novo conceito de organizar e consumir moda, se ainda tem dúvidas, dá uma olhada neste post AQUI onde eu explico tudinho, de onde veio, por que eu decidi entrar nessa e como começar!

Quando eu fiz a limpa do meu guarda roupas e me propus a encarar este desafio, eu não fazia a menor idéia do que era o meu estilo e nem imaginava que eu tivesse um. Mas eu achava que sabia e isso é uma das coisas mais legais deste desafio, você adquire auto-conhecimento!

Muitas pessoas me perguntam se é muito difícil manter um guarda roupas com um número tão pequeno de peças, algumas amigas me chamaram de maluca e disseram que não têm tempo ou disciplina pra uma coisa destas.

Mas o armário cápsula é justamente ao contrário de tudo isso! Não é só sobre um número exato de peças que você precisa ou não ter em seu armário, não é só sobre ser disciplinada com compras e looks fáceis de montar. É mais um “estilo de vida” onde você, conhecendo quem você é de verdade, os seus gostos, aquilo que te faz feliz, consome exatamente o que você precisa, veste aquilo que curte, sem se preocupar se é ou não tendência, se é ou não do gosto dos outros…

Eu comecei o desafio e mantive em meu armário cerca de 50 peças, contando sapatos. Foram doadas mais de 100 peças de roupas e calçados, além de acessórios, bijouterias, maquiagens…

Hoje, 1 ano depois de ter começado, tenho em meu armário as mesmas 50 e poucas peças de roupas só que, ao invés de peças soltas e que não combinam com nada (especialmente, não combinavam comigo), tenho peças que combinam entre si, que conversam, que refletem quem eu sou, que me deixam feliz e confortável!

armario capsula

Olhando os fotos do começo do desafio e de agora, consigo perceber como eu fui me encontrando e inclusive, algumas peças que estão nos looks das primeiras fotos, já não estão mais no meu guarda-roupas!

Para conhecer o meu estilo, eu observei bem quais peças eu mais gostava e quais representavam melhor quem eu sou. Li muito e pesquisei muito pela internet outras meninas que estão nesta proposta e assim, fui definindo melhor o que eu queria e o que não queria pra mim.

looks com saia listrada

Eu descobri que uma coisa que sempre amei fazer, que é misturar peças mais elaboradas e caras com peças mais simples é um estilo high low, e esta coisa de detestar usar o que todo mundo usa, de não curtir tendências óbvias e ir contra o “uniforme da moda” de todo mundo, é uma parte da minha personalidade que, no meu modo de vestir se reflete como um estilo descolado/despojado.

Claro que, pra chegar em todas estas conclusões, eu usei muita observação, li muito e conversei muito com outras meninas, que me ajudaram a ME analisar e chegar neste “diagnóstico”.

Existe um aplicativo para celular chamado Tizkka que eu uso bastante onde você pode postar as suas fotos de look do dia e pedir a opinião de outras pessoas, ver looks de outras pessoas, opinar, ver dicas de stylists, procurar inspirações para ocasiões de acordo com o seu estilo e muito mais!

aplicativo tizkka

Todas estas opiniões, inspirações e dicas, me fizeram ir criando meus looks prediletos e certeiros e assim, foi ficando fácil excluir itens que eu guardava só porque achava que um dia (que nunca chegou) eu precisaria usar ou, porque paguei caro no impulso de uma modinha que eu nunca gostei.

O armário cápsula também me ajudou a montar uma mala de viagem super acertada e leve! Passei 4 dias na praia com as peças que combinavam entre si e olha, o número de bagagens diminui muito e o tempo para aproveitar a viagem aumentou muito!

mala de verão armario capsula

A segunda parte do armário cápsula é ir as compras com este conceito bem definido do que é o seu estilo e das coisas que você realmente precisa. Como a troca de peças do armário é de acordo com as estações, eu fui anotando em cada estação quais eram as peças que eu precisei e não tinha assim, no final de cada uma delas fui ás compras para comprar peças da estação passada (o que me garantiu bons preços) e sem me perder com promos, liquidas, sales!

Aqui em São Paulo o clima é meio indefinido então, sofri bastante com a meia estação! Ora estava frio, ora estava calor e eu precisei recorrer às peças que já estavam guardadas em algumas ocasiões mas, a partir do segundo semestre descobri que o truque era o seguinte: manter no meu armário, independente da estação do ano, jaqueta jeans + blazer + blusa de malha + saia longa.

Pra mim, estas peças super funcionaram porque são muito versáteis e ideais para qualquer clima! Aos poucos a gente vai se acertando, né?

Também amo seguir o insta da Polyvore que dá inspirações diárias de cores, combinações, peças e looks. Como ele é americano, segue o clima de lá então, não dá pra levar tudo super a ferro e fogo, mas dá pra se inspirar sempre!

polyvore

Não posso negar pra vocês que meu armário ficou ainda mais cinza depois das mudanças do desafio do armário cápsula! Eu que sempre amei um cinza e cores neutras, acabei indo pro lado destas peças mais básicas porque são muito mais fáceis de combinar e montar looks para qualquer ocasião.

Mas a boa notícia é que o armário cápsula não é só pra quem é “básica”, todos os estilos funcionam com o armário cápsula, inclusive quem ama as super estampas! A questão é apenas aprender a combinar as estampas e cores, os tecidos, os cortes…

Nada que uma boa pesquisada pela internet não possa ajudar!

armario capsula estampas

Toda vez que eu vou fazer compras de roupas, descarto a mesma quantidade que foi comprada assim, as compras são muito mais conscientes e eu mantenho sempre o mesmo número de peças! Ter um estilo básico também não significa que eu não possa comprar peças que estão na moda agora mas, eu confirmei uma coisa que já sabia e achei mega divertido observar!

Muitas coisas que entraram na modinha agora, eu já usava há algum tempo, já tinha no meu armário então, eu nem precisei fazer esforço para estar “na moda” hahaha

E isso não é porque eu me considere “de vanguarda” não! É que eu cresci com uma mãe que amava fuçar em brechós e me ensinou a reconhecer peças clássicas e atemporais e assim, eu sempre tive este olhar mais cuidadoso para estas peças. Sempre valorizei um bom corte, um bom tecido, e isso sem dúvida fez com que as minhas compras fossem investimentos mais acertados e mais duradouros, sabe?

basicos do armario capsula

Bom, pra finalizar este post que está ficando enooorme, algumas dicas práticas que eu aprendi pra quem quer começar o armário cápsula e não sabe por onde:

1 – Não se prenda ao número! Você pode ter 30 ou 100 peças, o que importa mesmo é que você não se perca no conceito de ter peças que combinem entre si e que facilitem a sua vida!

2 – Onça é uma estampa neutra! Vai por mim, dá pra misturar com tudo!

3 – Se você tiver estas peças básicas no seu guarda-roupas, todas as suas combinações ficarão mais fáceis!

armario capsula

4 – Se você é super básica e quer um pouco de cor na sua vida, pode começar a tentar acrescentar estampas e cores nos acessórios! Lenços estampados podem fazer as vezes de cinto, um blazer bem cortado azul royal pode substituir o básico preto e se você gosta de looks sempre pretos, pode começar a usar sapatos mais coloridos ou com estampas!

5 – Se ao contrário, você sempre foi super colorida e estampada e quer tentar um estilo mais sóbrio ou, anda se perdendo em tanta cor, pode começar a tentar mesclar as suas cores com peças mais básicas. Por exemplo, sapatos e bolsas neutros, acessórios e bijouterias menores e assim por diante!

