Categorias Moda

Armário cápsula: dá pra viver com 37 peças no armário?

armario capsula

Quem me conhece de perto sabe que, eu sou a aloka da organização. Sério, eu tenho tique, TOC, sei lá, só sei que não suporto estar no meio da bagunça!

Aqui em casa, todas as coisas têm os seus devidos lugares e a maioria delas, tem etiquetas, nominhos, cantinhos específicos, cores específicas e por aí vai. Desde que me lembro, sempre fui assim! Eu tenho dislexia, TDAH e sofro muito por não conseguir encontrar um foco e ter mil coisas borbulhando ao mesmo tempo na minha cabeça, ter as coisas organizadas, foi um meio de “sobrevivência” que encontrei.

Agora, imaginem a vida com filhos, que vira mesmo uma loucura, mil coisas a mais para organizar, etiquetar, arrumar, guardar, rotina, pediatra, comida, fraldas, cremes, cuidados… Eu poderia pirar, né?

Quando eu percebi que as coisas poderiam sair do controle e virar uma loucura mesmo, eu foquei em manter tudo o que é deles em ordem. Tipo, esqueci mesmo do que é meu, do que é particular aliás, existe particular ou privado na vida de mãe?

Com toda minha “chatice” por organização, estabeleci com as crianças que, eles podem sim espalhar e bagunçar a casa toda com seus brinquedos, artes e afins, desde que no final da brincadeira tudo volte para seus devidos, organizados e etiquetados lugares!

A nossa dinâmica tem funcionado bem no dia a dia mas, como eu foquei nas coisas deles, o que é meu virou bagunça, e isso estava me matando!

Já faziam alguns meses que eu andava bem irritada com a zona que estava o meu armário, eu não encontrava nada do que eu queria e pior, apesar de fazer limpas semestrais, tirar muitas coisas para doação, a verdade é que eu tirava e colocava de volta peças novas sem nenhum critério, sem nenhuma necessidade real daquelas peças.

No meio disto tudo, estava um final de semana vagando pelo Facebook, quando vi na timeline um link compartilhado por uma amiga que falava sobre o armário cápsula. O que me chamou atenção para o link foi o fato de a tal blogueira que criou o conceito, viver com apenas 37 peças de roupa por estação, ou seja, por 3 meses, ela vive com looks compostos por 37 peças, não compra novas roupas e vai economizando dinheiro, para compras mais objetivas.

Fui clicar para conhecer e entender como funcionava e descobri a Caroline, blogueira de moda do Unfancy. Ela começou com esta idéia porque estava sentindo uma necessidade de ser mais prática, mais funcional, estava meio de “saco cheio” de ter no armário tantas coisas paradas, que necessitavam da atenção dela e queria simplificar a vida.

Para a Caroline, o armário cápsula foi uma maneira que ela encontrou de liberar espaço, diminuir o tempo gasto com as “coisas” e aumentar o tempo gasto com as “pessoas” e também, um jeito de consumir de maneira mais eficiente.

Mas por que 37 peças? A questão, como diz a Caroline, não é o número! Para ela, 37 peças são o ideal, mas você pode ter mais ou menos peças, desde que dentro de um limite que simplifique a sua vida e te faça saber realmente o que está no armário afinal, pra que ter guardadas peças que você não usa, não caem bem, e você nem lembra que elas estão por lá?

Achei a idéia ótima! Tudo o que tiver a palavra mágica “simplificar” ganha logo a minha atenção e, se ela tiver junto dela a palavra “organização”, pronto, tô dentro!

No mesmo dia, resolvi começar esta “revolução” no meu guarda-roupas. Eu já estava adiando a faxina nele haviam meses e então, com este número “mágico” em mente (37 peças), encarei o desafio com os seguintes objetivos: otimizar o meu tempo na hora de escolher uma roupa, aumentar e organizar o meu espaço no guarda-roupas, conseguir visualizar exatamente o que eu tenho no armário e consumir de maneira mais eficiente e controlada.

Se você também gostou da proposta, eu sugiro que você comece com os seguintes passos:

1 – Retire tudo do seu armário, tudo mesmo!

