Categorias Moda

Laços, fitas e tiaras para meninas: modelos e cuidados

Quem me acompanha a mais tempo sabe que, logo que descobri que estava grávida da Cacá, passei uma fase bem complicada de negação. Demorou um pouco até que eu começasse a aceitar a idéia de que estava grávida de novo, de uma menina, e que isso era maravilhoso!

Passada esta fase, resolvi mergulhar de cabeça neste mundo de fofurices de meninas! Comprei muitos laços, fitas e tiaras pensando em “embonecar” a minha pequena princesa que estava para chegar.

Daí, quando ela nasceu eu simplesmente não consegui usar nela, nada do que comprei! Descobri que, aquela cabecinha frágil e delicada não poderia ser “adornada” com qualquer enfeite, também descobri que a Cacá ficava muito irritada com coisas no seu cabelo e por fim, me dei conta de que, ela já era tão linda, que eu nunca conseguia incluir mais nada em sua perfeição! #soudessas hihihi <3

Á medida em que ela e os cabelos dela foram crescendo, achei que poderia arriscar usar alguns acessórios e daí, comecei a fazer uma triagem por aqueles que eu considerava mais seguros! Eu escolhia assim:

  • Optava sempre por faixas ao invés de tiaras com armação pois, sendo ela ainda bebê, eu tinha muito medo de ela arrancar da cabeça e se machucar!
  • Evitava modelos que tivessem bordados miúdos como pérolas, lantejoulas e afins que poderiam ser arrancados por ela e enfiados na boca, nariz, ouvido…
  • Evitava fivelas daquele tipo “tictac” que não fossem encapadas por inteiro! Como elas tem uma pontinha de metal, eu tinha medo de ao pegar no colo ou alguma coisa do tipo, ela pudesse se machucar com aquilo então, sempre optava por modelos que eram encapados com tecido!
  • Na hora de escolher as faixas, eu sempre preferia as feitas com malha ou nylon (porque estica bem) e evitava as feitas com elástico em toda a volta.
  • As minhas prediletas eram/são as faixas de tecido bem estampados e coloridos (porque não precisa de bordado) e que têm elástico só na parte de trás assim, não fica apertando a cabeça dela.
  • Hoje em dia, ela já usa tiaras de armação mas, sempre opto por modelos que tenham as pontas encapadas e não sejam muito justas, pra não machucar a cabeça!
  • Também usamos tictac e outros modelos de fivelas, mas ainda continuo preferindo as encapadas!

Dei uma vasculhada nas fotos antigas da Cacá e também pela internet, e achei vários modelinhos diferentes e lindos de faixas, fitas e tiras para pequenas princesas em todas as fases, olha só:

faixa de bebê

Cacá aos 7 meses com uma faixa de tecido de algodão! Amavaaaa este modelo da Bebê Básico!! <3

faixa de bebe

Modelo com fita de nylon e laçarote bem grande! A fita de nylon não aperta a cabecinha do bebê!

faixa para bebê

Outro modelo com fita de nylon e uma flor de feltro! Achei no Etsy!

faixa de bebe

Mais uma idéia de faixa fininha com feltro! A base é de nylon com corações de feltro sobrepostos! Uma graça!

faixa para bebê

faixa para bebê

faixa para bebê

Super estilosa e mega confortável, a faixa de malha dá pra fazer em casa! A Marina, do blog Petit Ninos, ensinou a fazer neste passo a passo AQUI

faixa de cabelo

O resto de uma meia calça de lurex também pode servir de faixa de cabelo! <3

faixa de cabelo

Amooo estes modelos com tecido super estampado e nó!

tiara de cabelo

Este modelo com armação (da Brandili) também é dos nossos prediletos! Delicado e todo revestido para não machucar!

fita de cabelo

modelo de laço mega fofo da Gumii!

laço de cabelo

Modelo mini bico de pato todo revestido. O charme ficou por conta da posição do laço! Amei a idéia!

laço de cabelo

Modelo de tictac da Cacá! Ele é todo encapado e tem uma flor de cetim!

E onde comprar? Bom, eu acho que depende muito do seu estilo e dos modelos que você e a pequena mais curtem!

Eu adoro os modelos artesanais, mas sou bem chata com detalhes então, não consigo comprar “qualquer um”, aprecio muito a delicadeza do artesanal, mas sem exageros, sabe? Quando quero comprar peças assim, dou uma olhada nos seguintes sites:

www.elo7.com.br

www.tanlup.com.br

www.etsy.com (apenas alguns artesãos entregam no Brasil, fique atenta!)

www.lacaroty.com.br

Quando estou querendo coisas mais despojadas e moderninhas, eu dou uma fuçada nestes aqui:

www.bebestore.com.br (procure por Gumii)

www.bebebasico.com.br

E em lojas físicas como Acessorize London (tem lojas em alguns shoppings de todo o país), PampiliLilica&Tigor1+1Fábula e de lojas de departamento como Renner, Zara, Forever21, C&A e Riachuelo.

Tão gostoso brincar de boneca com as nossas bonecas de verdade, né? hehehe

bjs ;)

 

Categorias Moda

Fantasias de carnaval para bebês

Tem bebê debutando no Carnaval por aí? Eu vou confessar que não sou super fã do ziriguidum mas, desde que me tornei mãe, passei a amar a festa, as fantasias, as cores, a alegria que as crianças ficam…

Sabe aquele ditado “se não pode vencê-los, junte-se a eles!”? Então, já que as crianças amam o Carnaval, resolvi entrar na onda também e amo fazer as produções deles!

Estava fuçando por aqui, pelo Pinterest (vai seguir meus painéis !) e achei umas idéias mega fofas para quem pretende curtir a folia com os bebês. Tem idéias para quem vai levar os pequenos no canguru, idéias para pequenos no carrinho, idéias para pequenos que engatinham e idéias para aqueles que estão aprendendo a caminhar!

O mais legal de tudo, é que é tudo super simples e no estilo “faça você mesmo”!

fantasia de cenoura

O que dizer desta cenoura mais fofa?! <3 O body laranja nem precisou ser mexido, bastou uma tiara de feltro com tule que imitam folhas e pronto, uma cenourinha!! Ainnn….

fantasia abacaxi

Se você não gosta de cenouras, que tal o abacaxi!! Tiarinha de feltro feita em casa!! Fofuraaaa!!

fantasia wally

Ok, chega de pensar em comida, onde está Wally?? hahahaha Muito fofo! Fantasia feita com body branco e aplicações de feltro vermelho!

fantasia olaf

Quem quer um abraço quentinho?? \0/

fantasia circo

O que dizer desta fofura com body listrado que ganhou um bigodón e virou fortão? hahaha

fantasia mergulhador

Bora explorar o oceano? hihihihi A chupeta ganhou um cabo que conecta no “balão de oxigenio” feito com garrafa pet! Por cima dos sapatos, feltro imitando pé de pato. Amei!

fantasia charlie brown

Poxa que poxa, Charlie Brown mais fofo, tem? hehehe Uma camiseta amarela, apliques de feltro e pronto! Adoooro!

fantasia tartaruga

E o que dizer deste aprendiz de Tartaruga Ninja? Casco feito com papelão, que amor!

fantasia dançarina

Quem tem uma pequena dançarina por aí? Ai que fofureza!!

fantasia harry potter baby

Não sei dizer, só sentir! Mini Potter em seu super carrinho mágico! hihihihi

fantasia Ariel baby

Opa, Ariel também pode cair no samba!! Ótima idéia para curtir um bloquinho em seu próprio “carrinho alegórico” hehehehe

fantasia pedrita

Coisa mais linda mãe e filha fantasiadas! Vilma e Pedrita! <3

fantasia boneca

Óinnn, para as bonecas que estão aprendendo os primeiros passos! A gente sabe, que nesta fase, nem precisa dar corda, né? hahahaha

fantasia dalai lama

Ok, é carnaval mas, não esqueça de elevar a sua mente! Na tranqulidade do Dalai Lama!! Namastê! hehehehe

Amei amei amei!!! Qual destas você faria para o seu baby? Tô pensando em Carmem Miranda pra Cacá este ano, e índio para o Pedro, será que eles topam?

Acompanhem o nosso Carnaval lá no Instagram @bagagemdemae!