Lembre- se que o mais importante de todo o processo, é que você aprenda a se amar do jeito que você é, que esteja confiante com as suas escolhas e que a pessoa mais importante a quem você deve impressionar e agradar seja sempre você mesma! ;)

Claro que eu continuo com o armário cápsula afinal, agora ele já está incorporado na minha vida de uma maneira tão cotidiana que é impossível fazer de outra maneira. E eu tô sempre compartilhando as minhas escolhas lá no Instagram @bagagemdemae com a #armariocapsula passa lá pra ver!

E se você quer se inspirar em outras garotas que também são adeptas do desafio, procure pelas #capsulewardrobe #desafioarmariocapsula #capsulewardrobechallenge além disso, eu também criei lá no Pinterest, um painel cheio de dicas e inspirações para o armário cápsula. Clica AQUI pra ir lá conhecer e seguir o painel!

Por mais que muita gente ache que moda é apenas futilidade e consumo, eu penso que tem mais a ver com identidade e auto estima. Por isso, não acredito nas coisas que “ditam a moda”, acredito em auto conhecimento, em ser feliz com que nós somos, a nos amarmos e entendermos que a felicidade começa por não precisar da aprovação de ninguém além de nós mesmas! ;)

Quem também resolveu aceitar o desafio? Me contem tudo aqui nos comentários ou lá no Instagram e quem está em dúvida para começar, pode perguntar que eu respondo tudinho, rs!

Bjs! ;)

Categorias Moda

A bolsa de maternidade perfeita!

Quando estava grávida do Pedro, fazendo o meu enxoval, bati o olho no item bolsa de maternidade e a primeira coisa que eu pensei foi: claro que eu vou comprar uma daquelas bolsas tradicionais, fofinhas, azuis, cheias de carrinhos e mil compartimentos…

Assim eu fiz e, por todo o tempo em que esta bolsa esteve parada fazendo composè com a decoração do quarto do bebê, ela super funcionou mas, quando eu tive que usar ela de verdade, eu descobri o óbvio: quem carrega a bolsa de maternidade é a mãe e não o bebê e por isso, não fazia nenhum sentido que a minha bolsa combinasse com a decoração do quarto do bebê! Ela tinha que ter a ver comigo, certo?

Com uns 3 meses de uso, precisei trocar esta bolsa que não era nada prática e me fazia parecer que estava sempre de mudança, por uma que tivesse mais a ver comigo, que combinasse com as minhas roupas e o meu estilo e que ainda assim, tivesse tudo que uma bolsa de maternidade precisa ter: espaço para as coisas do bebê (trocador, fraldas, lencinhos, brinquedinhos, etc), bolsos para mamadeira e copinhos e ainda espaço para as minhas coisas, né?

Achei uma bolsa que “quase” me atendia mas, não era linda como eu queria que ela fosse, e não era tão prática como eu gostaria. Com a chegada da Catarina, ficou ainda mais urgente a necessidade de ter as 2 mãos livres para as crianças e daí, eu aderi as mochilas!

Mochila é vida! Você distribui o peso nas costas, não fica com o ombro dolorido, consegue carregar tudo o que precisa dentro dela e ainda, um filho no colo e outro pela mão.

Problema resolvido? Quase…

Achar modelos de mochilas que fossem lindos e práticos para mães não é uma tarefa super fácil e eu, que sou aloka da bolsa, amo uma bolsa, e sou bem “chatinha” com bolsas, não conseguia me acertar com nenhuma, até conhecer a MiMs – Made it Myself.

Olha só que idéia genial: a partir de modelos pré definidos, você cria a sua própria bolsa, escolhe cores, enfeites, fechos, alças, tipo de couro e no final, a etiquetinha linda vem com o seu nome!

Eu simplesmente amei poder criar a minha própria mochila “de mãe” do jeitinho que eu sempre quis! Olha elaaaaa:

mãe com filhos no colo

Minhas mãos livres para eles! <3

mochila personalizada

By L. Berezutchi! Que amor!! *—*

Para montar esta mochila com a minha cara, eu entrei no site (que é super simples de usar) e fui seguindo o passo a passo, fazendo composições de cores, mudando de idéia, refazendo, até chegar no ideal e daí, quando ela chegou em casa, o amor ficou ainda maior:

site made it myself bolsas

No site, eu fui escolhendo tudo pra deixar do jeito que eu queria…

mochila personalizada mde it myself

Daí, ela chegou assim! Toda linda e do jeitinho que eu fiz! Ela tem fechamento duplo com zíper e tampa e é cheia de compartimentos internos e externos: 2 bolsos laterais que cabe mamadeiras e copinhos, 1 bolsão externo com zíper, 1 bolso interno com zíper e bolsão para celular. Cabe um trocador portátil, tablet e até um notebook pequeno. Para as mães que estudam, também cabe cadernos!!

mochila personalizada mims bags

A Cacá estava me pedindo uma bolsa igual a minha fazia muito tempo então, eu aproveitei que lá no site da MiMs tem muitos modelos lindos customizáveis, e já fiz uma linha “tal mãe, tal filha” super divertida com o modelo Candy Faces:

mae e filha de bolsas iguais

A alegria dela de ter uma bolsa fazendo par comigo! <3

bolsa personalizada candy faces mims bags

Esta é para quando eu for sair sozinha ou com a Cacá para compromissos mais rápidos (em que eu não preciso levar uma “bagagem”) ou festinhas! Fiz a da Cacá com a alça mais curta pra ela poder usar a bolsa no ombro ou carregar na mão e a minha, coloquei uma alça mais longa para usar transpassada.

bolsa personalizada mims bags

Apenas apaixonada! *—*

Minhas MiMs estão fazendo o maior sucesso por aqui e eu não consigo desgrudar mais delas! E se você está procurando aquela bolsa de maternidade perfeita, vai fazer a sua lá no site da MiMs!

Tem todos os modelos que você imaginar: de festa, de trabalho, tiracolo, do tipo country que tá super em alta… Pra quem tá sem inspiração, lá no site você também encontra idéias de modelos e cores que ficam lindas e é claro, brincar de montar e remontar a sua bolsa, até ela ficar como você sempre sonhou, é muito legal!

Super recomendo! Vai lá fuçar (clica AQUI) e depois me mostrem suas criações!

Bjs ;)

tag

Categorias Moda

Armário cápsula: dá pra viver com 37 peças no armário?

armario capsula

Quem me conhece de perto sabe que, eu sou a aloka da organização. Sério, eu tenho tique, TOC, sei lá, só sei que não suporto estar no meio da bagunça!

Aqui em casa, todas as coisas têm os seus devidos lugares e a maioria delas, tem etiquetas, nominhos, cantinhos específicos, cores específicas e por aí vai. Desde que me lembro, sempre fui assim! Eu tenho dislexia, TDAH e sofro muito por não conseguir encontrar um foco e ter mil coisas borbulhando ao mesmo tempo na minha cabeça, ter as coisas organizadas, foi um meio de “sobrevivência” que encontrei.

Agora, imaginem a vida com filhos, que vira mesmo uma loucura, mil coisas a mais para organizar, etiquetar, arrumar, guardar, rotina, pediatra, comida, fraldas, cremes, cuidados… Eu poderia pirar, né?

Quando eu percebi que as coisas poderiam sair do controle e virar uma loucura mesmo, eu foquei em manter tudo o que é deles em ordem. Tipo, esqueci mesmo do que é meu, do que é particular aliás, existe particular ou privado na vida de mãe?

Com toda minha “chatice” por organização, estabeleci com as crianças que, eles podem sim espalhar e bagunçar a casa toda com seus brinquedos, artes e afins, desde que no final da brincadeira tudo volte para seus devidos, organizados e etiquetados lugares!

A nossa dinâmica tem funcionado bem no dia a dia mas, como eu foquei nas coisas deles, o que é meu virou bagunça, e isso estava me matando!

