Categorias Vida de Mãe

Sobre namorar depois da maternidade…

Esta semana foi Dia dos Namorados aqui no Brasil! E por mais que a TV e mídia em geral teime em esquecer, eu preciso contar uma BOMBA pra vocês! Vai chocar o seu mundo, talvez você não saiba como lidar com esta verdade, mas ela precisa ser dita:

MÃES TAMBÉM NAMORAM!!

E quando eu digo que mães também namoram, eu quero que você tire da sua cabeça aquela imagem ingênua e pueril de namoro com beijinhos inocentes e andar de mãos dadas… Mães namoram no sentido de NAMORAR MESMO! Namorar igual a propaganda da Marquezine com o Neymar, MÃES FAZEM SEXO!!

Com exceção da Virgem Maria, todas as mães fizeram sexo para serem mães! Você sabe disso, né? Não foi a cegonha, o bebê não nasceu do repolho, e não teve uma sementinha mágica colocada na barriga da mamãe pelo papai… FOI SEXO MESMO!!

SEXO!!

Que palavra proibida no universo das mães, né? Se para as mães casadas da “tradicional família brasileira” já é tabu, que dirá das mães solteiras? Das mães homossexuais? Das mães do poliamor e de todo tipo de amor que não é da conta de ninguém? E a quantidade de preconceito? E a quantidade de adulto precisando de análise simplesmente porque é incapaz de perceber que MÃES SÃO PESSOAS?

Pois é…

E o pior é que na maioria das vezes, o tabu do sexo depois da maternidade, é perpetuado por nós mesmas! É tanta gente falando (ou não falando) sobre o assunto, é tanta informação desencontrada, tanto preconceito disfarçado na TV e em tudo o que nos permeia que a gente cria um bloqueio com a gente mesmo!

Como assim, agora que sou mãe, agora que meu corpo passou por toda esta transformação, agora que não me sinto mais aquela mocinha, agora que tenho outras prioridades, agora que preciso ser madura e responsável, agora que só posso pensar no meu filho… Como assim eu ainda vou pensar em namorar? Em sentir prazer? Em ser MULHER?

E se eu pensar, como eu vou conseguir voltar a me entender com este lado da vida? Como eu vou aceitar que este mesmo corpo que se transformou, que abrigou e alimentou um bebe, que pode ter algumas marcas desta transformação, ainda é um corpo desejável, atraente e digno de prazer?

Pois é…

Fácil, não é! Eu demorei um bom tempo para compreender tudo isso dentro de mim e ainda estou no processo! Mas neste Dia dos Namorados, ao invés de postar uma fotinho de casal lá no meu Instagram, eu postei uma foto com fatos sobre namorar depois da maternidade…

A repercussão da foto e dos fatos foi tão grande, tão boa e tão engraçada que, para que não se perca em mais uma rede social, vou reproduzir aqui a minha listinha básica com mais detalhes de cada item:

1 – Tá tudo bem se você não estiver afins!

Se não faz sentido pra você, esqueça tudo o que você leu até aqui! Sexo é bom sim, mas também é supervalorizado, isso é uma verdade! Agora, se o fato de você não sentir desejo está te incomodando, converse com seu ginecologista porque pode acontecer sim um desequilíbrio hormonal que acaba afetando este lado da vida! ;)

2 – Tá tudo bem você demorar um pouco pra se reencontrar neste novo corpo, novo coração, novas prioridades…

Você levou nove meses para “fazer um bebe”, você mudou, tudo mudou! Ás vezes, as coisas que te deixavam excitadas, não deixam mais! Talvez você fique incomodada com as mudanças que ocorreram em você, talvez você se assuste com outras coisas que descobriu sobre você agora, é normal! Um exemplo: depois de amamentar meus filhos, eu perdi um pouco da sensibilidade nos seios e fiquei meio triste com isso, achando que nunca mais voltaria ao que era antes, mas voltou! Tenha calma e dedique um tempo a se redescobrir, em todas as áreas! A gente sabe que as preliminares femininas tem muito mais a ver com sentimentos do que com qualquer outra coisa então, reconheça seu novo corpo, sua nova mente, seu novo coração… vale a pena!