Coloque sob a cama tudo o que está nos seus cabides, gavetas, caixinhas, caixonas, ganchinhos etc. Com esta “visão”, com certeza você se sentirá envergonhada das vezes em que disse a célebre frase “não tenho nada para vestir!” #quemnunca?

armario capsula

2 – Comece a separar as peças!

Roupas de ginástica, pijamas e roupas “de ficar em casa” (aquelas calças de moletom, shortinhos de fazer faxina, sabe?) não entram nas 37 peças então, já separe tudo isso em uma pilha que não será mexida. Depois, com todas as outras peças, faça uma segunda divisão de acordo com a estação do ano. Por exemplo, eu comecei este projeto no final de janeiro/início de fevereiro então, meu armário só precisava de peças de verão (e alguns casaquinhos e calças, já que em SP não dá pra ter muita certeza com o clima).

Separei as roupas de inverno sem me preocupar com quantidades, simplesmente tirei da frente e estoquei em sacos de vácuo para serem olhadas na próxima estação. Com as peças da estação certa em cima da cama, comecei outra separação: 1 pilha de peças que eu amo, 1 pilha de peças para doar, 1 pilha de peças para consertar, 1 pilha de peças que eu não tenho muita certeza.

3 – Diminuindo o volume!

A pilha de peças para doar eu já tirei da frente e coloquei em sacolas, a pilha de peças para consertar passaram por nova revisão, cada peça que eu pegava eu me perguntava: tá, eu não uso isso faz tempo porque precisa consertar, se não uso faz tanto tempo, será mesmo que preciso destas peças?

Aquelas que eu nem lembrava que existiam, foram para a doação e no fim, apenas 2 peças, que eu realmente sentia falta, foram para o conserto. Eliminada a pilha de peças para consertar, parti para a pilha de peças que eu não tinha certeza.

Nesta pilha de roupas, tive grandes revelações: descobri peças com etiqueta e que nunca foram usadas, peças que eu tinha 2 ou 3 iguais, outras que só mudavam a cor, peças que não tinham nada a ver comigo e com o que eu costumava usar e eu nem sabia porque estavam ali, peças que eu só guardava porque tinha ganhado de alguém especial e peças com mais de 10 anos que simplesmente, não tinham mais a ver com quem eu sou agora!

Muitas coisas desta pilha de roupas foram para a doação também e então sobrou a pilha de peças que eu amo! Nesta pilha, estavam as peças que eu sempre usava, que eu sabia que me caíam bem, que combinavam com este ou aquele look, que eram par perfeito para aquela calça X, vestidos, macacões, casaquinhos….

4 – Chegando no número!

Com base no objetivo de reduzir para o número 37 as minhas peças, peguei a pilha de roupas que eu amo e comecei a separar as partes de baixo. Como eu sabia que, para cada parte de baixo poderia ter cerca de 4 ou 5 partes de cima, achei mais fácil escolher logo o que seriam as partes de baixo que eu precisava ter no armário.

Escolhi: 2 shorts jeans, 3 calças jeans de modelagens e cores diferentes (skinny, boyfriend e pantalona), 1 calça social, 1 saia longa e 1 saia midi bandage. Com as partes de baixo escolhidas, as que sobraram foram novamente revisadas, aquelas calças, shorts e saias que eu não usava fazia muito tempo e eu sabia que nem me faziam falta, foram para doação. Aquelas que eu sabia que poderia usar na próxima estação, foram para o “estoque”.

Para cada parte de baixo, escolhi cerca de 4 ou 5 partes de cima, como eu uso muito camisetas e adoro montar looks com camisetas, diminuí de novo com nova revisão, tirando da pilha camisetas que já estavam muito poídas e poderiam ir para as roupas “de ficar em casa”, camisetas que eu já não usava fazia muito tempo foram para doação, e algumas eu separei para conserto ou customização, hehehe!

Assim, eu já tinha 32 peças de roupas mas, queria incluir vestidos e macacões (porque adoro e tenho vários) nos looks e percebi que, teria que abrir mão de mais peças para doação ou, revisar novamente para separar o que poderia ficar para a próxima estação. Diminuí o número de partes de cima para 3 para cada parte de baixo e cheguei no número 24.

Separei estes looks montados e parti para os “trajes completos”, vestidos e macacoes. Fiz nova revisão separando peças que eu usaria mais na próxima estação e peças que foram para doação. No final, fiquei com: 3 macacoes, 1 vestido longo e 3 vestidos curtos chegando no número 31!