Já faziam alguns meses que eu andava bem irritada com a zona que estava o meu armário, eu não encontrava nada do que eu queria e pior, apesar de fazer limpas semestrais, tirar muitas coisas para doação, a verdade é que eu tirava e colocava de volta peças novas sem nenhum critério, sem nenhuma necessidade real daquelas peças.

No meio disto tudo, estava um final de semana vagando pelo Facebook, quando vi na timeline um link compartilhado por uma amiga que falava sobre o armário cápsula. O que me chamou atenção para o link foi o fato de a tal blogueira que criou o conceito, viver com apenas 37 peças de roupa por estação, ou seja, por 3 meses, ela vive com looks compostos por 37 peças, não compra novas roupas e vai economizando dinheiro, para compras mais objetivas.

Fui clicar para conhecer e entender como funcionava e descobri a Caroline, blogueira de moda do Unfancy. Ela começou com esta idéia porque estava sentindo uma necessidade de ser mais prática, mais funcional, estava meio de “saco cheio” de ter no armário tantas coisas paradas, que necessitavam da atenção dela e queria simplificar a vida.

Para a Caroline, o armário cápsula foi uma maneira que ela encontrou de liberar espaço, diminuir o tempo gasto com as “coisas” e aumentar o tempo gasto com as “pessoas” e também, um jeito de consumir de maneira mais eficiente.

Mas por que 37 peças? A questão, como diz a Caroline, não é o número! Para ela, 37 peças são o ideal, mas você pode ter mais ou menos peças, desde que dentro de um limite que simplifique a sua vida e te faça saber realmente o que está no armário afinal, pra que ter guardadas peças que você não usa, não caem bem, e você nem lembra que elas estão por lá?

Achei a idéia ótima! Tudo o que tiver a palavra mágica “simplificar” ganha logo a minha atenção e, se ela tiver junto dela a palavra “organização”, pronto, tô dentro!

No mesmo dia, resolvi começar esta “revolução” no meu guarda-roupas. Eu já estava adiando a faxina nele haviam meses e então, com este número “mágico” em mente (37 peças), encarei o desafio com os seguintes objetivos: otimizar o meu tempo na hora de escolher uma roupa, aumentar e organizar o meu espaço no guarda-roupas, conseguir visualizar exatamente o que eu tenho no armário e consumir de maneira mais eficiente e controlada.

Se você também gostou da proposta, eu sugiro que você comece com os seguintes passos:

1 – Retire tudo do seu armário, tudo mesmo!

Coloque sob a cama tudo o que está nos seus cabides, gavetas, caixinhas, caixonas, ganchinhos etc. Com esta “visão”, com certeza você se sentirá envergonhada das vezes em que disse a célebre frase “não tenho nada para vestir!” #quemnunca?

armario capsula

2 – Comece a separar as peças!

Roupas de ginástica, pijamas e roupas “de ficar em casa” (aquelas calças de moletom, shortinhos de fazer faxina, sabe?) não entram nas 37 peças então, já separe tudo isso em uma pilha que não será mexida. Depois, com todas as outras peças, faça uma segunda divisão de acordo com a estação do ano. Por exemplo, eu comecei este projeto no final de janeiro/início de fevereiro então, meu armário só precisava de peças de verão (e alguns casaquinhos e calças, já que em SP não dá pra ter muita certeza com o clima).

Separei as roupas de inverno sem me preocupar com quantidades, simplesmente tirei da frente e estoquei em sacos de vácuo para serem olhadas na próxima estação. Com as peças da estação certa em cima da cama, comecei outra separação: 1 pilha de peças que eu amo, 1 pilha de peças para doar, 1 pilha de peças para consertar, 1 pilha de peças que eu não tenho muita certeza.

3 – Diminuindo o volume!

A pilha de peças para doar eu já tirei da frente e coloquei em sacolas, a pilha de peças para consertar passaram por nova revisão, cada peça que eu pegava eu me perguntava: tá, eu não uso isso faz tempo porque precisa consertar, se não uso faz tanto tempo, será mesmo que preciso destas peças?

Aquelas que eu nem lembrava que existiam, foram para a doação e no fim, apenas 2 peças, que eu realmente sentia falta, foram para o conserto. Eliminada a pilha de peças para consertar, parti para a pilha de peças que eu não tinha certeza.

Nesta pilha de roupas, tive grandes revelações: descobri peças com etiqueta e que nunca foram usadas, peças que eu tinha 2 ou 3 iguais, outras que só mudavam a cor, peças que não tinham nada a ver comigo e com o que eu costumava usar e eu nem sabia porque estavam ali, peças que eu só guardava porque tinha ganhado de alguém especial e peças com mais de 10 anos que simplesmente, não tinham mais a ver com quem eu sou agora!

Muitas coisas desta pilha de roupas foram para a doação também e então sobrou a pilha de peças que eu amo! Nesta pilha, estavam as peças que eu sempre usava, que eu sabia que me caíam bem, que combinavam com este ou aquele look, que eram par perfeito para aquela calça X, vestidos, macacões, casaquinhos….

4 – Chegando no número!

Com base no objetivo de reduzir para o número 37 as minhas peças, peguei a pilha de roupas que eu amo e comecei a separar as partes de baixo. Como eu sabia que, para cada parte de baixo poderia ter cerca de 4 ou 5 partes de cima, achei mais fácil escolher logo o que seriam as partes de baixo que eu precisava ter no armário.

Escolhi: 2 shorts jeans, 3 calças jeans de modelagens e cores diferentes (skinny, boyfriend e pantalona), 1 calça social, 1 saia longa e 1 saia midi bandage. Com as partes de baixo escolhidas, as que sobraram foram novamente revisadas, aquelas calças, shorts e saias que eu não usava fazia muito tempo e eu sabia que nem me faziam falta, foram para doação. Aquelas que eu sabia que poderia usar na próxima estação, foram para o “estoque”.

Para cada parte de baixo, escolhi cerca de 4 ou 5 partes de cima, como eu uso muito camisetas e adoro montar looks com camisetas, diminuí de novo com nova revisão, tirando da pilha camisetas que já estavam muito poídas e poderiam ir para as roupas “de ficar em casa”, camisetas que eu já não usava fazia muito tempo foram para doação, e algumas eu separei para conserto ou customização, hehehe!

Assim, eu já tinha 32 peças de roupas mas, queria incluir vestidos e macacões (porque adoro e tenho vários) nos looks e percebi que, teria que abrir mão de mais peças para doação ou, revisar novamente para separar o que poderia ficar para a próxima estação. Diminuí o número de partes de cima para 3 para cada parte de baixo e cheguei no número 24.

Separei estes looks montados e parti para os “trajes completos”, vestidos e macacoes. Fiz nova revisão separando peças que eu usaria mais na próxima estação e peças que foram para doação. No final, fiquei com: 3 macacoes, 1 vestido longo e 3 vestidos curtos chegando no número 31!

Mesmo sendo um armário cápsula de verão, aqui em SP não dá pra garantir que todos os dias serão de sol e assim, eu sabia que precisava de casaquinhos! Separei 1 jaqueta jeans básica, 1 casaquinho de renda neutro e 1 blazer “diferentão” que é curinga para as produções, cheguei em 34 peças e era hora de escolher os sapatos!

Até aqui, devo confessar que foi bem fácil desapegar das peças de roupas. percebi que eu tinha muita coisa mesmo comprada no impulso, e que estas, foram as mais rápidas de desapegar. Na hora de escolher os sapatos foi que o “bicho pegou”!

Eu amo sapatos e bolsas, mais que roupas! E como já tinha 34 peças, teria que escolher apenas 3 pares de sapatos para alcançar o número 37 e eu sabia que isso seria impossível! Resolvi começar fazendo novas pilhas com os sapatos: sapatos para doação, para conserto, para a próxima estação e aqueles que eu amo!