3 – Ás vezes, por mais que você queira, o seu corpo tá confuso e a gente sente um certo “ressecamento”… Miga, KY sempre ajuda!

É natural acontecer um ressecamento no período pós-parto, converse com seu ginecologista sobre isso, conheça opções que podem ajudar!

4 – Não faça sexo para satisfazer ou cumprir uma obrigação que você acha que tem com o seu parceiro. Lembra, o sexo é para o prazer de TODOS os envolvidos!

É muito comum passar pela nossa cabeça (depois de anos ouvindo esta M… de tudo quanto é lugar) que se você não “der” para o seu marido/parceiro o que ele quer, ele vai “procurar lá fora”. Eu penso assim: o sexo tem que ser bom para os dois lados, se você fizer apenas por medo ou porque acha que é uma obrigação, ele não vai ser bom pra você, e se ele não for bom pra você as chances de você querer fazer de novo vão diminuir e tudo isso vai acabar minando (ainda mais) o seu desejo sexual. É tudo bem cíclico, sabe?

Se o seu marido/parceiro não é capaz de compreender o seu momento, te respeitar ou se interessar por tudo o que está acontecendo com você neste momento e, quem sabe, te ajudar a passar por isso, talvez ele não seja tão merecedor de você como você imagina! Eu sei que falar é muito mais fácil do que colocar em prática, mas pensar sobre isso já é um primeiro passo e conversar sobre isso pode ajudar e muito!

5 – Antes você não fazia barulho para não acordar os pais, agora você não faz barulho para não acordar os filhos!

Apenas trago verdades!! E tô começando a torcer pelo dia em que eles estarão na faculdade, morando em suas próprias casas… não! Péraê!! hahahahaha

6 – Talvez as coisas tenham que ser mais rápidas do que antes, aposte no conceito de qualidade ao invés de quantidade!!

Vai por mim, rapidinhas com qualidade são bem melhores do que noites longas sem sentido! hehehe

7 – TRANQUE A PORTA!

Pelamordedeus! Tranque a porta e não seja pego em flagrante! Ensine seus filhos a bater e respeitar uma porta fechada!!

8 – Não perca oportunidades! Deu vontade, crianças não estão em casa, tá todo mundo afins? Aproveita, miga!

Vida com filhos é isso! Talvez você nã consiga mais programar as noites românticas, então tá valendo a tarde, a manhã, a hora do almoço…

9 – Se você tá com dificuldade de se sentir linda, investir em lingerie pode ser uma boa idéia! Eu sou aloka das rendas!

Vá até uma loja bacana de lingeries e escolha peças cheias de rendas, que te façam sentir sensual e linda. Pra mim, super funciona!

10 – Se dê uma chance! Você é merecedora de alegria, de prazer e de orgasmos! Vai por mim!

Se você confia no seu parceiro e em você mesma, tire da cabeça as bobagens sobre postura de mãe, manuais, peso, marcas, regras… Todos nós, seres humanos, estamos em busca de felicidade, é para isso que nos movemos na vida então, relaxa! Abra mão de tudo isso que anda martelando na sua cabeça e no seu coração e se permita!

Você merece, você pode, sim! ;)

Categorias Vida de Mãe

Pra ajudar seu filho a aprender inglês

Ás vezes, por mais que os pais coloquem os filhos nos melhores cursos de inglês, treinem em casa, falem junto ou tenham facilidade com a segunda língua, os filhos não conseguem ou não se interessam em aprender o segundo idioma.

Aqui em casa era assim: a Cacá adorava e tinha a maior facilidade, o Pedro detestava!

Todo bimestre ele ficava de recuperação da bendita matéria, só de saber que era dia de aula de inglês, ele já mudava de humor, se retorcia na cadeira, bufava, fechava a cara e não tinha o menor interesse mesmo!