Bjs ;)

 

 

Categorias Moda

Top nomes de bebês em 2015

 

Todo ano o pessoal da BabyCenter Brasil faz uma pesquisa entre as mães associadas, cadastradas e que participam de fóruns em seu site, para descobrir quais os 100 top nomes de bebês, aqueles mais usados, mais amados e mais votados pelas gravidinhas e mães que tiverem bebê em cada ano.

É bem interessante acompanhar a pesquisa e notar que, nomes super tradicionais como: Maria, João, Pedro e Aurora, por exemplo, e ver nomes associados a celebridades como a princesa Charlotte, o jogador David Luís. Outra coisa bem legal que eu gostei nesta lista deste ano, é a maior frequência de nomes latinos super comuns e super charmosos como, Gael, Benício, Luna…

Eu amo nomes tradicionais, não gosto de exageros mas, adoro estes nomes charmosos e diferentes, não na grafia, nada de muitos “Y”, “K” etc. Mas nomes simples como, Bem, Dom, Eva, Maria…

Se você está precisando de inspiração para escolher o nome do seu bebê, olha a lista dos 5 mais usados este ano, e seus significados:

 

Meninas classificação geral

Alice – nobre

Sophia – conhecimento, sabedoria

Júlia – jovem

Laura – louro, vitória

Isabella – juramento

 

Para ver a lista completa e maiores explicações sobre a origem e significados dos nomes, acesse AQUI.

 

Meninos classificação geral

Miguel – “semelhante a Deus”

Arthur – urso

Davi – amado

Pedro – pedra

Bernardo – forte

Para conferir a lista completa com os 100 nomes e mais explicações sobre o significado de cada um deles, clique AQUI.

 

Pra quem está pensando em nomes compostos, olha aqui os 5 mais usados em meninas:

Maria Eduarda

Maria Clara

Maria Luiza

Ana Clara

Ana Luíza

Para ver a lista completa das 20 mais e seus significados, clique AQUI.

Os top 5 nomes compostos mais usados para os meninos, foram estes aqui:

João Pedro

João Lucas

Pedro Henrique

João Miguel

João Vítor

Para ver a lista com os 20 nomes compostos mais em alta, e seus significados, clique AQUI.

 

E olha só que interessante notar os nomes de celebridades que mais influenciaram os nomes dos bebês de 2015:

Cauã – por causa do galã Cauã Reymond

Antonelli ou Antonela – por causa da atriz Giovana Antonelli

Ayala ou Ayla – por causa da atriz Thaila Ayala

Charlotte – a princesinha de Buckingham

Oliver – por causa do cozinheiro Jamie Oliver

Nicole e Maria Ísis – por causa das personagens da atriz Marina Ruy Barbosa

Luan – por causa do cantor Luan Santana

Davi Lucca – porque é o nome do filho do ídolo do futebol, Neymar

Adam – por causa do cantor americano do grupo Maroon 5 e jurado do “The Voice”, Adam Levine

Outra curiosidade, entre os 100 nomes mais usados deste ano, é a volta de muitos nomes simples e tradicionais, como Ana, Maria, José e João sozinhos, sem nada para combinar como, Ana Clara, José Eduardo e afins.

O uso de nomes que remetem a natureza como, Pérola, Luna, Aurora, Flora, Jade e Safira também parece ser uma tendência e, emprestar o charme de nomes latinos como Gael, Santiago, Martim e Benício foi uma prática bem comum das mamães de 2015. Para saber mais curiosidades sobre os nomes, tendências e influências, clique AQUI.

Aqui em casa eu tenho um Pedro e uma Catarina, antes mesmo de sonhar em ser mãe, eu estudei a História das monarquias e me encantei com o império de Pedro, o Grande, da Rússia. Ele foi o primeiro imperador da dinastia Romanov, responsável pela abertura política, administrativa e progressista do grande império. Viajou pelo seu país e pela Europa, anonimamente, aprendendo sobre tudo o que podia: técnicas militares, navais, medicina, geografia, agricultura, administração etc.

Casou 2 vezes, foi o primeiro imperador a se divorciar (em pleno século 17) porque se apaixonou por Catarina I, que se tornou imperatriz da Rússia. Eu fiquei com estes 2 nomes na cabeça desde que tinha uns 12 anos e daí, aos 16, conheci o meu futuro marido, pai dos meus filhos e filho de… Russos! Muita coincidência, né? hehehe

Nunca fui muito preocupada com o significado dos nomes que os meus filhos teriam, mesmo assim, fiquei feliz quando descobri que Pedro significa pedra, força e Catarina, significa pureza. Outra preocupação que eu tive, foi ter certeza que os nomes dos meus filhos não lhe causariam nenhum tipo de “bullying” ou apelidos bobos e por isso, fiz uma lista de coisas que rimavam com Pedro e depois com Catarina. Eu sei, pareço maluca, mas pensem como foi a minha infância e adolescência com um nome como Loreta? #fail

Então é isso, gostei muito da lista deste ano, gostei muito de ver mais nomes tradicionais e simples entre os top 100 e me apaixonei pelos charmosos nomes latinos. E vocês, quais os nomes dos seus bebês ou em quais nomes andam pensando?

Bjs ;)

Ps: muito obrigada a BabyCenter Brasil por compartilhar comigo esta pesquisa!

Categorias Moda

Uma fábrica de amor – Parte II #Branditour

Contei pra voces neste outro post AQUI que, no começo deste mês, eu recebi um convite muito especial do pessoal da Brandili. Eu precisei dividir o post em 2 partes, para que vocês pudessem me conhecer um pouco melhor e entender PORQUE este convite foi tão especial assim.

Se você não leu o post anterior, eu sugiro que dê uma corridinha lá porque, este aqui vai estar cheio de referências de coisas que eu contei no post passado, ok?

Bom, então estava tudo certo, passagem comprada, eu cancelei outra viagem, reunião, tudo pra ir fazer a visita na fábrica da Brandili. Já tinha esquematizado tudo com o marido e a sogra, as crianças já estavam sabendo e tava tudo legal até que…Dois dias antes do embarque, parei o carro na porta da escola das crianças, atrasada como sempre, abri a porta e desci correndo, pisei em um buraco que estava na rua e, rompi 2 ligamentos do pé direito! /0\

Captura de Tela 2015-11-30 às 15.52.10

Ninguém merece esta botinha super fashion #sóqnão :(

A única coisa que eu pensei foi: e, agora? Como vou viajar? Fui no hospital no dia seguinte, eu ainda tinha esperanças de que não seria nada mas, na madrugada do mesmo dia, meu pé começou a doer muito e ficou enooorme! Passei o dia no hospital, recebi a notícia, a botinha e fiquei mega chateada! Eu não queria perder este passeio por nada!

Como tinha chegado em casa tarde, e tonta de tanto analgésico, achei melhor esperar o dia seguinte para pensar direito. Acordei de manhã e pensei: quer saber? Eu vou!

E fui!

No aeroporto eu já fiquei mega feliz quando descobri que, minhas parceiras de voo, saindo aqui de SP seriam a super querida Adri, Materniarte, que já é parceira de anos e a fofa da Marrie, Mamãe Plugada, que eu só conhecia e conversava via Instagram.

Pensem em 3 matracas quando se juntam? Passamos o voo inteiro matraqueando sem parar e as 2 lindas ainda me ajudaram pra caramba, com malas e coisas, já que eu estava no modo “Loreta Pererê”! hehehehe

No aeroporto de Santa Catarina, se juntou a nós a gatíssima da Bia Mendes, Agora que Sou Mãe e no hotel, encontramos a querida Camis, Mundo Ovo, que eu tava morrendo de saudades! Ou seja, a Brandili não poderia ter formado um time mais bacana de blogueiras!

Depois de fazer check in no hotel, subimos para um banho rápido já que, a querida Camila, do marketing da Brandili, ainda nos deu a honra de ser a nossa “guia turística” por Blumenau, e nos levou para conhecer a Vila Germânica, que estava toda linda decorada de Natal!

vila germanica blumenau

A Vila Germânica é onde acontecem as festas da cidade, como a Oktoberfest, por exemplo!

vila1

Depois do passeio pela Vila, fomos jantar em um restaurante típico da região, o Eisenbahn Bierhaus e lá, se juntou a nós a última integrante do grupo, a Suh Riedger, do blog Vittamina.

vila2

Mulherada nem tava feliz… hihihi

Daí, estávamos no maior bate papo, eu sendo trollada porque, não podia beber nada (por causa dos analgésicos) e muita risada quando, de repente, a Camila foi super sutil e nos “lembrou” que tínhamos que acordar cedo no dia seguinte! hahahaha (desculpa, tia Cá!)