Mesmo sendo um armário cápsula de verão, aqui em SP não dá pra garantir que todos os dias serão de sol e assim, eu sabia que precisava de casaquinhos! Separei 1 jaqueta jeans básica, 1 casaquinho de renda neutro e 1 blazer “diferentão” que é curinga para as produções, cheguei em 34 peças e era hora de escolher os sapatos!

Até aqui, devo confessar que foi bem fácil desapegar das peças de roupas. percebi que eu tinha muita coisa mesmo comprada no impulso, e que estas, foram as mais rápidas de desapegar. Na hora de escolher os sapatos foi que o “bicho pegou”!

Eu amo sapatos e bolsas, mais que roupas! E como já tinha 34 peças, teria que escolher apenas 3 pares de sapatos para alcançar o número 37 e eu sabia que isso seria impossível! Resolvi começar fazendo novas pilhas com os sapatos: sapatos para doação, para conserto, para a próxima estação e aqueles que eu amo!

Os sapatos para a próxima estação foram direto para o estoque, os sapatos para doação foram para as sacolas, revisei novamente os sapatos para conserto e acabei doando todos, me sobrou a pilha de sapatos que eu amo.

Nesta pilha, fiz nova separação por “sapatos de festa” (aqueles super saltos e sapatos de momentos especiais), sapatos do dia a dia (rasteirinhas, tênis, sandálias) e sapatos mais “sociais” (para reuniões de trabalho, eventos e afins).

Pensando no meu dia a dia e rotina, cheguei a conclusão de que era melhor priorizar as rasteirinhas e sandálias do dia a dia, escolhi 3 sandálias rateiras bem verão, 1 espadrilhe com salto plataforma que pode fazer as vezes de casual ou social e por isso, é meio curinga também, 1 mocassim estampado, 1 converse branco e 1 saltinho nude bem social para ocasiões mais formais. Cheguei no número 41! Este é o meu número!

Chequei se todos estes sapatos ficavam legais com os looks que eu montei e todos os outros que sobraram, que eu não consegui desapegar, ficaram no estoque para pensar de novo. Como diz a Caroline, “se você sentir falta, ele está guardado e se não sentir, será mais fácil de desapegar na próxima mudança de armário!”

Eu levei 2 dias para conseguir fazer toda esta “curadoria” no meu armário, pelas minhas contas, eu tinha mais de 300 peças de roupas!!! Só de vestidos, eram quase 50, quase 10 macacoes, mais de 15 calças jeans, mais de 50 camisetas… Muita, muita coisa que eu nem sabia mais que tinha!

A primeira sensação que tive quando recoloquei as coisas que sobraram no armário, e vi aquele espaço todo, consegui visualizar realmente tudo o que eu tinha e vi as minhas caixinhas etiquetadas bonitinhas, foi de alívio! Como se um grande “encosto” estivesse saindo da minha vida!

Na primeira semana, a felicidade em abrir o armário e já saber exatamente o que vestir me fez economizar mais de meia hora “largada” na frente dele e também, me fez ficar bem feliz por perceber que eu tinha feito escolhas acertadas para mim!

armario capsula de verão

Na segunda semana, chegou o Carnaval e daí, como fiquei largada em casa, meus looks foram de piscina e de “ficar em casa”, só na quinta e na sexta é que tive compromissos fora de casa e daí, escolher o que usar também foi moleza!

armario capsula

Na semana 3, eu estava de TPM e senti aquela famosa sensação do “não tenho o que vestir”, sentei na frente do armário por alguns minutos (coisa que não fazia há 2 semanas) e então, quando abri as gavetas percebi que sabia sim, exatamente o que colocar, o que me deixava confortável nestes dias em que a gente fica meio “borocoxô”. Isso foi bem legal!

Ajudou a melhorar o ânimo e outra coisa bacana desta semana foi que, eu tive uma viagem bem curtinha em família e daí, na hora de fazer a mala, com os looks todos bem certinhos e poucas peças, fiz a minha mala em 10 minutos, amei! \0/

armario capsula de verão

Estou começando a quarta semana do projeto, eu tenho compartilhado todos os looks, todos os dias lá no instagram @bagagemdemae e também, respondido dúvidas lá no snapchat bagagemdemae quem quiser começar o projeto e tiver mais dúvidas, pode mandar por lá ou por aqui, ok?