Claro que a escola, o método e a professora contam muito para melhorar a disposição do aluno em aprender inglês, e este ano ele está indo muito bem por conta desta mudança de escola que fizemos. Mas eu ficava sempre pensando o que é que os pais podem fazer para ajudar seu filho a aprender inglês?

Comecei a tentar algumas coisas por aqui e têm funcionado muito bem, por isso, resolvi compartilhar com vocês! \0/

1 – Aplicativos e joguinhos

Descobri um app muito bacana que é gratuito para IOS e Android e tem vários níveis de aulas, desde iniciante até quem está interessado em manter o segundo idioma vivo na cabeça com conversação diária. Este app é o DUOLINGO!

Todos os dias tem atividades, com imagens, sons, musiquinha, associações… Além de ler e responder as questões, as crianças também podem escutar como é que se fala e ao responder corretamente, vão ganhando pontos e avançando níveis. É como se fosse um joguinho e eles adoram justamente por isso!

Além do app, decidimos deixar os jogos de videogame com as instruções sempre em inglês assim, eles se esforçam para compreender o que precisam fazer e também, escutam e lêem em inglês quando os personagens dos jogos conversam ou explicam alguma coisa.

2 – Música

Usar a música como ferramenta de aprendizado é uma ótima estratégia! Aqui em casa eu uso de várias maneiras!

O Pedro é doido por Michael Jackson então, procuro com ele na internet as letras das músicas que ele mais gosta e depois, o desafio é traduzir para entender sobre o que fala a letra e aprender a cantar em inglês.

Outra coisa é usar outros artistas para brincar de karaokê. As crianças amam soltar a voz e eu descobri um canal no Youtube que tem vídeos novos todos os dias, sem os clipes (que ás vezes, são inadequados para as crianças), com a melodia e a letra. É o SING KING!

E se além de cantar as crianças também amam dançar, o maior sucesso aqui em casa é o JUST DANCE! Pra quem nunca ouviu falar, Just Dance é um jogo de coreografias de uma infinidade de músicas pop!

O desafio é dançar conforme a coreografia que pode ser de 1 só pessoa ou em grupo, além da coreografia, a música rola solta e a letra também! O Just Dance está disponível para consoles de videogames como XBOX, Nintendo, PlayStation, também dá pra jogar na Apple TV, no computador e smart tvs (usando o celular como controle de movimentos) ou, você pode apenas procurar no Youtube os vídeos (busque como “Just Dance 2018) e acompanhar as coreografias + música + letra sem pontuar. Diversão certa!

3 – Filmes

Além da música, uma coisa bem legal que a gente faz aqui em casa é assistir aos filmes queridinhos das crianças várias vezes e de jeitos diferentes!

Por exemplo, a primeira vez a gente assiste dublado, depois assiste com audio em inglês e legendas em português, depois com audio em português e legendas em inglês e depois, tudo em inglês. A diversão é conseguir ouvir a voz original daquele ator ou personagem de desenho, descobrir quais são os trejeitos e sotaques, os bordões, a risada…

4 – Cartinhas

Para treinar a escrita, eu escrevo muitos bilhetinhos para eles em inglês e eles escrevem de volta em inglês também. Nem sempre vem tudo certinho, mas é bacana de ver o esforço deles em traduzir o que eu escrevi e a tentativa de escrever em inglês também.

Nós sempre corrigimos juntos e eu explico como se lê, sem perceber, eles vão aprendendo gramática e colocando em prática no dia a dia!

5 – Utilidades do dia a dia

Um dos grandes desafio de aprender uma segunda língua é que, a falta de uso dela no dia a dia, faz com que a gente esqueça as palavras, não aprenda a pronunciar corretamente ou sinta vergonha de falar errado.

Aqui em casa eu sempre digo que o importante é se comunicar, e se você está tentando falar, isso já conta muito! Depois, tentamos incluir coisinhas simples no nosso dia a dia como: good morning! (bom dia!), Lunch time! (hora do almoço), I love you! (eu te amo!), see you later! (até mais tarde!), thank you! (obrigada!), sorry! (desculpa!), mom, dad, brother, sister e assim por diante.