Ok, concordamos em ir embora, mas quem disse que alguma de nós conseguiu parar de falar? Chegamos no lobby do hotel e continuamos mais meia hora de risadas e bate papo…

hotel

O resultado disso foi que, às 6h30 da manhã do dia seguinte, estávamos todas com cara de zumbi mas, prontas e ansiosas para pegar a estrada de novo, rumo a Apiúna, onde fica a fábrica da Brandili!

bra1

meu crachá, personalizado pra entrar na fábrica! Que amor! <3

Nosso primeiro compromisso na fábrica foi, mais um, café da manhã com os diretores, para conhecer melhor a história da Brandili, como ela foi criada e por que o lema “amor pela criança” é tão importante para eles.

Quando o Eduardo (um dos diretores) começou a contar que a fábrica foi criada pelo Seu Carl e Dona   Lili, que vieram de fora para construir a sua família, criar “bons frutos”, ajudar a fazer crescer aquela comunidade que os havia acolhido, eu instantaneamente me identifiquei! Afinal, Seu Carl e Dona Lili nada mais são do que, avós, como os meus, que vieram, com força de trabalho, amor no coração e respeito ao próximo para construir seus sonhos e suas famílias. Já amei mais ainda!

bra2

Conhecendo a história da Brandili!

Depois deste momento muito “família”, hora de testar a minha “botinha” e percorrer a fábrica toda para conhecer tudinho, e ver de perto como este “amor pela criança” se transforma em produtos para os nossos filhos.

tour2

Prontas para o tour!

Começamos a visita pela área onde é recebida a malha, que vem da tecelagem. Eu nunca imaginaria que ela chega para a malharia do jeito que chega. Pensem em um tecido bem duro, com variações de cores e asperezas, é assim que a malha de algodão chega na malharia. Crua, e precisando de muitos beneficiamentos para se transformar em um tecido gostoso que possa virar roupa.

O Eduardo, que nos acompanhou em todo o tour, nos disse uma coisa que me fez pensar e olhar a roupa de outro ponto de vista: a malha é um tipo de material que está vivo, quer dizer, ele tem muitas variáveis já que, vem de uma planta, o algodão e como sabemos, nenhuma planta é exatamente igual a outra e por isso, um mesmo fio de tecido pode ter cores, durezas, pesos, asperezas e mais uma porção de coisas diferentes e também é por isso que, com o passar do tempo, percebemos as roupas encolherem, desbotarem, desgastarem, etc, porque ela está viva! Não é muito louco isso?

malharia1

Ainda do setor de beneficiamento da malha, o técnico químico da Brandili,, nos explicou que a malha pode chegar plana (e por isso, pronta para ser beneficiada, tingida e etc) ou, ela pode chegar tubular (imaginem uma “manga” de blusa contínua) e então, ela precisará passar pelo processo de abertura para que possa ser beneficiada, tingida, cortada, etc, etc.

A malha passa por muitas máquinas e processos diferentes: ela é lavada, amaciada, aquecida, esticada, tingida, lavada de novo, retingida, lavada de novo, aquecida, e depois passa pela secagem. Algumas malhas recebem tratamentos específicos, como é o caso da malha de moletom.

Sabe quando a gente vai comprar um conjuntinho de moletom para as crianças e a vendedora já diz: “este é FLANELADO por dentro, este não!” e daí, esta coisa do FLANELADO faz um custar mais caro do que o outro? Então, na verdade, a malha de moletom não tem nada de FLANELADA, o que faz com que ela fique “fofinha” por dentro é uma máquina de beneficiamento que se chama Peluciadora. Em teoria, qualquer malha de moletom poder ficar “fofinha”, desde que a malharia se importe com esta diferença e invista neste maquinário, que vai garantir maior conforto para quem vai usar a roupa, no caso, os nossos filhos!

peluciamento

Depois que cada tecido passou pelo seu tipo de beneficiamento específico, ele é numerado, e estocado para ser testado pelo laboratório de controle de qualidade.

controle de qualidade

Tecidos prontos para serem testados!

A segunda etapa da nossa visita foi, justamente, conhecer o setor de qualidade, que é uma das principais preocupações da Brandili. No laboratório de testes, amostras de cada um dos rolos de tecidos são testadas em todos os aspectos possíveis: se a cor está no tom certo, se a fixação de cor está boa, se o tecido tem o peso e espessura adequados, se ele pode encolher ou alargar, como ele se comporta na lavagem doméstica e mais um monte de outras coisas. Tudo isso para garantir que, a roupa que você está levando para casa vai durar bastante, vai ser confortável, não vai soltar aquele monte de tinta na hora da lavagem, não vai encolher de repente e nem alargar e ficar toda “desmilinguida”.

O laboratório de testes, também testa os bordados, apliques e estampas das peças, para ter certeza que nenhuma parte poderá se soltar e causar risco de asfixia, que as tintas utilizadas não causarão alergias nas crianças e que nada na peça poderá machucar ou irritar a pele da criança ou, limitar seus movimentos e o brincar.

laboratorio

No laboratório de controle de qualidade, mil testes para garantir que você está mesmo levando o melhor pra casa!

Na terceira parte da visita, chegou a hora de conhecer “onde a mágica acontece”! A área de confecção, onde as peças são cortadas, estampadas, bordadas, costuradas, embaladas e seguem para a expedição.

Primeiro, conhecemos as máquinas que fazem o corte dos tecidos, lembram do quartinho de costura da minha avó e de como ela me ensinou a desenhar moldes, aplicar ao tecido e depois costurar? Então, era como se eu estivesse entrando no “quartinho” dela, só que mil vezes aumentado!

A máquina que corta as peças, é uma automatização deste processo de modelagem, as peças já saem nos tamanhos e formatos certinhos para receberem a próxima etapa de confecção: estampar o que for estampar, bordar o que for bordar e seguir para a costura de todos os pedaços deste quebra cabeças, para formar uma peça de roupa imaginada pela equipe de criação da Brandili.

corte e montagem

As peças saem prontinhas para a próxima etapa, sem precisar de todo o trabalho da modelagem do tecido.

Depois da máquina de corte, fomos conhecer a área de estamparia e quando eu conheci o “Carrossel”, preciso confessar pra vocês que fiquei com os olhos marejados. Eu só ficava pensando: meu pai precisava ver isso!

O “Carrossel” é uma atomatização do silk screen, que o meu pai fazia, no Carrossel cabem 8 telas de uma vez e assim, o processo de pintura de cada uma das cores de uma mesma peça, é mais rápido e eficiente. Oito braços passam a tinta de acordo com a cor daquela tela, e oito braços fazem a secagem para o tecido seguir para a próxima tela.

Mas antes destas telas entrarem no Carrossel, elas são criadas manualmente, e testadas em mesas de Silk, exatamente igual o meu pai fazia! <3

carrossel

O Carrossel atrás da gente, as telas, iguais às do meu pai, o teste na mesa manual e a máquina em funcionamento.

A Brandili compra ou desenvolve em seu próprio laboratório químico as tintas e tonalidades que serão usadas nas estampas. A máquina, o Carrossel, é quem faz aquelas estampas “fofinhas” que chamamos de 3D e aquelas outras com brilhos etc.

Da emoção da estamparia, hora de conhecer o processo de aplicação de bordados, costura de bolsos, peças, apliques, mais controle de qualidade, embalagem e finalmente, partir para a expedição!

bordado montagem

No setor de bordados, todas as peças que recebem apliques (como os lantejoulas e strass, por exemplo) passam ainda pela etapa de finalização que, coloca na parte interior um tecido de proteção, para garantir que os apliques não incomodem ou machuquem a criança. Cada setor de costura é responsável por uma pecinha do “quebra cabeças”: tem as meninas que costuram as calças, as que fazem os bolsos, as que fazem as barras, as que costuram as mangas, as que fazem os franzidos e babados, as que finalizam com as etiquetas e no fim desta linha de produção, 2 conferentes olham cada centímetro da peça antes de liberar para que sejam embaladas e cheguem ao estoque central.