Os sapatos para a próxima estação foram direto para o estoque, os sapatos para doação foram para as sacolas, revisei novamente os sapatos para conserto e acabei doando todos, me sobrou a pilha de sapatos que eu amo.

Nesta pilha, fiz nova separação por “sapatos de festa” (aqueles super saltos e sapatos de momentos especiais), sapatos do dia a dia (rasteirinhas, tênis, sandálias) e sapatos mais “sociais” (para reuniões de trabalho, eventos e afins).

Pensando no meu dia a dia e rotina, cheguei a conclusão de que era melhor priorizar as rasteirinhas e sandálias do dia a dia, escolhi 3 sandálias rateiras bem verão, 1 espadrilhe com salto plataforma que pode fazer as vezes de casual ou social e por isso, é meio curinga também, 1 mocassim estampado, 1 converse branco e 1 saltinho nude bem social para ocasiões mais formais. Cheguei no número 41! Este é o meu número!

Chequei se todos estes sapatos ficavam legais com os looks que eu montei e todos os outros que sobraram, que eu não consegui desapegar, ficaram no estoque para pensar de novo. Como diz a Caroline, “se você sentir falta, ele está guardado e se não sentir, será mais fácil de desapegar na próxima mudança de armário!”

Eu levei 2 dias para conseguir fazer toda esta “curadoria” no meu armário, pelas minhas contas, eu tinha mais de 300 peças de roupas!!! Só de vestidos, eram quase 50, quase 10 macacoes, mais de 15 calças jeans, mais de 50 camisetas… Muita, muita coisa que eu nem sabia mais que tinha!

A primeira sensação que tive quando recoloquei as coisas que sobraram no armário, e vi aquele espaço todo, consegui visualizar realmente tudo o que eu tinha e vi as minhas caixinhas etiquetadas bonitinhas, foi de alívio! Como se um grande “encosto” estivesse saindo da minha vida!

Na primeira semana, a felicidade em abrir o armário e já saber exatamente o que vestir me fez economizar mais de meia hora “largada” na frente dele e também, me fez ficar bem feliz por perceber que eu tinha feito escolhas acertadas para mim!

armario capsula de verão

Na segunda semana, chegou o Carnaval e daí, como fiquei largada em casa, meus looks foram de piscina e de “ficar em casa”, só na quinta e na sexta é que tive compromissos fora de casa e daí, escolher o que usar também foi moleza!

armario capsula

Na semana 3, eu estava de TPM e senti aquela famosa sensação do “não tenho o que vestir”, sentei na frente do armário por alguns minutos (coisa que não fazia há 2 semanas) e então, quando abri as gavetas percebi que sabia sim, exatamente o que colocar, o que me deixava confortável nestes dias em que a gente fica meio “borocoxô”. Isso foi bem legal!

Ajudou a melhorar o ânimo e outra coisa bacana desta semana foi que, eu tive uma viagem bem curtinha em família e daí, na hora de fazer a mala, com os looks todos bem certinhos e poucas peças, fiz a minha mala em 10 minutos, amei! \0/

armario capsula de verão

Estou começando a quarta semana do projeto, eu tenho compartilhado todos os looks, todos os dias lá no instagram @bagagemdemae e também, respondido dúvidas lá no snapchat bagagemdemae quem quiser começar o projeto e tiver mais dúvidas, pode mandar por lá ou por aqui, ok?

Acho que agora, lá pelo meio de março, terei que fazer a mudança do armário para a temporada de outono-inverno. Aqui em SP já começa a esfriar em meados de março e com as chuvas, eu preciso de peças que incluam botas e blusas que neste momento, eu não tenho no armário.

Tô bem confiante que, esta segunda etapa será mais simples e talvez, além de atender os meus objetivos de simplificar a minha vida e me ajudar a consumir de modo mais consciente, eu também consiga finalmente descobrir qual é o meu estilo e comprar somente aquilo que tem a ver comigo de verdade!

Lá no Unfancy, a Caroline disponibilizou um documento de planejamento do armário cápsula, o documento ajuda a colocar no papel tudo o que você imagina como um “armário ideal” para você levando em conta o seu estilo, tipo de corpo e orçamento. Eu não usei o planejamento para começar este primeiro armário porque, precisava sentir que conseguia “sobreviver” com tão poucas peças no armário, agora que sei que é possível, vou completar o planejamento antes de virar o novo armário.

Se você quiser começar com o planejamento, eu traduzi do inglês e criei uma versão que você pode baixar e imprimir clicando AQUI.

No projeto da Caroline, ela inclui guardar dinheiro durante os 3 meses do armário cápsula para, no final, comprar aquilo que você sentiu que faltou ou, peças para o armário da nova coleção ou quem sabe, finalmente conseguir aquela bolsa ou sapato que você sempre sonhou!

O meu objetivo, já que bolsas não entram nas 37 peças, é comprar uma bolsa nova que estou namorando há 1 ano, acho que na próxima estação já vou conseguir, hehehe!

E pra quem me perguntou se dá para fazer armário cápsula com o guarda-roupas das crianças, eu acho que não! Na verdade, nem tentei pois, as crianças sujam e necessitam de muito mais peças de roupas do que a gente!

Aqui em casa, sempre tenho um cálculo por cima de, pelo menos 2 a 3 trocas de roupas completas por dia então, o número 37 fica inviável. Fora isso, as crianças crescem muito rápido e normalmente já perdem muitas peças de roupas, o que me obriga a fazer limpas semestrais e comprar novas peças para as próximas estações, sempre!

Mas eu acredito sim que dá para maneirar e ser consciente na hora de comprar as roupas para os filhos! Confesso que, com eles, também sempre fui meio “descontrolada” nas roupas e sapatos, mas comecei a olhar melhor para as peças que estava comprando repetidas e acumuladas, peças que eles usavam 1 vez e já perdiam e peças que nem chegavam a usar e, dei uma boa freada desde o ano passado.

Então é isso, o projeto armário cápsula tem funcionado muito bem por aqui, tem me feito refletir sobre as minhas escolhas e principalmente, me fez resgatar o meu lado mulher além de mãe já que, dar mais atenção para as minhas coisas, minhas roupas, meu gosto, meu estilo me fez recuperar uma parte minha que eu deixei de lado para atender as necessidades das crianças.

Quem se anima a tentar? Me procurem no instagram, snapchat ou no facebook para contar tudo ou perguntar qualquer coisa! Vamos lá, consumir de modo consciente, lembrar que também temos necessidades e estilos próprios faz muito bem para a cuca (e o bolso) de mãe, eu recomendo!

bjs ;)

Categorias Moda

Design de sobrancelhas, qual o melhor tratamento?

sobrancelhas design

Sobrancelhas são uma coisa esquisita, né? Começa pelo nome, ninguém nunca sabe se fala/escreve sobrancelha, sombrancelha, sobrecelha…

Depois, tem gente que nem liga para elas, tem gente que cuida muitooo, tem gente que tira demais, tem gente que descolore, tem gente que deixa escura e grossa…

Sobrancelha (é assim mesmo que escreve, tá? rs) é uma coisa que a gente só percebe como faz diferença na moldura do nosso rosto, quando a gente mexe! É incrível como você nem percebe a existência dela, mas basta um pêlo estar fora do lugar, pra você já notar ela como nunca, e ficar encafifada sobre como deixar “bonita”.

É claro que, o conceito de “bonito” é muito pessoal, eu, particularmente, detesto os padrões de beleza, detesto me sentir obrigada a me “encaixar” naquilo que as pessoas esperam de mim e por isso, acho que quanto mais natural a gente se preserva, melhor!