Também vou nomeando as coisas e lugares da casa em inglês pra que eles não esqueçam e gravem na memória e assim, brincando, eles vão adquirindo vocabulário! ;)

Eu acredito muito que é super importante saber se comunicar em inglês na nossa sociedade atual. Independente do tipo de profissão que o seu filho pretende seguir, com o mundo todo tão conectado e a possibilidade de conhecermos novas pessoas, lugares, tecnologias e culturas com apenas um clique no celular, compreender o que se lê ou escuta é com certeza ampliar os horizontes dos nossos pequenos!

Vocês também pensam sobre isso? Me contem suas estratégias!

Bjs! ;)

Categorias Vida de Mãe

Só desculpa não adianta!

Desde antes de as crianças começarem a falar suas primeiras palavrinhas, eu já ia sempre repetindo e ensinando aquelas que considero mágicas: por favor, obrigada, me desculpa e com licença.

E eles aprenderam! Ah sim, as crianças são umas esponjinhas! Os cérebros rápidos e novinhos em folha, ávidos por extrair do mundo tudo o que ele estiver disponível para oferecer, aprendem a falar de tudo, as palavrinhas mágicas e outras não tão mágicas assim….

E também “aprendem” a esquecer de usar as palavras mágicas quando lhes convém, mas vou falar disso em outro post!

Hoje quero falar sobre a palavra mágica DESCULPA! Você pode até nunca ter prestado muito atenção, mas esta é uma das palavras mágicas de maior poder que existem!

Dizer DESCULPA nem sempre é fácil, ás vezes, é uma palavra que sai arranhada da nossa garganta, tem gente que nunca consegue dizer e ás vezes, uma grande confusão, uma grande mágoa ou uma grande angústia, podem ser resolvidas quando alguém simplesmente diz DESCULPA!

Mas ela só é mágica de verdade, só faz efeito, só funciona, quando sai de dentro da gente com o poder do nosso real arrependimento! Só dizer DESCULPA sem estar sentindo de verdade o arrependimento, não adianta nada!

E por aqui, descobri que apesar de ter ensinado para as crianças quais eram as palavras mágicas e porque elas são mágicas, eles haviam esquecido…

Sabe quando uma palavra vira automática? Quando você nem pensa pra falar?

Aqui em casa estava assim, qualquer coisa que acontecia, qualquer discussão que começava, um já gritava “DESCULPA” daí, o outro continuava a reclamar, falar e argumentar e aquele que já havia pedido desculpa gritava mais alto: “eu já pedi DESCULPA, pô!”

Tudo errado, né?

Me diz, de que adianta você abrir a boca pra gritar desculpa pra alguém que está chateado com você? Quais são as chances de a pessoa que está chateada te desculpar de verdade se você está gritando o seu pedido de desculpas como se o simples fato de abrir a boca para soltar esta palavra fosse capaz de reparar qualquer dano?

Nenhuma chance!

E foi isso que tive que sentar para explicar – de novo, para os meus filhos e – pasmem (ou não!) para o meu marido!! Sim porque, nós adultos também entramos neste automático da vida, também achamos que por causa de toda a carga e pressão que carregamos nos nossos ombros, temos o direito (ou a desculpa) de simplesmente despejarmos coisas automáticas que servem apenas para manter a harmonia da casa e família, sem que de fato estejamos sentindo aquilo de verdade!

Antes de abrir a boca para pedir DESCULPA, você precisa sentir a necessidade de pedir desculpas. Precisa sentir o arrependimento brotar de dentro de você. Quando você sentir, ele vai tomar forma e vai precisar sair de dentro da sua garganta.

Ás vezes, vai doer pra ele sair, porque outros sentimentos que também moram dentro da gente, como o orgulho e a vaidade, ficam segurando o arrependimento e tentando proibir que ele se liberte da gente. Mas se você sente que ele está aí dentro, precisa colocar pra fora sim!

E não é só isso!