O setor de expedição da Brandili é pioneiro na automatização, com um robô mestiço, metade japonês e metade holandês, as peças seguem em caixas que são organizadas pelo robô em seus “endereços” dentro do estoque. Conforme entram os pedidos de expedição, o robô busca exatamente aquela caixa, com aquelas peças, espera que as funcionárias despachem exatamente a quantidade solicitada do pedido para dentro de bandejas que depois, jogam as peças em caixas que já estão registradas em códigos de barras que contém todos os dados do pedido, endereço, quantidade, valor etc. É simplesmente incrível! Eu fiquei louca de vontade de poder me transformar em Homem Formiga só pra pegar uma carona com a caixa e ver em qual “endereço” ela me levava no gigantesco estoque!

expedição

Reparem todas boquiabertas com a tecnologia!! /0\

Antes de dar tchau para a fábrica e ir conhecer a loja para fazer umas comprinhas #quemnunca? Uma fotinho para registrar esta visita incrível!

fabrica andressa tchau

Obrigada pelo carinho, suas queridas!

loja

Na loja, quase não estávamos felizes em fazer comprinhas! rsrsrs

De Apiúna, pegamos a estrada de novo para voltar a Blumenau e conhecer a equipe de marketing e criação da Brandili, mas antes, uma paradinha na cidade de Timbó, para almoçar às margens do Rio Benedito no delicioso restaurante Thapyoka.

thapyoka restaurante

Almoçando com esta vista linda!

Pé na estrada de novo e, bora pra Blumenau conhecer toda a equipe de criação e marketing que a gente já adora sem nunca ter visto pessoalmente!

Lá na sede administrativa da Brandili, as equipes de marketing e criação nos explicaram como funciona a pesquisa para a criação de cada uma das peças. Como elas pensam nas referências de moda aplicadas em roupas infantis que, precisam ser lindas, lúdicas, divertidas mas, acima de tudo, confortáveis, feitas para brincar e que transmitam todo o “amor pela criança” em que ela foi pensada e trabalhada.

Conhecemos em primeira mão as coleções que ainda vão chegar nas prateleiras para o Alto Verão e Verão 2016, entendemos de onde vieram as inspirações, vimos algumas ilustradoras criarem “ao vivo” as estampas e desenhos exclusivos da marca e entendemos cada detalhe e diferença entre os tipos de coleções que estão dentro do mundo Brandili: Mundi, Brandili e Licenciados.

criaçao

Com a equipe querida de criação!

caca bailarina

Uma das minhas escolhas para a Cacá, vcs acham que ela amou? Sim ou com certeza? <3

No final do dia, despedidas gostosas, beijos e abraços nestas queridas todas que fazem a Brandili, nas blogueiras que não estão em SP e vemos tão pouco e uma certeza: não, eu não estava enganada! A Brandili faz roupa de criança, para criança, pensada na criança, com muito amor pela criança, com muito respeito pelos pais destas crianças e com muita responsabilidade com seus colaboradores e comunidade.

Muito obrigada Brandili, pela oportunidade desta visita que, pra mim, foi simplesmente emocionante! Uma oportunidade que eu nunca imaginei que teria na vida, um sonho que ficou guardado no meu baú de memórias de infância e que sem saber, vocês simplesmente realizaram! Amo muito mesmo, de verdade! <3

bra3

E pra todas vocês que me acompanham por aqui, um muito obrigada super especial também, são vocês que me motivam e me fazem acreditar que, com muito trabalho e amor, a gente consegue sim, tudo o que a gente quiser!

Super beijos ;)

Categorias Moda

Uma fábrica de amor! – Parte I #branditour

Quem me acompanha pelo instagram (@bagagemdemae) viu que, no começo deste mês, eu fui convidada pela Brandili para participar do #Branditour.

Eu e mais algumas blogueiras, iríamos até Santa Catarina para conhecer ao vivo e de pertinho, todo o processo de criação das roupas que chegam até os nossos filhos. Além disso, a Brandili, queria contar um pouco da sua história pra gente, e explicar porque o “amor pela criança” é o sentimento que norteia tudo o que eles fazem.

Bom, quem me acompanha faz tempo sabe que, meu “caso de amor” com a Brandili é antigo! Eles vestem os meus filhos desde bebês, foram uma das primeiras empresas a acreditarem e respeitarem o meu trabalho aqui no blog, acompanham o crescimento das crianças desde sempre, com muito carinho e amor de verdade, sabem os nomes, os apelidos, as preferências, os tamanhos, eu brinco que, a equipe de marketing querida da Brandili, são como as tias lá de Santa Catarina para as crianças (e a Cacá ama saber que existe um Estado que tem o nome dela, hahaha).

Só por isso tudo que eu disse aí em cima, já estaria mais que óbvio que eu aceitaria o convite com toda certeza mas, tem algo a mais. Eu acho que nunca tive a oportunidade de falar muito sobre a minha própria infância por aqui, só uns exemplos aqui e acolá e por isso, hoje, eu decidi contar um pouquinho de mim, quando criança, pra vocês entenderem por que eu aceitei o convite e por que ele foi tão especial pra mim.

Os meus pais se divorciaram quando eu tinha 6 anos, no “esquema” deles de tutela das crianças, minha mãe ficou responsável por nós mas, as férias, eram períodos que passávamos com o meu pai. Logo depois do divórcio, o meu pai voltou a morar com os meus avós, em uma cidadezinha no interior de SP que faz divisa com o Paraná, Taquarituba.

Era muito difícil pra mim, não poder mais ver e falar com o meu pai todos os dias, conversávamos por cartas a semana toda, eram muitas cartas mesmo, quase todo dia chegava uma dele e eu mandava uma de volta, eu contava os dias para chegar as férias de julho, eram as minhas férias prediletas porque, além de passar todos aqueles dias com o meu pai, eu ia fazer isso na casa dos meus avós, um lugar encantado!

Meus avós são imigrantes italianos, eles chegaram ao Brasil para trabalhar nas lavouras de café, com 6 filhos e pouco dinheiro, meu avô comprou um terreno pequeno e construiu uma casa simples, de tijolo de barro, com 3 cômodos para acomodar toda a família.

Minha avó, levava as crianças para o cafezal junto com ela durante o dia, ela não tinha com quem deixar e por isso, eles cresceram correndo e brincando no meio do café, aprendendo a peneirar e colher e todas estas coisas.

Conforme meu avô foi ganhando mais dinheiro, ele foi aumentando seu terreno, comprando os terrenos em volta e então, ele e minha avó começaram a plantar a própria comida. Aos poucos, o terreno do meu avô ficou enorme e então, ele construiu uma casa maior e mais bonita e deixou a casinha pequena lá, ela virou uma oficina.

No terreno enorme do meu avô, tinha de tudo: plantação de legumes, verduras, horta, frutas, plantas medicinais (que minha avó fazia chás, emplastros, pomadas e curava qualquer coisa que você pudesse imaginar ter, só com as ervas mágicas), árvores de manga, de abacate, laranja, limão, videiras, morangos, temperos, galinheiro e no fundo do terreno, um pequeno cafezal, de onde eles colhiam, torravam e moíam o próprio café e um pequeno taquaral, de onde meu avô tirava material para criar peneiras, cestas, varas de pesca, e mais uma porção de coisas.

Minha avózinha com suas flores! O jardim da frente e o jardim de ervas “de remédio” eram os únicos lugares que éramos proibidos de fuçar! hihihi

Imaginem uma criança, criada em apartamento, passando férias em um lugar assim? Era de pirar! Meus avós plantavam praticamente tudo o que consumiam e eu adorava ajuda-los a colher, moer e descobrir em que todas aquelas coisas podiam se transformar.

Da oficina do meu avô, saíam carrinhos de madeira para os meus primos, casinhas de boneca, cadeirinhas de balanço, cestinhas de picnic, vassourinhas, rodinhos, carrinhos de rolimã… Ele fazia balanços de pneus pra gente e ajudava eu e meu primo a planejar e construir as milhares de casas na árvore que nós tivemos. E apesar de parecer que, com todo este quintal maravilhoso, o melhor da casa era a parte externa, para mim, o lugar mais especial ficava dentro!

Era o quartinho de costura da minha avó! Ela nunca me deixava entrar lá sozinha, tinha medo que eu me machucasse com as agulhas, tesouras e máquinas de costura. Mas toda vez que ela me chamava pra acompanhar ela no quartinho, e eu atravessava aquela porta mágica, era como se eu entrasse em outra dimensão!

Dentro do quartinho de costura da minha avó, tinham muitas prateleiras cheias de potes de vidros com todos os tipos, cores, tamanhos e materiais de botões, pra mim, eram como pedras preciosas de um tesouro pirata! A máquina de costura da minha avó, era daquelas Singer, preta e dourada, com mesa de madeira e imponentes pernas de ferro bem rebuscadas.