Mas, e sempre tem um mas, a verdade é que, eu só comecei a pensar assim, sobre a beleza da naturalidade, depois dos meus vinte e poucos anos. Ou seja, tive uma vida quase inteira para estragar tudo de natural que existia em mim, desde cabelos, que eu já pintei e cortei de tudo quanto foi jeito, até as sobrancelhas, que já foram super finas, super grossas e ultimamente estavam “super estragadas”.

Quando digo “super estragadas”, quero dizer que, depois de anos me submetendo a profissionais de design que não eram profissionais de verdade, usando maquiagem e fazendo a famosa “limpeza caseira”, as minhas sobrancelhas estavam cheias de falhas, tortas e com espaços em que simplesmente o pêlo deixou de nascer, devido ao uso de cosméticos que entopem a saída do pêlo ou, de tanto arrancar o pêlo no lugar errado.

2016-01-01 21.42.11

Eu queria muito ter as minhas sobrancelhas de volta, mas não queria ficar escrava de nenhum padrão ou tendência, não queria sofrer (como se isto fosse possível, quando se fala em tirar sobrancelhas) e especialmente, queria alguma coisa prática e que me devolvesse uma aparência natural e expressiva.

Fui pesquisar sobre as novas tendências em tratamentos para sobrancelhas para ver se encontrava alguma coisa que atendia às minhas exigências e então, conheci o trabalho da Sobrancelhas Design.

Ao contrário dos processos de dermopigmentação, micropigmentação e pigmentação com henna e outras tinturas, a Sobrancelhas Design utiliza o método mais “antigo”, tradicional e natural para encontrar o design perfeito de acordo com o seu tipo de rosto: o desenho e limpeza manual, com pinça e depois, a aplicação de um produto (que é segredo da marca) à base de ingredientes naturais que hidratam a região da pele, estimulam o crescimento dos pêlos novamente e realizam a limpeza profunda e desobstrução dos folículos capilares.

Pra mim, tratamentos como dermopigmentação e micropigmentação nunca chegaram a ser uma opção pois, na prática, eles são um tipo de tatuagem e eu jamais faria algo tão permanente na minha aparência, e muito menos, tão doloroso! hehehe

Sobre a henna, eu tinha dúvidas e então, em um papo com as profissionais da Sobrancelhas Design, elas me explicaram que, a henna é um tipo de tintura que contém metais mais pesados, além da marcação na pele e no pêlo ser mais forte, ela também pode causar alergias, inflamações, obstruir os poros e folículos e não é completamente segura para ser usada com outras maquiagens.

A minha mãe costumava pintar os cabelos com henna, e eu me lembro bem de ela ficar com a testa, nuca e atrás das orelhas manchados por muito tempo, até conseguir “desintoxicar” os cabelos e pele e por isso, fiquei com receio mesmo deste processo.

Com tantos pontos a favor, resolvi ir testar o procedimento da Sobrancelhas Design e vou compartilhar com vocês o passo a passo ;)

As clínicas da Sobrancelhas Design, que estão espalhadas em praticamente todo o país, oferecem tratamentos que vão desde a recuperação de sobrancelhas muito “estragadas” até, maquiagens de manutenção para eventos ou períodos especiais e depilação facial.

No meu caso, fui fazer o tratamento de restauração das sobrancelhas, o primeiro passo é preencher uma ficha na recepção com todos os seus dados e informações sobre tratamentos, processos químicos ou cirúrgicos que você já tenha realizado na região e gosto pessoal.

Cada cliente recebe um kit individual de tratamento que é composto por: algodão especial que não solta fios, escovinha e o produto a ser aplicado. Já dentro da sala de atendimento, a primeira profissional realiza uma limpeza de pele superficial, pergunta as suas preferências, se tem alguma coisa que você queira, não queira, que te incomoda, etc. e, baseada nas suas características físicas e simetria do rosto, realiza o primeiro desenho para harmonizar as linhas do rosto e depois, uma outra profissional usa uma pinça Tweezerman (a melhor e mais precisa do mundo) previamente esterilizada, para remover os pêlos que estiverem fora do desenho.

sobrancelhas design

No segundo passo, a primeira profissional retorna e faz um novo desenho, desta vez, com a pele já limpa e a área das sobrancelhas “controlada”, ela desenha como a sua sobrancelha deveria ser, ou como ela seria naturalmente.

Com um espelho de mão, ela te mostra o novo desenho, onde estão as falhas que precisam ser corrigidas e pergunta se você gostaria de alguma coisa especial. Se você quiser uma sobrancelha bem arqueada e marcante, por exemplo, a profissional pode te orientar sobre qual o melhor desenho.

As designers da clínica são profissionais especializadas de verdade, antes de atender qualquer desejo seu, elas checam a simetria do seu rosto, cor de pele, de cabelo e então, te orientam para que você obtenha o melhor e mais natural resultado possível. Com tudo isso acertado e discutido com a profissional, é hora de aplicar o produto e aguardar a reação.

sobrancelhas design

O produto é aplicado dentro do desenho feito pela designer e o tempo de reação depende do tipo de resultado que você deseja. No meu caso, eu queria que cor e aparência fossem o mais natural possível e por isso, levou cerca de 20min com o produto aplicado.

Se você deseja uma sobrancelha mais marcada, a cor do produto pode ser acentuada e o tempo de reação do produto, aumentado.

Como ele contém pigmentos, é desaconselhado para grávidas e mães que amamentam e é necessário fazer um teste de reação alérgica antes da aplicação. Após o prazo estipulado, a profissional remove o produto, aplica um gel suavizante para desinchar e limpar profundamente a pele e você vai para a sala de finalização.

design de sobrancelhas

Na sala de finalização, uma outra profissional te mostra com um espelho de mão as novas características da sua “nova sobrancelha”, tira todas as suas dúvidas, dá dicas de manutenção e maquiagem e explica como se dará o processo de clareamento dos pigmentos e a necessidade da manutenção.

Se você quiser, a profissional de finalização também faz uma make básica para você sair de lá já prontinha para a balada! hehehe

A Sobrancelhas Design também tem uma linha própria de maquiagem que segue os princípios orgânicos do tratamento ou seja, são produtos que não agridem ou entopem os poros, protegem e hidratam a pele e fixam bem sem agredir.

design de sobrancelhas

Eu gostei muito do resultado, além de re-desenhar as sobrancelhas, eu também fiz a depilação facial com linha egípcia orgânica. O procedimento dói pra caramba, não vou mentir, mas é a maneira mais eficaz e natural de remover pêlos do rosto e buço sem correr o risco de inflamações e alergias.

Para ter resultados ainda melhores, o ideal é realizar pelo menos 3 sessões, a primeira de correção e mais 3 de manutenção. Como o produto tem a função de fazer nascer os pêlos faltantes e devolver o volume e formato das suas sobrancelhas originais, com o tempo, você só precisará limpar o que nascer fora do lugar e o desenho será mantido, sem precisar sofrer de novo! Ufa!

O tempo de duração do pigmento na pele é de 5 dias e no pêlo, de 20 a 30 dias. O ideal é que as manutenções sejam realizadas a cada 20 dias, e a durabilidade do processo vai depender de como você vai cuidar delas daqui pra frente!

Ter as sobrancelhas desenhadas pode até parecer alguma das muitas “torturas estéticas” que as mulheres se submetem “em nome da beleza” e a questão “pêlos” é sempre muito pessoal mas, eu acho muito bom quando aparecem técnicas assim, naturais e seguras para consertarem nossos erros do passado.