Só pedir desculpa, por mais verdadeiro que seja, não repara o dano causado, a mágoa que o outro está sentindo e se a M… que você fez foi física ( como por exemplo, quebrar alguma coisa) pedir desculpa com certeza não recupera o material estragado.

E como faz então?

Pedir desculpas é um processo de 2 partes: primeiro você sente o arrependimento nascer dentro de você, de verdade. Depois, você solta ele e já procura um jeito de reparar o dano que você causou. Perguntar para a outra parte como você pode reparar o seu erro, é um excelente caminho!

Quer ver dois exemplos práticos da DESCULPA que funciona?

Caso 1

Pedro rasgou um trabalho de escola da Catarina, foi sem querer, ele não sabia que era um trabalho de escola, achou que fosse só um desenho. Rasgou, ela chorou, os dois começaram a maior discussão, ela chorava e ele gritava “DESCULPA! FOI SEM QUERER!”

Me intrometi na confusão pra entender o que estava acontecendo, ouvi os 2 lados e expliquei para o Pedro que, ele não tinha o direito de rasgar nada que fosse da irmã ainda que não fosse nada QUE ELE julgasse importante. Simplesmente porque não era dele!

Isso estabelecido, fica entendido que não importa o que você pensa sobre a importância ou não de uma coisa, se ela não é sua, você não pode rasgar, estragar, sujar, tomar posse, ferir… Agora, o dano já havia sido causado, e é direito da pessoa ofendida ficar magoada, independente do quanto você peça desculpas!

Então, o melhor que você pode fazer é tentar reparar o dano para conseguir que a mágoa da outra pessoa vá embora, e ela também possa te desculpar de verdade! No caso do Pedro e da Catarina, o jeito foi ele se oferecer para ajudá-la a refazer o trabalho, e por mais que ela dissesse chorando que nunca mais iria conseguir fazer outro igual (o que provavelmente era verdade) o fato de o irmão ter pedido desculpas de verdade, reconhecido que errou e se dispondo a trabalhar com ela para resolver, fez com que os ânimos se acalmassem, ela pôde desanuviar olhos, cabeça e coração, desculpou o irmão e enxergou o novo projeto com carinho. Final feliz!

Caso 2

Numa destas manhãs em casa, eu estava falando sobre qualquer coisa sem muita importância com o marido e ele respondendo, de repente, eu disse alguma coisa que ele era contra e ele respondeu com a maior grosseria gratuita. Eu dei risada, tentei levar para um tom de brincadeira e sublimar que aquilo havia me magoado e foi sem necessidade, mas ele insistiu na grosseria e daí, eu disse que estava muito chateada!

A discussão se armou! Eu fiquei chateada e ele não aceitava que eu estivesse chateada com aquilo porque não foi a intenção dele me chatear, e pra ele, se ele não tinha a intenção de me magoar então, eu não tinha o DIREITO de estar chateada!

Opa! Alto lá!

Eu, ele, você, todo mundo tem direito de se chatear com qualquer coisa que julgar ofensiva para si! Que fique claro que, aquele que se sente ofendido é quem pode dizer se doeu e porque doeu, não importa o que você pensa, ou qual foi a sua intenção! Se você magoou alguém, peça desculpas e pronto!

Mas ele não queria pedir desculpas porque não achava que havia feito nada de errado, e então, a DESCULPA, não nasceu dentro dele para poder sair, a vaidade e o orgulho estavam ganhando. Mas outro sentimento se manifestou: o medo!

Pode rir! Mas quem vive uma vida de casal sabe que, muitas vezes, a gente pede desculpas sem ter vontade de pedir apenas por medo de abalar aquela harmonia que eu disse lá em cima. Ninguém quer viver em guerra dentro da própria casa, certo?

Mas fazer uma coisa assim, não seria repetir o erro das crianças?

Anham!! É isso mesmo! E existe outra verdade mais universal que não seja o fato de que, ao crescermos, subimos muros de proteção emocional em volta da gente que nos fazem agir contra o que sentimos e sermos menos honestos e assim, vivermos a vida com máscaras que não queríamos usar? Pois é….