Além dos botões, ela tinha muitos retalhos e tecidos, minha avó é daquele tipo que nunca usou calças na vida, e ela fazia os próprios vestidos, sempre em modelo envelope, ou modelo avental, com botões lindos na frente e muitos detalhes bordados nas golas, mangas e barras.

Ela fazia aventais iguais, pra mim e pra ela pra eu poder ajudar, fazia colchas de patchwork com os retalhos, capas de almofadas, xales de sofá, tapetes e até cortinas de fuxico. Aos poucos, ela me ensinou a pregar botões, zíperes, fazer o fuxico, dar pontos simples, invisíveis, alinhavo, costurar detalhes bordados, desenhar moldes e cortar no tecido.

Uma vez, eu cismei com a estampa de um lençol, ficava pra cima e pra baixo com o lençol enrolado no corpo, como se fosse um vestido. Um dia, ela me chamou no quartinho, tirou minhas medidas e 2 dias depois, lá estava um vestido de verdade, feito com o lençol que eu tanto amava!

Outra época, eu estava cismada com bailarinas, queria tudo que fosse de bailarinas e toda vez que meu pai me levava pra comprar uma roupa, eu procurava logo por estampas de bailarina, e nunca achava o que eu queria. Daí, ele comprou uma camiseta com uma estampa de bailarina, ficou semanas estudando ela, depois desenhou, fez testes e mais testes e aprendeu a arte do silk-screen, que é a estamparia manual, com várias telas que transferem o desenho para o tecido, de acordo com a cor de tinta que você quer usar.

Quando ele me mostrou, eu vibrei de alegria! E ele desenhou muitas outras bailarinas, e ursos, e princesas, castelos e me deixava desenhar também, e criava telas com os meus desenhos, e eu tinha as minhas próprias e exclusivas estampas! Era demais!

Por causa da minha obsessão pelas bailarinas, meu pai aprendeu o silk-screen e, 1 ano depois, nas próximas férias quando cheguei na cidade, ele me levou para conhecer sua pequena empresa, uma estamparia. Ele trabalhava com estampas simples, fazia os uniformes das escolas da região, junto com uma sócia, a estamparia tinha 5 costureiras, que montavam as camisetas, o meu pai e 1 assistente que faziam o silk e a sócia que fazia as vendas e as entregas.

Eu morri de orgulho do meu pai, porque logo depois do divórcio dele e da minha mãe, ele entrou em uma depressão profunda, e passava os dias na oficina do meu avô só desenhando, e chorando, e as coisas só melhoravam, quando chegavam as férias e eu estava por lá e por isso, eu me preocupava em mandar tantas cartas, porque não queria que ele pensasse em nenhum minuto que não era amado!

Na pequena estamparia, eu ganhei mais peças de roupas exclusivas, tinha minhas próprias estampas e também, meus próprios modelos, já que as costureiras adoravam quando eu aparecia por lá com idéias mirabolantes de vestidos, lençóis e botões da minha avó e elas podiam fazer alguma coisa diferente que não era costurar camisetas brancas o dia todo! hihihi

Naquela época, eu disse pro meu pai que, dali uns anos ele poderia ter uma confecção maior, e eu seria a estilista e ele me explicou que uma fábrica têxtil era muito maior que aquilo, mas que eu poderia ter e ser o que eu quisesse, era só aprender e me dedicar.

Os meus avós e o meu pai, me ensinaram que, não há nada que a gente queira que não possamos aprender e criar para nós mesmos. Desde a comida, que pode ser plantada, até brinquedos, roupas e muito mais.

Eles passaram pra mim esta herança de que, tudo que é feito pela gente com amor, carinho e pensando no próximo, sempre funciona melhor. E é por esta e várias outras razões, que eu sempre prefiro fazer ao invés de comprar, e quando compro, quero comprar de quem faz com amor, de quem cria do mesmo jeito que meus avós sempre criaram: cheios de carinho e respeito ao próximo.

No ano passado, o meu avô morreu, eu não pude visitá-lo antes, mas ele sabia o quanto eu o amava! Eu disse pra ele, diversas vezes, o quanto eu aprendi com ele e como era grata por tudo o que ele havia me ensinado, só com seus exemplos. Ele viveu muito, até os 92 anos ainda andava de bicicleta, ia na missa todos os domingos, plantava e colhia o próprio café, e como ele não tinha uma vaca, fazia escambo de ovos de galinha e legumes, por jarros de leite com um vizinho que não tinha galinhas e legumes.

A cidade dos meus avós cresceu em volta da casa deles, hoje ela está na rua principal, que quando eles chegaram lá, era apenas um terreno cheio de barro e “terra vermelha”, como eles chamam por lá. Minha avó continua morando lá, já está bem velhinha e quase não escuta o que a gente diz, ela não costura mais seus vestidos, quase não consegue preparar a própria comida, mas ainda faz palavras cruzadas, todos os dias!

avós1

A última fotinho deles juntinhos! A saudade até dói! ;(

Por causa deles, e por causa do meu pai, que por uma outra série de questões mais graves, não conseguiu levar adiante a sua pequena estamparia, eu precisava ir ver de perto como funcionava uma grande fábrica de roupas, eu precisava ir ter certeza de que eu não estava enganada, de que o amor que eu sempre senti em cada delicadeza da Brandili, comigo e as crianças, não era só marketing, era amor mesmo!

E assim, eu fui! Mesmo com os ligamentos do pé rompidos, peguei avião de botinha, me enchi de analgésicos e fui! E como este post ficou imenso, e eu já estou chorando de pensar nos meus avós, vou contar tudo sobre a visita no próximo post, e daí, vocês vão entender melhor ainda, porque eu precisava fazer esta introdução!

Até o próximo! ;)

Captura de Tela 2015-11-25 às 01.13.40

Estilo saci perere, pronta para embarcar!! hihihi

 

Categorias Moda

Cortes de cabelo para meninos

Quando o Pedro nasceu, era super cabeludo, um cabelo bem preto e liso. Daí, este cabelinho foi caindo, ele ficou careca e um novo cabelinho nasceu, loirinho e com cachos nas pontas. Eu amavaaaaa os cachinhos dele!

Demorei um tempão para fazer o primeiro corte de cabelo dele porque, eu queria manter aqueles cachos lindos e estava meio desconfiada que, assim que eu os cortasse, nunca mais eles se formariam. Dito e feito!

O Pedro ficava super incomodado com os cabelos “pegando” no pescoço, suava demais e este suor, dava coceiras, ele enfiava a unha e ficava todo empipocado e vermelho, o jeito foi cortar. E lá se foram os cachinhos!! :(

Então, a primeira vez que cortei, eu não pensei muito em estilo de corte ou coisa do tipo, eu só pedi ao cabelereiro que cortasse o suficiente para que não “pegasse” mais no pescoço e também, pedi pra subir um pouquinho a franja que estava nos olhos, assim, sem grandes “pretensões fashionistas”.

Eu amooo o cabelo do Pedro quando está mais compridinho, ele tem um cabelo bem escorrido de um loiro acinzentado, quando começa a crescer, fica naturalmente desfiado e jogado para todos os lados, é lindo de viver! Mas, ele detesta o cabelo nos olhos, no pescoço e etc. e por causa disso, sempre cortava bem baixinho, num estilo que as pessoas chamam de “surfistinha”.

Passávamos máquina atrás e nas laterais, subia a franja pra tirar dos olhos e pronto, ficava aquele cabelo “esquisito” até crescer um pouquinho e voltar a se ajeitar.

Agora, aos 8 anos, o meu mocinho está todo interessado em ter um “visual” diferente! Sendo ele um garoto da “geração Neymar”, vive me pedindo para fazer topete e moicano (o que é mega difícil de conseguir, porque o cabelo dele é muito escorrido!) e como está precisando de um corte de cabelo novo, decidiu me pedir uma coisa diferente!