Talvez, se eu nunca tivesse tirado as sobrancelhas, não tivesse que passar por isso agora, mas como tirei, todo mundo merece uma segunda chance de se sentir bem consigo mesma, sem sofrência, né? Além disso, ter as sobrancelhas expressivas e bem desenhadas, me economiza horas de maquiagem e traz mais praticidade no meu dia a dia.

Quase nunca eu tenho tempo de fazer aqueeeeela super make linda para sair de casa, sempre fui meio desencanada com isso e, depois que as crianças nasceram, tô sempre na correria. Mesmo assim, não abro mão de usar o meu “kit emergência”, composto por base com protetor solar, rímel e brilho labial e agora, com a sobrancelha mais marcante, tá sempre parecendo que eu me produzi, adorei! ;)

design de sobrancelhas

design de sobrancelhas

Eu e Cacá, de macacão combinandinho para um passeio de férias! Eu estou completamente sem maquiagem, e feliz assim! :)

Se você também está querendo dar uma levantada no olhar, as meninas queridas da Sobrancelhas Design Pompéia (onde eu realizei meu procedimento), toparam oferecer para as leitoras aqui do blog 15% de desconto no combo de 3 sessões! Basta ligar lá, agendar seu tratamento e dizer que viu aqui no blog! Ebaaa!

Serviço

Sobrancelhas Design Pompéia

Rua Cotoxó, 1099 – Pompéia – SP

fone: (11) 3871-3939

Horários: de seg a sab das 9h às 19h

Depois, venham me contar se curtiram os resultados, e quem já fez outros, me conta também!

Bjs ;)

Categorias Moda, Vida de Mãe

8 idéias de customização de camisetas

Eu amo camisetas e amo mais que tudo, customização de camisetas! Quem tá acompanhando o blog direto, leu neste post AQUI todo o meu envolvimento emocional com a coisa de “criar” com as minhas próprias mãos, tudo aquilo que eu quero e não encontro por aí.

E quem já me segue faz tempo, sabe que eu amo colocar a mão na massa e fazer as minhas “invencionices”, seja para a festinha das crianças, seja para reaproveitar móveis, brinquedos ou, roupas!

Com a chegada do verão e estréia de Star Wars, o filme mais aguardado do ano, eu resolvi fuçar nas minhas gavetas para decidir com qual camiseta eu iria com as crianças assistir ao filme. Como vocês devem imaginar, como boa fã da saga que sou, tenho várias mas, ando “caída” de amor pela minha própria coleção “Tal Mãe, Tal Filhos”, desenvolvida em parceria com a loja Leão Leãozinho e por isso, decidi ir com uma das opções (sim, são várias! rsrs) das camisetas Star Wars da minha própria coleção! Uhuuu!

Mas, além de ter a minha própria coleção de estampas escolhidas a dedo por mim, eu quis deixar a minha camiseta ainda mais com a minha cara, meu estilo, repaginar ela e transformá-la em uma “blusinha” que eu vou usar muito e para várias ocasiões. Olha só:

star wars

Pedro, ama tirar fotos #soqnão rsrs

Pra deixar a minha camiseta assim, eu usei só tesoura e o passo a passo é este aqui:

camiseta star wars

Eu sempre compro minhas camisetas pelo menos 2 números maior do que costumo usar, faço isso por 2 motivos: eu normalmente customizo todas elas e por isso, elas precisam ser maiores pra eu poder cortar e, se não for customizar, gosto de camisetas bem largas e confortáveis. Para fazer este modelo igual ao meu, você precisa seguir assim:

1 – Corte a gola, as mangas e a costura da barra da camiseta; 2 – Corte um V profundo nas costas da camiseta; 3 – Dobre a camiseta no meio, de lado (como na foto) e corte fazendo um bico da frente para as costas, isto vai deixar a camiseta mais curta na frente e mais comprida atrás e, dar o caimento necessário para a amarração; 4 – Pegue a gola da camiseta, abra e use-a como se fosse uma fita; 5 – Vá amarrando os 2 lados da camiseta pelas costas até o final da “fita-gola” e 6 – dê um nó bem charmoso, tá pronta!

Além de muitas opções de peças para a família com o tema Star Wars, a minha coleção de camisetas, lá na loja Leão Leãozinho, tem muitas outras estampas de coisas que eu amo! Séries, música, fofuras…

Olha a customização que eu fiz com a linha Game of Thrones:

camiseta got

Cacá linda! <3

Achei que como “Mãe de Dragões”, eu precisava ter “asas” nas costas e daí, pensei bastante e saiu assim. Eu gostei muito do resultado (embora o Pedro tenha falado que ficou parecendo umas “costelas” nas costas! hahaha) e além de ter curtido, é bem fresquinha para o verão, do jeito que eu gosto!

Para fazer estas “asas” nas costas, o passo a passo é este aqui:

camiseta got customizada

Este é um pouco mais trabalhoso mas, você só vai precisar de tesoura, canetinha e papel! Siga assim:

1- Corte a gola, as mangas e a barra da camiseta; 2 – Meça nas costas onde você pretende colocar as asas, eu usei como gabarito 2 folhas de papel A4; 3 – Desenhe meio coração em casa folha de papel, você precisa usar a folha toda!; 4 – Transfira o desenho para as costas da camiseta usando-o como estencil, você precisa colocar os lados do coração invertidos para não ficar parecendo um coração e sim “asas” (ou costelas! rsrs); 5 – Corte tiras dentro das “asas” e está pronto!

Quem pensa que eu uso estas camisetas customizadas só pra ficar em casa, ou de final de semana porque elas ficam muito “relaxadas” e não dá pra usar no dia a dia, eu digo que depende muito do seu estilo e de onde e com o que você trabalha. Eu amo mesclar as camisetas com peças mais formais e assim, vou para reuniões de trabalho, reuniões com clientes, eventos, viagens e afins sem nenhum problema e super confortável!

Olha esta outra customização que eu amo e é super simples de fazer:

camiseta DIY

Robofoot com estilo! hahahaa

Quando as camisetas são mais do tipo “apertadinhas”, também tem muitas opções de customizações possíveis, eu sou fã daquelas que dispensam agulhas e tesouras, viva a praticidade! hehehe

Achei estas outras idéias no Pinterest, e tô pensando em testar em alguns outros modelos de camisetas que eu tenho aqui, olha só:

idéias de customização

Ah, e já que eu comecei tudo isso por causa da estréia do novo filme Star Wars, olha as outras camisetas da minha coleção:

camisetas star wars

Pedidos feitos até o dia 12 chegam a tempo para o Natal então, corre lá para garantir o presente dos fãs de Star Wars por aí e olhar todas as outras estampas e idéias de camisetas da minha coleção que eu amooo! <3

Outra coisa importante, pra quem gosta de customizar é, ao invés de pensar em comprar camisetas “baratinhas” para fazer isso, se você vai customizar, tem que pensar justamente ao contrário! A malha precisa ser boa, a confecção de qualidade e a costura certinha se não, quando você cortar a gola e as mangas, corre o risco de a camiseta se desfazer inteira ou na hora, ou na primeira lavagem!

Além disso, uma costura mal feita, torta e desalinhada, vai deixar mais difícil você acertar as medidas de cortes na hora de dobrar e transferir desenhos para a camiseta!

O mais gostoso de tudo isso é que, pra mim, é como terapia passar algumas horas olhando para as camisetas e depois, cortando e dando outra cara para elas, e eu sei que tô passando a mesma “herança criativa” de família quando vejo as crianças fazendo isso, com os restos de tecido que sobraram das minhas invencionices:

kids

Crianças criando…

caca

Cacá e sua filha com as roupinhas que ela “fez”! hihihi

Muito amor, né? E vocês, também amam invencionices? Tem outras idéias de customização ou estampas que gostariam de ver? Me contem que a gente inventa junto! hehehe

Inspirem-se e bom final de semana!