Acho que agora, lá pelo meio de março, terei que fazer a mudança do armário para a temporada de outono-inverno. Aqui em SP já começa a esfriar em meados de março e com as chuvas, eu preciso de peças que incluam botas e blusas que neste momento, eu não tenho no armário.

Tô bem confiante que, esta segunda etapa será mais simples e talvez, além de atender os meus objetivos de simplificar a minha vida e me ajudar a consumir de modo mais consciente, eu também consiga finalmente descobrir qual é o meu estilo e comprar somente aquilo que tem a ver comigo de verdade!

Lá no Unfancy, a Caroline disponibilizou um documento de planejamento do armário cápsula, o documento ajuda a colocar no papel tudo o que você imagina como um “armário ideal” para você levando em conta o seu estilo, tipo de corpo e orçamento. Eu não usei o planejamento para começar este primeiro armário porque, precisava sentir que conseguia “sobreviver” com tão poucas peças no armário, agora que sei que é possível, vou completar o planejamento antes de virar o novo armário.

Se você quiser começar com o planejamento, eu traduzi do inglês e criei uma versão que você pode baixar e imprimir clicando AQUI.

No projeto da Caroline, ela inclui guardar dinheiro durante os 3 meses do armário cápsula para, no final, comprar aquilo que você sentiu que faltou ou, peças para o armário da nova coleção ou quem sabe, finalmente conseguir aquela bolsa ou sapato que você sempre sonhou!

O meu objetivo, já que bolsas não entram nas 37 peças, é comprar uma bolsa nova que estou namorando há 1 ano, acho que na próxima estação já vou conseguir, hehehe!

E pra quem me perguntou se dá para fazer armário cápsula com o guarda-roupas das crianças, eu acho que não! Na verdade, nem tentei pois, as crianças sujam e necessitam de muito mais peças de roupas do que a gente!

Aqui em casa, sempre tenho um cálculo por cima de, pelo menos 2 a 3 trocas de roupas completas por dia então, o número 37 fica inviável. Fora isso, as crianças crescem muito rápido e normalmente já perdem muitas peças de roupas, o que me obriga a fazer limpas semestrais e comprar novas peças para as próximas estações, sempre!

Mas eu acredito sim que dá para maneirar e ser consciente na hora de comprar as roupas para os filhos! Confesso que, com eles, também sempre fui meio “descontrolada” nas roupas e sapatos, mas comecei a olhar melhor para as peças que estava comprando repetidas e acumuladas, peças que eles usavam 1 vez e já perdiam e peças que nem chegavam a usar e, dei uma boa freada desde o ano passado.

Então é isso, o projeto armário cápsula tem funcionado muito bem por aqui, tem me feito refletir sobre as minhas escolhas e principalmente, me fez resgatar o meu lado mulher além de mãe já que, dar mais atenção para as minhas coisas, minhas roupas, meu gosto, meu estilo me fez recuperar uma parte minha que eu deixei de lado para atender as necessidades das crianças.

Quem se anima a tentar? Me procurem no instagram, snapchat ou no facebook para contar tudo ou perguntar qualquer coisa! Vamos lá, consumir de modo consciente, lembrar que também temos necessidades e estilos próprios faz muito bem para a cuca (e o bolso) de mãe, eu recomendo!

bjs ;)

Deixe seu comentário

Comentários

3 comentários via blog

  1. Jaqueline comentou em

    Amei!!!Ja baixei o arquivo .Obrigada.
    OBS:Parabens + um vez pelo blog…cada dia melhor.

  2. Talita Rodrigues Nunes comentou em

    Loreta, que demais!! DEMAIS mesmo!! Gostei principalmente da reflexão sobre o seu estilo. E também foi bom saber que nem tudo foi para doação (existe um “estoque”, ufa!).
    Eu NUNCA parei para pensar em qual é o meu estilo. Dá para acreditar?? Com quase 35 anos na cara, acho que já passou da tempo disso acontecer, né?
    Fiquei impressionada como os looks não se repetem (notei apenas uma saia e um short repetido)! Provasse que funciona! Será que eu (me) encaro??