Expliquei pra ele que não importava o que ele achava ou quais eram as intenções dele ao dizer aquelas coisas. A única coisa que importava era que naquele momento, ele havia me magoado e saber quais eram as intenções dele, não mudavam o fato de que eu estava magoada!

Então, ele fez a clássica “eu não acho que estou errado, mas ME DESCULPA…” se você não acha que está errado, por que está pedindo desculpas? Você não precisa achar nada, eu não estou julgando se você errou ou acertou ao ser grosseiro, eu só quero que você perceba que estou magoada, que quem me magoou foi você e isso é um ERRO! Comigo ou com qualquer pessoa! Magoar outras pessoas é errado, simples assim!

Enfim, ele entendeu meu ponto de vista, pediu desculpas por ter me magoado, e não pelo o que disse, ou pelo o que pensava. Ele tem o direito de pensar diferente de mim, é claro! E eu jamais quero que ele concorde comigo 100% das vezes, isso seria a maior chatice!

Mas como faz pra reparar este tipo de dano? O emocional, que a gente não resolve fazendo um novo desenho?

Mudando atitudes! E é aqui que a coisa complica e precisa de um pouco mais de maturidade, porque a parte ofendida precisa ter fé de que quem ofendeu realmente está arrependido e vai mudar, vai pensar melhor antes de ser grosseiro, antes de ser rude, antes de dizer coisas que servem apenas para magoar…

E nem sempre a outra parte tem maturidade o suficiente para isso, ou amor, ou fé. Mas a lição sobre sentir o arrependimento verdadeiro, pedir desculpas e tentar reparar o dano, foi ensinada e cumprida. Cabe agora a próxima: perdoar!

Porque aprender a perdoar talvez seja uma das lições mais difíceis da vida, e mesmo que nós, pais e mães, ainda não saibamos direito como colocar em prática esta parte nas nossas próprias vidas, é nosso dever ensinar aos nossos filhos a serem tolerantes!

Lembra que eu disse que eles são esponjinhas? Pois é, eles são mesmo! E não sei vocês, mas o meu “projeto mãe” é criar seres humanos que sejam muito melhores do que eu! É ensinar pra eles tudo o que sei e o que estou aprendendo por causa deles, é mostrar um caminho onde os sentimentos existem sim, onde ás vezes, a gente se machuca, mas tem conserto!

Acredito muito que não existe um manual do equilíbrio perfeito entre proteger os nossos sentimentos e mantermos os corações abertos para perdoar e amar. Mas a busca por este equilíbrio é meu guia, e é o que tento transmitir aos meus filhos!

É trabalho fácil?

Claro que não! Até parece que só aconteceram estes dois casos e a minha casa virou o lar mais feliz do mundo com todo mundo se dando super bem e sem nunca discutir… Tem dias que cada um está com um tornado interno mais forte que o outro e quando se chocam, tremem o universo!

Mas a gente segue insistindo, ensinando, apaziguando, dando uns gritos ás vezes (porque sim!) e acreditando que quando crescerem, vão fazer deste mundo um lugar muito mais tolerante e cheio de perdão.

Porque diz a lenda que, DESCULPA, entoada do jeito certo (já diria Hermione) é uma palavra mágica poderosíssima, e praticá-la pode mudar o mundo! #ficadica

Bjs! ;)

Categorias Decoração

7 lojas de decoração para comprar no Instagram

Vocês sabem que nós mudamos de casa recentemente, né? E casa nova pede tudo novo, né? hehehe

Eu aaaamo decorar, amo estar envolvida em todos os processos de deixar o nosso lar mais aconchegante e cada vez mais a nossa cara. Por causa disso, tenho pesquisado muito por lojinhas de decoração e coisas para casa, achei 7 lojas de decoração para comprar no Instagram que têm coisas lindas, diferentes, preço justo e entregam direitinho!

Olha a minha listinha:

Loja Pequenas Causas @pequenas_causas

Tem muitas coisas diferentes mas, o que eu amo mesmo e comprei por lá, foram os adesivos de parede que são diferentes, com preço justo, entrega rápida e dá pra fazer muitas composições bacanas!