Disse que não quer ir no mesmo barbeiro do pai (que é um tiozinho que só faz o mesmo corte de cabelo há mais de 40 anos! heheh), quer ir no cabelereiro da Cacá, porque lá o moço conhece “outros jeitos de cortar” hahahah

Ok, fui pesquisar uns cortes de cabelo para meninos mais “estilosos”, pra mostrar pra ele e ver qual destes ele gosta, morri de amores pelos mini fashionistas que eu encontrei! Olha só:

1 – Comprido e repicado

hc1

O cabelo do Pedro poderia ficar assim facilmente, mas eu suspeito que ele nunca teria paciência de esperar crescer e ter que lidar com escovação, suor e calor. Será que eu convenço ele? Acho tãoooo lindooo!!! <3

2 – Moicano moderninho

hc2

Este super estiloso é bem a cara do Pedro, tem o moicano que ele tanto quer e é bem raspado nas laterais e atrás. Assim, com certeza não deve dar calor nem suor! Mega fofo!

3 – Baixinho tradicional

hc3

Este é o corte que o Pedro sempre faz, bem baixinho nas laterais e atrás e a franja mais alta!

4 – Surfistinha

hc4

Este é o surfistinha! O Pedro já cortou assim também, passa a máquina nas laterais e atrás e deixa a parte de cima mais alta, sem franja! Mas para ficar charmoso assim, é preciso muito gel aqui em casa pois, a textura do cabelo do Pedro é bem fina, e não fica assim, naturalmente pra cima!

5 – Baixinho básico

hc5

Este aqui é o que eu chamo de “corte funcional”, você só apara as pontas todas e a franja e acabou!

6 – Natural

hc6

Neste corte, praticamente não tem intervenção da tesoura. Os comprimentos de franja, laterais e parte posterior estão respeitados e, para tirar dos olhos, ele só é penteado pro lado!

Aproveitei que eu estava pesquisando, e peguei outras sugestões de corte de cabelo para os meninos que têm os cabelos cacheados, olha quanta fofura:

1 – Cachos livres

hc13

Coisa mais gostosa deixar os cachinhos crescerem livres, sem preocupação!

2 – Raspadinho na lateral

hc7

Coisa mais fofa e estilosa com o cabelo raspadinho só na lateral! Na hora de ajeitar, dá pra brincar com gel ou, deixar ele natural e fica lindo, além de parecer ser bem prático para o dia a dia!

3 – Raspadinho com detalhes

hc8

Para os pequenos super estilosos, achei muito fofo este corte com raspadinho cheio de detalhes. Reparem que na hora de passar a máquina, houve preocupação em deixar um “desenho” bonito na franja e nas costeletas e pra finalizar, um desenho no topete que é o destaque do corte! Muito fofo!

4 – Black Power amor

hc9

Ai gente, sei nem o que dizer, só sentir! É muito amor e poder em um cabeça só!! <3 Além de lindo, deixar o cabelo afro volumoso ao natural, é garantir identidade e empoderamento desde a infância. Acho demaaaaais!!!

5 – Japa desfiado

hc11

Já perceberam que eu sou #aloka do cabelo comprido em meninos, né? O que dizer deste japa todo desfiado na franja e com comprimento tradicional? Lindooo!!

Hoje o corte de cabelo do Pedro está assim:

Captura de Tela 2015-09-30 às 17.54.21

Tô louca pra ele aceitar manter o comprimento porque, eu simplesmente amo este jogadinho descompromissado! Será que ele vai topar?

E pra quem, além de cortes também está pensando em produtos que facilitam a vida das mães, aqui com o Pedro, que tem este tipo de cabelo aí, bem liso, eu uso sempre escova de madeira reta e com cerdas arredondadas. As escovas com cerdas duras machucam o couro cabeludo por causa da finura do cabelo, sabe?

Captura de Tela 2015-09-30 às 18.04.45

 

Também uso gel para cabelos para (tentar) fazer os topetes que ele me pede ou, simplesmente pra dar uma despenteada “arrumada”. Eu sempre prefiro produtos específicos para crianças e sem alcool, os meus prediletos são o Crescidinhos, da Johnson’s e o Tchop Tchura da linha Natura Naturé. Eles fixam bem, tem um cheirinho bem gostoso e não deixam o cabelo ressecado.

Captura de Tela 2015-09-30 às 17.58.42

Captura de Tela 2015-09-30 às 17.59.27

Outra coisa que aprendi sobre meninos e seus acessórios, diz respeito ao uso de bonés! Apesar de ser um acessório unissex, os meninos são os que mais adoram e o Pedro não é exceção! As dicas para usar são as seguintes:

  • Não coloque o boné com o cabelo molhado! O abafamento pode deixar o couro cabeludo oleoso e levar a formação de caspa além disso, o cabelo molhado fica mais fraco e pode se quebrar com mais facilidade!
  • Escolha um modelo de boné adequado e mantenha ajustado sem apertar a cabeça! Os bonés muito apertados acabam marcando os cabelos e o uso contínuo, acaba por enfraquecer aquela região que está apertada, ocasionando quebra do cabelo.
  • Lave bem os bonés  com água e sabão de tempos em tempos!
  • Procure guardá-los em local arejado!
  • Procure tirar a cada hora para dar uma respirada no couro cabeludo!
  • Se o cabelo da criança já for oleoso, evite o uso ou, use por pouco tempo!

Tô amando descobrir este mundo todo novo de cuidados e estilos para meninos, agora que o Pedro passou a se interessar por isso! hehehe

E quem tiver mais dicas de produtos para os outros tipos de cabelos, truques de cuidados e etc. coloca aí nos comentários para complementar o post, ok?

Bjs ;)

Categorias Moda

Celebre seu amor pela criança, todo dia!

 

concurso cultural brandili

Eu sempre achei que, assim como o Dia das Mães é todo dia, Dia da Criança também é!

Todo dia é dia de a gente curtir muito estes pequenos, todo dia é dia de aproveitar a infância deles para celebrar a criança que ainda vive em nós, todo dia é dia de aproveitar cada minuto desta fase tão gostosa e que, embora pareça muito clichê, passa sim, muuuuito rápido!

A Brandili, que é uma marca que eu amo, também pensa assim e por isso, celebra a infância todos os dias, com muito amor, respeito e carinho pelas crianças. E para festejar ainda mais este amor, no mês dedicado a elas, está lançando o Concurso Cultural “Desafio Brandili #AmorPelaCrianca”.

Funciona assim: você segue o perfil oficial da marca lá no Instagram @brandilitextil e fica de olho nos desafios, à partir do dia 01/10 serão 6 dias de desafios super divertidos para você fazer com seu filho.

A cada dia, a Brandili vai postar uma foto lá com o desafio do dia daí, você posta uma foto inspirada no desafio no seu perfil, marca a #AmorPelaCrianca e já está participando! Os vencedores das melhores fotos, ganham 3 looks completos da Brandili coleção Alto Verão 2016 e ainda, quem ganhar o desafio final, no dia 12/10, leva ingressos para curtir o Parque Kidzania com o filhote e, se você não for de SP, fica tranquila!

A Brandili vai bancar passagens mais hospedagem para você vir pra cá e curtir um dia super divertido lá na Kidzania, não é demais?

Para entender direitinho como funciona, consulte o regulamento do concurso no site: www.blogmodainfantil.com.br/acao-cultural/

E pra dar tudo certinho, não esqueça de deixar o seu perfil do Insta desbloqueado, para que a marca possa ver a sua foto, ok? Eu e as crianças já estamos participando!! Bora brincar muito com as crianças e curtir a infância todos os dias?

#ficadica

Bjs ;)

artigo patrocinado

Categorias Moda

Enxoval do bebê com roupas importadas sem sair do Brasil

Fazer o enxoval do bebê nos EUA é um sonho que está muito além de luxo e ostentação. As roupinhas infantis por lá têm maior qualidade, maior variedade, maior durabilidade e um preço muito mais baixo do que encontramos no Brasil.

Ao optar pela indústria de vestuário americana, as mães optam por peças com tamanhos padronizados, com qualidade e maciez ao toque, com garantia de não desbotar, desmantelar, encolher, agredir a pele do bebê ou causar qualquer desconforto ao toque.

Além disso, por causa dos padrões elevados e rigorosos testes de qualidade, as peças de confecção americana, tem a fama de “durarem a vida inteira” e duram quase isso mesmo, o que significa uma economia permanente!

Infelizmente, por causa da alta taxa do dólar, variações cambiais, taxações do cartão de crédito e passagens aéreas, fazer compras nos EUA está cada vez mais difícil e por isso, uma mamãe empreendedora que já oferece produtos de qualidade que ela mesma confecciona há anos, resolveu facilitar a vida de quem quer os produtos importados, sem precisar sair do Brasil.