Bjs ;)

PS1: Morri de vergonha de ser a “modela” destas fotos, mas não tinha outro jeito de mostrar! rsrs

PS2: Antes que os amargos venham dizer: mas pra quê fazer isso? Porque eu gosto, eu podia comprar assim, mas eu prefiro fazer porque é muito mais legal! ;)

Categorias Moda

Moda gestante: inverno

Tem gente que diz que prefere estar grávida no verão, pra aproveitar os vestidinhos curtos, os longos, as rasteirinhas e ficar bem à vontade, sem nada “apertando” o barrigão. Eu concordo, é muito mais fácil se vestir grávida no verão do que no inverno!

Mas, eu preciso confessar que, amo o inverno! Amo o friozinho, amo usar botas, casacos e jaquetas e como estive grávida nas 2 épocas do ano, ainda posso dizer com conhecimento de causa que preferi estar barriguda no inverno porém, reconheço que o inverno traz uma dificuldade para as grávidas: onde encontrar moda gestante com calças quentinhas e confortáveis?

Graças a Deus, a moda está cada dia mais democrática e por isso, hoje em dia, dá pra encontrar muitas opções de calças lindas que não apertam e são ideais para o dia a dia, para festas e para o trabalho. Pra quem não abre mão do jeans, a Zazou tem uma opção muito interessante de calças com ajuste:

jeans zazou

jeans zazou

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na minha gestação, abri mão do jeans e passei a amar de paixão os modelos em viscolycra com gancho sarouel. Mega confortável!

calça para gestante

calça para gestante

Usei muitoooo estes modelos da Maria Barriga! <3

 

Para as mães que trabalham fora, modelos mais acinturados, bem cortados e elegantes também são possíveis. Olha estas sugestões da Megadose:

calça gestante

Apaixonada por esta pantalona estampada!

 

calça gestante

Cor maravilhosa e cós mais alto super confortável!

 

Também dá pra usar vestido no inverno sim! Escolha um modelo confortável e uma meia calça de compressão que não aperte demais a barriga. Eu gostei desta dupla: vestido Emma Fiorezi + meia calça materna Sigvaris:

vestido gestante

Adoro esta marcação na barriga! <3

 

meia calça gestante

Meia calça de grávida não precisa ser naqueeele tom de pele que ninguém gosta! Existem opções de cores, com ou sem ponteira e se você optar por um modelo, como este da Sigvaris, ainda previne o surgimento de varizes e diminui o inchaço!

 

Eu sou #aloka do macacão e adorei esta opção de malha da Zazou:

moda gestante

Um sapatinho fechado, uma jaqueta jeans ou blazer por cima e pronto! Uma peça versátil para a gravidez no friozinho e para depois que o bebê nascer!

 

Na hora de fazer comprinhas de inverno, lembre-se:

– Você não precisa comprar calças em numeração maior do que você costuma usar. As calças específicas para gestantes já têm o corte específico e por isso, você só precisa encontrar o tamanho que normalmente usa e ele estará “modificado” para acomodar o barrigón!

– Na hora de escolher blusas e agasalhos, opte pelos com abertura frontal. É mais fácil de ter certeza que vai servir por toda a gravidez e são mais versáteis para várias combinações. Se optar por modelos fechados, procure por peças especiais para grávidas (que já terão o caimento apropriado para seios e barriga) ou, dê preferência para tecidos respiráveis e ajustáveis.

– Cachecóis, xales ou as golas de tricô também são boas opções para compor o visual sem precisar de tantas peças de roupa.

– Talvez, por causa do inchaço nas pernas, aquela sua bota de cano alto não entre ou não feche o zíper, calma, vai passar! Se você pretende investir em uma agora, durante a gravidez, opte pelos modelos com zíper e elástico, evite apertos!

Para te inspirar e te provar que dá sim para ser grávida e linda no inverno, separei algumas celebridades que eu adoro, lindas, gente como a gente, com looks inspiradores e fáceis de copiar:

moda gestante

-Perfect: Sou apaixonada pela Olivia Wilde e este look dela do dia a dia é o meu predileto! Calça jeans confortável, bota baixinha, casacão e cachecol. Pronta pra encarar o frio em um dia de traballho, compras, passeio….

– Chic: Kate Middleton é talvez a grávida mais bem vestida dos últimos tempos! Este vestido super clássico está pra lá de lindo para um dia de trabalho!

– Gente com a gente: Jéssica Simpson, completamente “gente como a gente” vestiu uma calça sarouel, regata, jaqueta jeans, apoiou a primogênita no barrigão e partiu pra luta. Linda!

– Work: Sienna Miller ficou uma graça com camisa de listras horizontais (que evidencia o barrigão), jeans e casaquinho. Este look é super confortável para um dia de trabalho mais informal.

– Tribal: Alessandra Ambrósio simples, confortável e tendência com este caftan de estampa tribal. O corte do casaco, que é bem amplo, pode acompanhar toda a gestação sem problemas. Bom investimento!

– Style: eu amooo a Drew Barrymore e seu jeito todo estiloso de ser. Para o dia a dia ela não abriu mão de um jeans boyfriend e botas baixas e para uma festinha ou ocasião mais “arrumadinha”, vestidinho meio boho que deixou ela super delicada. Adoro!

Roupas para gestante podem até ser mais caras que as roupas “comuns” mas, eu sempre acho válido o investimento. Pelo tempo que você estará grávida, a peça praticamente “se paga” e fora isso, se você investir em boas peças, ainda poderá usá-las até que o seu corpo “volte ao normal” ou ainda, guardá-las para a próxima gestação, quem sabe?

E então, inspiradas para ficarem grávidas lindas neste inverno? Me contem suas dificuldades, descobertas e me mostrem seus looks lá no instagram @bagagemdemae, vou adorar!

#ficadica ;)

Categorias Moda

4 penteados rápidos de verão para mães sem tempo

Faça frio ou faça sol, desde que me tornei mãe uma coisa é sempre certa: eu não tenho tempo para penteados super elaborados e nem para super cuidar do meu cabelo. Eu preciso de praticidade mas, como toda mulher, mãe também gosta de estar com os cabelos lindos e de se sentirem lindas, não é?

Eu adotei um corte de cabelo médio e para  o dia a dia, é muito comum que você me encontre por aí com o cabelo preso por uma presilha num coque todo bagunçado #quemnunca mas, nestes dias de verão e para os compromissos de trabalho, resolvi procurar por penteados rápidos e fáceis que não precisam de secador, babyliss, trocentos acessórios ou muita prática e jeito (porque eu não tenho nada disso!) e resolvem o seu visual em no máximo 5 minutos!

Olha só:

1 – Coque rosquinha

Dia destes fui passear no shopping e numa desta lojas de bijouterias encontrei este acessório que dá suporte ao coque rosquinha, na verdade, eu nem sabia o que era e perguntei pra vendedora que me explicou até como fazia. Super simples, amei, comprei e testei!

Fiz uma montagem de passo a passo para vocês verem como é simples, meu cabelo é bem repicado e deu certo sem dificuldade!

 

2 – Coque entrelaçado

Este aqui é super simples! Você basicamente faz um rabo de cavalo comum, passa ele mesmo por dentro do elástico, aperta, passa de novo e de novo até estar preso por inteiro, prende a ponta com um grampo ou presilha e pronto!