Para conhecer tudo e comprar, acesse o site: www.lojapequenascausas.com.br

Amo esta cartela de adesivos de coração miudinho! E dá pra escolher 2 cores na mesma cartela!

Também tem verbetes assim com adesivos metalizados!

A Casa Verdinha @acasaverdinha

Nesta lojinha você vai encontrar pratinhos para decorar a parede! Eu amoooo este tipo de arte super artesanal e exclusiva! Os temas são lindos, a caligrafia da artista é linda e o preço é bacana também!

Para comprar ou fazer encomendas, basta enviar um direct via instagram mesmo!

Composição lindaaaa!

Estou apaixonada por esta Frida! <3

Ziovara @ziovara

A Ziovara vende moda diferente e descoladona que eu amo e também, artigos de decoração diferentões que dão um charme para os cantinhos da casa! Pode confiar em comprar qualquer coisa lá, é lacre certo! rs

Você pode comprar através do site: www.ziovara.com.br

Um charme estes vasinhos de animais!!

Loja Amanda Mol @molamanda

A Amanda é a artista, ela faz papelaria personalizada linda e frases e palavras em acrílico que eu amooo muito!! Você pode comprar as que ela já tem pronta entrega ou, encomendar palavras exclusivas e que tenham a ver com a sua família e a sua casa!

A Amanda acabou de abrir a loja física em Varginha, Minas Gerais ou você pode comprar pelo site: amandamol.com.br

Palavras com a caligrafia da artista transformadas em posteres ou acrílico!

Decorarti @decorarti_

Estou num caso de amor com esta loja! Cheia de enfeitinhos lindos, descolados e minimalistas e com vasinhos de plantas que são simplesmente lindos e de arrasar qualquer decor! Os preços são justíssimos e a entrega bem rapidinha!

A Decorarti vende pelo site: www.decorarti.com.br

apaixonada por estes vasinhos geométricos metalizados!! <3

Lemy Presentes @lemypresentes

A Lemy tem quase tudo o que você precisa para decorar e organizar a casa, mas o que eu mais amo são as opções de cozinha que vão desde utensílios até itens para mesa posta cheios de charme e que fazem composições lindas!

A Lemy tem loja física na região de Santana em SP e também loja virtual: www.lemypresentes.com.br

Você pode comprar as peças individualmente e fazer sua própria composição!

Ócio Café @ooocio.cafe

Eu sou louca por canecas diferentes e exclusivas e a Ócio faz, artesanalmente, canecas com frases e palavras divertidas que é pra já te deixar de bom humor logo cedo ou, enfeitar a sua mesa do escritório!

Dá pra ver todas as opções e fazer encomendas no site: www.ooociocafe.com.br

Quero todas! <3

Além de terem produtos lindos, estas contas de instagram tem fotos que são verdadeiras inspirações para quem também está decorando, reformando ou precisando dar um up na casa!

Só indiquei aqui aquelas que eu tive experiências positivas de compra, se você conhece outras que valem muito a pena, aumenta a minha lista!

Bjs! ;)

Categorias Vida de Mãe

Beyblade: guia para mães

Se você também tem filhos na casa dos 8 aos 13 anos, talvez já tenha ouvido falar por aí do Beyblade.

E se você ouviu mas não entendeu nada, calma! Vem comigo que eu vou te contar tudo sobre este brinquedo que já virou mania das crianças!

A primeira coisa que você precisa saber sobre o Beyblade é que ele é nada mais, nada menos que um pião. Sim! Um pião!

Brinca-se exatamente como se brincava antigamente só que agora, os piões são mais “moderninhos”, com lançadores de maior potência do que as antigas cordinhas e design intercambiável que os tornam mais “fortes”.