A e-Roupas de Bebê é uma loja online que traz as marcas importadas mais queridas dos americanos e das brasileiras. Eu estive dando uma passeada pelo site e fazendo as minhas compras, selecionei alguns exemplos de marcas e produtos que eu adoro!

Carters

Eu amo as roupinhas da Carters, especialmente os pijamas e roupas de baixo! A malha, confeccionada com puro algodão (inclusive cultivado em fazendas próprias) são sempre deliciosas de vestir, têm modelagem simples e prática que pensa nas mães e é confortável para os bebês!

Adoro as estampas sempre lindas e delicadas, com carinha de infância, de sonho, de brincadeira!

macacao carters

pijama carters

Duas versões da mesma peça: macacão para as babies e pijama com pé para as maiorzinhas! <3

roupas carters

 

vestido carters

 

 

Kit com 3 peças para os meninos, confortáveis e ideais para brincar muito! E kit com 2 peças para as meninas, ai que saudades dos dias de sol!

OshKosh Bigosh

A OshKosh, que faz parte do mesmo grupo da Carters, mantém os padrões de qualidade de seus produtores e oferece opções mais coloridas, vibrantes e prontas para as brincadeiras das crianças! Amo!

oshkosh

vestido oshkosh

Apaixonei por este conjunto de body + moletom e por este jumper jeans! <3

osh kosh bigosh

pijama oshkosh

Vestido amarelo vibrante para as maiorzinhas e pijama verde super divertido do urso esquiador!

Ralph Lauren Kids

Outra marca que eu adoro é a Ralph Lauren Kids! Toda a elegância já super famosa do seu criador, também para os pequenos!

A Ralph Lauren Kids tem peças lindas e confortáveis para momentos especiais de meninos e meninas. Eu sou apaixonada pelos vestidos

ralph lauren kids

Vestido lindo com estampa super delicada! Dá pra usar em uma ocasião mais formal, como um batizado, festa de casamento e etc e depois, continuar usando por muito tempo!

First Impressions/Epic Threads

Mesmo que você nunca tenha ido a Nova York, já deve ter ouvido falar da Macy’s! Conhecida como “a maior loja de departamentos do mundo”, oferece moda para todas as idades, artigos para casa, esportivos, acessórios, brinquedos e mais um monte de outras coisas.

A First Impressions é a marca de vestuário baby própria da Macy’s e a Epic Threads é a marca própria para os maiorzinhos. As peças são sempre super descoladas e antenadas, confortáveis e vão bem para ocasiões mais arrumadinhas ou, para dias de brincadeiras.

macys

Gamei neste conjuntinho de inverno com calça cargo e camisa xadrez flanelada! Arrumadinho sem desconforto!

Náutica Kids

Se você não conhece a Náutica, talvez conheça a Aleatory, as marcas são do mesmo fabricante, reconhecidos pela qualidade dos produtos e pelo estilo “navy”, viagem e casual chic de ser.

Aqui em casa, o marido adora as peças masculinas que são fáceis de combinar, e deixam sempre com cara de arrumadinho sem frescura. A linha kids, não foge à regra!

nautica kids

Coisa mais linda este conjuntinho de bermuda saruel em sarja e camisa de manga curta!

Bonnie Jean

Quem tem uma pequena menininha, não pode deixar de conhecer a Bonnie Jean, especialista em vestidos!

Tem de tudo, desde vestidos mais casuais, até vestidos de festa, mas só vestidos! Lindos, vibrantes, práticos e que vão deixar sua princesa ainda mais princesa, sem esforço!

vestido bonnie jean

Agora, não adianta nada eu te falar de todas estas marcas se, na hora de comprar, você tiver que pagar muito mais caro aqui no Brasil, né?

Pois, o diferencial da e-Roupas de Bebê é que, como compram lotes grandes de grandes distribuidores, conseguem manter os preços baixos, mesmo com a conversão do dólar.

A entrega é garantida, a procedência de confiança e você não precisa ter cartão de crédito internacional para comprar. A loja aceita pagamentos com todos os tipos de cartões, PagSeguro, boleto ou transferência bancária!

Eu adorei não precisar esperar 90 dias para receber uma compra, correndo o risco de ser taxada, de receber uma falsificação e pagar as altas tarifas do cartão de crédito.

Vou confessar pra vocês que, até das amigas muambeiras #quemnunca eu desisti já que, comprando no varejo elas não conseguem bons preços nos produtos e no frete e daí, não estava valendo a pena financeiramente!

Recomendo muito uma visitinha lá no site eroupasdebebê.com com certeza você vai achar aquele vestidinho especial para uma festinha, aquele conjuntinho descolado para o seu pequeno ou, aquelas roupinhas de baixo super confortáveis e que os bebês podem engatinhar muito pela casa, sem medo de rasgar nos joelhos, e babar muito as papinhas e comidinhas, sem medo de perder a peça na lavagem.

Vai lá e depois me conta! #ficadica

Bjs ;)

artigo patrocinado

Categorias Moda

Dia dos Pais: Camisetas divertidas tal pai, tal filho

O Dia dos Pais já está chegando e eu fiquei aqui pensando: comprar um presentinho para os papais importantes da minha vida é sempre uma missão quase impossível!

Primeiro porque eu tenho a sensação de que é muito mais fácil agradar uma mulher do que um homem, sei lá, talvez seja coisa minha mas, quando penso em presentes para Dia das Mães, aniversário de amigas e etc. sempre tenho 1 milhão de idéias na cabeça mas, quando o assunto é um presente para homens, caio em um limbo!

Se me aprofundo nas preferências de cada um deles, percebo que, ou vou gastar muito dinheiro ou, as coisas são bem difíceis de encontrar e, se opto pelo básico, fico com medo de não agradar e ter meu presente deixado de lado. Como resolver?

Este ano, eu tenho uma super novidade para quem, assim como eu, quer presentear os papais da sua vida sem deixar todo o salário na loja e, com a certeza de ver o presenteado curtindo e aproveitando muito o presente!

A novidade é a Coleção Bagagem de Mãe de camisetas divertidas tal pai, tal filho! Nem sei contar pra vocês como fiquei feliz quando recebi o convite da loja Leão Leãozinho para criar uma coleção de camisetas com todas as coisas que eu mais adoro!

Tem todo tipo de estampa, sempre com frases engraçadas, menções à filmes, desenhos e músicas que amamos aqui em casa e fazem parte da minha vida. Para o Dia dos Pais, a seleção está incrível e eu tenho certeza que uma delas vai ser a cara do papai por aí, olha só:

camiseta tal pai tal filho

Clique AQUI para comprar

Para os papais ou vovôs que vivem engravatados, nada como ensinar desde cedo a elegância de se vestir, né? hehehe

camiseta tal pai tal filho

Clique AQUI para comprar

Para os papais que amam a natureza, nada como lembrar sempre que os nossos filhos são os nossos melhores frutos!! <3

camiseta pai e filho

Clique AQUI para comprar

Os papais saudosistas vão adorar explicar para os filhos o que, afinal, era esta coisa com uma fita enrolada! Ah, e não pode esquecer de explicar a relação da fita com as canetas Bic, né? hahahaha #oldbutgold

camiseta tal pai tal filho

Clique AQUI para comprar

Porque ser o nerd da turma também pode ser passado de pai para filho! hihihi

camiseta tal pai tal filho

Clique AQUI para comprar

Aqui em casa é rock’n roll na veia!! Papais roqueiros vão morrer de orgulho de ter um pequeno roqueirinho em casa! Tem coisa melhor do que curtir a mesma música com seus filhos?

camiseta tal pai tal filho

Clique AQUI para comprar

Nós somos mega fãs de Star Wars e é claro que, na minha coleção de camisetas não poderia faltar muitas menções ao nosso filme do coração! Tem história de amor de pai mais incrível e que atravessa gerações, do que a história do Dark Lorde e seus filhos Luke e Léia?

Amo tanto que tenho 3 versões de estampas para a Coleção Bagagem de Mãe, a primeira é esta aí de cima, uma mistura de “Poderoso Chefão” com a descoberta mais incrível da saga Star Wars, a segunda é com o fofo do Chewbacca:

camiseta tal pai tal filho

Clique AQUI para comprar

E a terceira….

camiseta tal pai tal filho

Clique AQUI para comprar

Filho de peixe, peixinho é! <3

A última sugestão é a famosa camiseta para brincar! Os pais cansados podem ficar quietinhos enquanto recebem uma massagem e são a própria pista! Vovôs também curtem, viu?

camiseta pista de carrinhos

camiseta pista de carrinhos

Camiseta é aquela coisa, todo mundo usa, todo mundo gosta! Mesmo os mais engravatados e fashionistas, não abrem mão de uma camiseta confortável de vez em quando, certo? E com certeza ele vai morrer de orgulho de ver o pequeno usando as coisas que ele também curte, é muita fofura!