Outra opção que também deixa bem bonitinho, é fazer uma trança com cabelo que passou torcido dentro do elástico e depois, passar a trança dentro do elástico de novo e de novo até o final!

coque entrelaçado

1- Faça um rabo de cavalo baixo; 2 – passe o cabelo por dentro elástico; 3 – puxe para ficar bem preso; 4- passe o cabelo de novo por dentro do elástico, quantas vezes for preciso para prender o cabelo todo e depois prenda a ponta! *

3 – Coque para cabelos curtos

Quem tem os cabelos na altura do queixo sofre com aquele dilema: não dá pra prender todo porque está curto demais, e não refresca porque não está curto o suficiente! Este coque de cabelos torcidos é bem simples de fazer, funciona para este tipo de corte de cabelo e fica bem bonito!

coque cabelo curto

1 – Separe o cabelo em duas partes lateralmente, frente e trás; 2 – torça a parte da frente; 3 – leve o cabelo torcido para a parte de trás; 4 – prenda com um grampo; 5 – repita com a outra parte; 6 – prenda as duas pontas juntas e 7 – passe spray fixador se voce quiser deixar os cabelinhos “rebeldes” bem presos!*

4 – Rabo de cavalo triplo transpassado

Com o mesmo princípio do coque transpassado, a diferença neste penteado é que ao invés de prender o cabelo todo em um coque, você vai deixar solto e o efeito é lindo!

rabo de cavalo transpassado

1 – Faça 3 rabos de cavalo: 1 com a parte de cima do cabelo, um com a parte do meio e um com a parte de baixo, o primeiro rabo precisa estar mais alto que o segundo e assim por diante; 2 – passe o cabelo por dentro do elástico no primeiro rabo de cavalo; 2 – passe o cabelo do segundo rabo de cavalo por dentro do elástico para deixar torcido depois, passe o cabelo do primeiro rabo de cavalo dentro do segundo; 3 – repita a operação com o terceiro rabo de cavalo passando o cabelo do primeiro e do segundo rabo por dentro do terceiro e está pronto!*

Estes são os penteados que têm resolvido a minha vida na correria do dia a dia, claro que todos eles com base no meu tipo de cabelo, eu não tenho como falar de penteados para cabelos cacheados se não tenho esta experiência, né?

Por isso, tô doida para complementar o post com idéias de quem tem cabelos cacheados, coloque aqui nos comentários as suas idéias, fotos ou links e bora ficarmos todas mamães lindas e fresquinhas neste verão!

Bjs ;)

* imagens Pinterest

Categorias Moda

Cinta pós parto: melhores modelos

Muitas listas de enxoval incluem, para a mamãe, a cinta pós parto. Mesmo que você não encontre este acessório na lista, com certeza já ouviu alguma amiga falar sobre isso ou, em algum grupo de mães no Facebook, no prédio na pracinha…

Mas, será que precisa mesmo usar a cinta pós parto? Qual o melhor modelo? Até quando usar?

O uso da cinta pós parto é recomendado normalmente pelo obstetra, apesar disso, ela não tem nenhuma recomendação médica, não tem nada a ver com “colocar o útero no lugar”, “fazer a barriga desinchar mais rápido” ou “voltar pra o lugar mais rápido”, tem a ver apenas com o conforto que ela proporciona para a grande maioria das mulheres.

Pensa comigo: você passou nove meses com um barrigão enorme e de repente, de um dia para o outro, o barrigão sumiu, o útero e todos os seus órgãos internos estão meio “soltos” dentro de você, voltando às suas posições de origem e então, é super normal que você se sinta desconfortável até que seu corpo volte ao que era antes (e isso não tem nada a ver com emagrecer, ok?).

Além disso, para aquelas que fizeram cesariana, o uso da cinta pode trazer mais segurança para levantar, sentar e movimentar-se já que, com tantos pontos, é normal ficarmos com medo de movimentos bruscos que possam abrir os pontos ou mesmo, causar algum tipo de dor.

Então, o uso da cinta é completamente estético, e não medicinal. Isto posto, saiba que, o uso de qualquer modelo de cinta não está indicado nos seguintes casos:

  • Se a mulher fez uma cesariana e há inflamação nos pontos;
  • Se há sangramento além do normal.

Quando eu estava grávida do Pedro, peguei uma lista de enxoval que incluía a cinta pós parto, eu nunca havia usado cinta antes e daí, na hora que fui procurar, tomei um susto com tantos modelos e preços!

Escolhi um modelo tipo “bermuda”, ele tinha pernas até o joelho e subia até embaixo dos seios, ele era todo de microfibra e elastano e não tinha nenhum tipo de abertura lateral ou entre as pernas, era assim:

cinta pós parto

Eu me arrependi muito de ter escolhido este modelo porque, ele me dava muito trabalho para colocar e tirar, as pernas longas também não ficavam legal com todo tipo de roupa e então, 1 mês depois de sofrer com ele, optei por um outro, sem pernas, da virilha até embaixo dos seios com abertura lateral em colchetes:

cinta pos parto

Este modelo me acompanhou por muito tempo, acho que usei até quase 5 meses de vida do Pedro e então, passei a usar as calcinhas comuns sempre altas e com a parte da frente mais reforçadinhas, até voltar a usar os modelos de antes da gravidez e me sentir bem com elas.

calcinha pos parto

Quando engravidei da Cacá, decidi testar o modelo “body”, sem pernas, começava na virilha e tinha sutiã de amamentação incluso, a parte do abdômem era bem reforçada e tinha abertura entre pernas, eu amei!

cinta pos parto

Comprei um modelo na cor branca e outro na cor chocolate e usei muito, eles iam com qualquer roupa, eram práticos para colocar e tirar, para usar o banheiro, não incomodavam na região do corte da cesariana e com a abertura para a amamentação, eram bem práticos, super recomendo!

Na hora de escolher o seu modelo, é importante observar o seguinte:

  • Ele não deve “apertar”, não precisa machucar, precisa estar confortável. A intenção é que a cinta te deixe segura para se movimentar;
  • A cinta ideal deve cobrir todo o abdômem, ela não pode pressionar apenas a parte de baixo pois, isso pode causar inchaço e acúmulo de água;
  • Na hora de escolher o tamanho, opte pelo tamanho que você usava antes de engravidar, pode ser que ele fique justo demais nos primeiros dias, e depois fique adequado. Se estiver muito apertado mesmo, compre um tamanho maior!
  • Escolha modelos que você possa vestir e tirar sozinha. Que facilitem a sua rotina de amamentação, que não fiquem te incomodando o dia inteiro.
  • O ideal é que você espere pelo menos 48h após o parto para começar a usar a cinta, especialmente as mulheres que fizeram cesariana pois, este é o prazo normal que o intestino volta a funcionar e é legal ter certeza que está tudo bem antes de sair “apertando” as coisas todas, né? rs

Você pode usar a cinta por quanto tempo achar necessário, até que se sinta segura para sair sem ela. Eu usei com o Pedro até os 5 meses de vida dele e eventualmente quando ia sair pra algum lugar, passar o dia fora e etc. Com a Cacá, usei por até quase 1 ano de vida dela, como optei pela cinta tipo body, conseguia usar com mais modelos de roupas e aproveitei bastante.

Se você está montando o seu enxoval de mamãe, minha dica é que você invista mesmo em um bom modelo, um modelo mais caro mas, de qualidade e, teste. Só usando para saber se ele será adequado para você, se você vai se adaptar ou não.

Não esqueça: a cinta é para te deixar segura e confortável, e não “magra”. Não caia na armadilha desta neura pós parto, tudo tem seu tempo, um corpo que se transformou em nove meses não vai voltar ao que era antes do dia para a noite, né?

Quando esta fase de reencontro com seu novo corpo de mãe passar, você se sentirá segura para voltar a usar toda a roupa íntima que sempre usou ou, descobrirá novas, que se adequam melhor ao seu momento. Aqui no blog tem um post super completo falando sobre todos os tipos de calcinhas e sutiãs para todos os tipos de corpos, dá uma olhada clicando AQUI.

Bjs ;)