Você encontra a Coleção Bagagem de Mãe lá no site da loja Leão Leãozinho, clique AQUI para acessar e conhecer todas as opções.

As camisetas podem ser feitas de vários tamanhos e modelos, aqui eu mostrei camiseta adulto + camiseta infantil mas, você também pode fazer camiseta + body para os pequeninos!

Eu estou super feliz em ver as peças prontinhas, tanta coisa que eu adoro junto só pode ser muita felicidade!! Inclusive, o papai aqui de casa está saindo na vantagem, porque está tão difícil escolher uma só que ele vai acabar ganhando várias! hehehe

Espero que tenham curtido também e #ficadica de presente para este Dia dos Pais! Ah, e quem tiver mais sugestões de estampas ou alguma coisa que está procurando e não acha, me conta! Quem sabe entra pra coleção também!

Bjs ;)

Categorias Moda

O primeiro corte de cabelo do bebê

corte

Ô judiação! Não precisa ser assim! Imagem: weheartit (public domain)

 

Quando o Pedro nasceu, era bem cabeludinho daí, passou por aquela fase careca-monge franciscano e o cabelo recomeçou a nascer. Um cabelinho lindo, cheio de cachinhos na base e eu não queria cortar nunca!

Afinal, é muito pessoal esta questão do primeiro corte de cabelo do bebê! Ela vai depender primeiro, das próprias características do bebê (alguns nascem carequinhas e o cabelo demoraaaaa pra crescer) e também, do gosto pessoal de cada mãe.

Pra mim, a hora do primeiro corte de cabelo, foi a hora em que o cabelo começou a incomodar ele mesmo. O Pedro tem dermatite atópica severa (entenda o que é neste post AQUI) e por isso, o próprio suor dele causa alergias e muita coceira! O cabelinho cheio de cachinhos cresceu ao ponto de tocar o pescoço e daí, em dias mais quentes, ele suava demais e começou a ter muita coceira no pescoço, orelha e no próprio couro cabeludo. O jeito foi dar fim às lindas madeixas do meu pequeno! Sofri! :/

Na hora de levar ele pra cortar o cabelo pela primeira vez, eu fiz tudo errado! /0\

Eu não sou prendada o suficiente para cortar o cabelo dele eu mesma, minha mãe era! Sempre cortava os cabelos, meus e das minhas irmãs, em casa mesmo. Aparava as franjas, acertava o comprimento…. Até encontrei uma ferramenta interessante para mães que querem tentar esta habilidade, olha só:

Creaclip-SA

O CreaClip é tipo uma “prancha” de plástica com um nivelador, a idéia é você “clipar” a parte do cabelo que pretende cortar, nivelar pra ficar retinho e cortar. Parece simples, será???

 

Enfim, como eu não sou prendada assim, e fiquei com medo de machucar o meu filho, resolvi levá-lo a um salão de cabeleireiro. Na época, eu nem me atentei em pensar em um salão especializado, pensei apenas em não levá-lo no salão que eu costumava ir porque, por lá as mulheres estavam sempre usando muitas químicas e aparelhos e eu achei que não era um ambiente “respirável” para um bebê de quase 2 anos.

Decidi levar ele em uma barbearia que o papai cortava o cabelo e que havia um assento “especial” para crianças, era um carrinho, a criança sentava lá e DEVERIA facilitar o trabalho do barbeiro. Eu também pensei que, já que tem uma cadeira especial destas por lá, no mínimo, o “tio” barbeiro deveria ter alguma experiência com crianças, né?

Bom, o resultado foi que, o tal “tio” barbeiro não tinha nem experiência, nem paciência nem nenhuma habilidade com crianças. O Pedro chorou muito, se mexeu muito, eu fiquei desesperada de preocupação com aquele “cara” com uma tesoura tão perto do pescoço, olhos e rosto do meu filho e ainda por cima, pra tentar contornar o caos, o tio teve a feliz idéia #sóquenão de dar um pirulito pro menino no meio do corte!

O pirulito ficou cheio de cabelo e daí, ele chorava porque estava com medo e porque queria chupar o pirulito e não podia, porque estava cheio de cabelos! Caos define! /0\

Filho de primeira viagem tem destas, né? Tudo o que a gente faz é sem experiência nenhuma, às vezes, funciona, às vezes, não! Neste caso, não funcionou mas, teve o lado positivo, na hora de cortar o cabelo da Cacá pela primeira vez, eu fui muito mais cautelosa e criteriosa:

  • Procurei por salões infantis especializados,
  • Fui conhecer o salão, as instalações, os profissionais e ver referências de crianças que estavam cortando os cabelos por lá (se choravam, como os profissionais lidavam com isso e etc)
  • Procurei saber se os produtos que usariam nos cabelos dos meus filhos eram apropriados para crianças (shampoo/condicionador infantil)
  • Dei uma olhada nos materiais de trabalho (tesouras, pentes, escovas, secadores), alguns salões tem pentes e escovas esterilizados, o que eu acho muito legal para evitar o risco de pegar piolho, por exemplo.

Ok, parece que eu estou sendo muito frescurenta e é óbvio que eu não saí investigando o salão inteiro, fui conhecer e dando uma olhada, perguntei qual profissional era mais paciente e então, marquei o corte da Cacá.

Ela começou a chorar, não queria ficar na cadeira-nave espacial e não queria saber de brinquedo nenhum então, neste momento, eu vi a diferença em ter um profissional que se especializou em crianças. A cabeleireira sugeriu que eu me sentasse com ela no meu colo, enquanto íamos conversando (eu e Cacá) ela ia cortando, aos poucos, com muita paciência, me indicando se queria que ela olhasse pra esquerda, direita, pra cima, pra baixo…

No final, deu tudo certo! Cabelos de Cacá cortados, ela saiu feliz, sem choro e eu, sem trauma! Sim, foi mais caro, demorou quase 1h pra cortar mas, fiquei bem feliz em pagar por esta tranquilidade! Depois desta experiência, Pedro e Cacá passaram a cortar o cabelo só no salão especializado, com o passar do tempo, o trabalho que eles davam foi diminuindo e hoje, Pedro aos 7 anos e Cacá, aos 5 anos, já não dão trabalho nenhum!

Então, se você está pensando em cortar o cabelo do bebê pela primeira vez, as principais dicas são:

  • Procure um salão especializado ou, se você tiver, um cabeleireiro de confiança, que conheça o seu filho, seja paciente…
  • Leve um brinquedo ou alguma coisa que seu filho goste e esteja familiarizado, pode ajudar a distraí-lo e dar mais segurança!
  • Se puder, evite os finais de semana que são mais lotados, procure um dia mais tranquilo, com menos barulho e pessoas. Se ele ainda for bem novinho, pode ser muita novidade ao mesmo tempo e acabar assustando!
  • Ninguém conhece o seu filho melhor que você, se você acha que vai funcionar melhor se ele estiver no seu colo, faça isso! Não se importe tanto com simetria do corte, pense mais em segurança!

De uns tempos pra cá, eu percebi um crescimento (pelo menos aqui em SP) de salões especializados, acho bom mas, também tenho algumas restrições quanto às loucuras de vaidade em crianças! Já vi coisas que me deixaram assustada, como crianças de 4/5 anos fazendo MAQUIAGEM e FRANCESINHA no salão! Aí não, né?

Pra mim, criança tem que ser criança! É muito bom ter um salão que se preocupa em ser capacitado a atender todas as necessidades do meu filho, é super bacana ter profissionais que têm paciência e didática para fazer o que é preciso mas, eu acho que é preciso estar sempre atento aos limites desta vaidade afinal, as crianças vão crescer e terão uma vida inteira para conviver com o bombardeio de padrões e imposições de beleza, moda e afins.

Enquanto puderem se preocupar em serem apenas crianças e lindos do jeito que são, é isso o que vou defender, pelo menos para os meus filhos! ;)

E por aí, já rolou o primeiro corte de cabelo? Tem mãe prendada que consegue cortar em casa? Me contem como é isso?

Bjs ;)