Mas vamos voltar às origens…

Os Beyblades foram inspirados nos tradicionais piões japoneses chamados de Bei-Goma:

Lá no Japão, assim como no Brasil, as crianças brincavam com seus piões feitos de restos de metais como: porcas, arruelas, parafusos e usavam um barbante para fazê-los rodar. Ao invés de montarem uma “arena” no chão – como faziam as crianças brasileiras, eles travavam suas “batalhas” em arenas montadas sob bacias ou tinas de água cobertas por lona.

A empresa japonesa Tomy, lançou em 1999 esta versão mais moderninha dos piões que já eram um dos brinquedos mais amados dos japonesinhos e de lá pra cá, o brinquedo entrou para o portifólio da Hasbro e foi ganhando muitas versões e gerações. Atualmente, a versão dos nossos filhos é a 4ª geração e se chama Beyblade Burst.

Esta geração de piões moderninhos tem 4 tipos: piões de ataque, de resistência, de defesa e de equilíbrio e destes são cerca de 20 modelos. Uma das “graças” da brincadeira, é a possibilidade de desmontar os seus piões inteiros e trocar peças deixando-os personalizados e melhorando seu desempenho na arena!

Sobre a arena, a brincadeira é bem simples: os “guerreiros” se desafiam em uma arena que pode ser o chão, uma bacia ou a arena oficial da marca. Há 3 maneiras de vencer o seu oponente: lançamento para fora da arena (quando um pião consegue jogar o outro para fora), vitória por sobrevivência (aquele pião que se mantiver girando por mais tempo é o vencedor) e a vitória por eclosão (quando um pião consegue bater no outro e fazê-lo desmontar).

Eu sinceramente, acho a brincadeira bem saudável! Estimula as crianças a praticarem, a competirem de forma saudável, a criar novos piões e é um tipo de atividade que exige que as crianças se movimentem e se reúnam em grupos.

Além disso, ao contrário de outros brinquedinhos “da moda” o Beyblade não tem preços abusivos! Você encontra o kit de pião mais lançador a partir de R$ 40,00 e a arena oficial a partir de R$ 60,00

E se o seu filho está (assim como o meu) muito apaixonado pelo mundo dos Beyblades, saiba que além dos piões físicos há uma série de desenho onde as crianças podem acompanhar a saga de Valt Aoi e seus amigos que estão em busca de se tornarem os melhores “bladers” do mundo, competindo em batalhas e arenas.

Na versão desenho, os piões de cada personagem são amigos de seus donos (parecido com Pokemon, sabe?) e assim se desenrolam as tramas. Eu, particularmente, acho o desenho bem ruim! Não consegui gostar dele não, mas é inofensivo e está disponível na Netflix.

 

 

Valt Aoi, seus amigos e seus piões

Também existe a versão de batalhas Beyblade em forma de aplicativo. Disponível para Android e IOS, o app Beyblade Burst permite que a criança escolha o seu personagem e dispute batalhas. A cada batalha ganha ele pode incrementar o seu pião e continuar disputando.

Se você quer saber mais sobre o Beyblade, a Hasbro mantém um site bem bacana com todas as informações sobre a origem do brinquedo, personagens, como funciona e um tira-dúvidas para pais. Para conhecer o site oficial, clica AQUI.

Aqui em casa, o Pedro tem somente 1 pião e brinca muito com seu grupinho de amiguinhos que se reúnem aqui no quintal de casa para “batalhar”. Estou esperando reaparecem as arenas que estão em falta no mercado para ver se consigo salvar o meu piso, porque tá dureza ser o QG oficial dos “bladers” do condomínio. hehehe

E por aí? Já conheciam os Beyblades? Tem algum outro brinquedo que virou mania? Me conta tudo!

Bjs! ;)

Categorias Cinema&Cultura

Livros inspiradores do mês: Rupi Kaur e Nina George

Eu amooo livros de fantasia, ficção, distopias… Mas depois da trilogia do Rei Arthur (vou falar sobre ela em outro post) estava querendo livros inspiradores, sabe? Queria menos “sangue” e mais “vida real”…

Daí, passeando na livraria no início deste mês, encontrei alguns tesouros e vou compartilhar com vocês dois deles que eu simplesmente “devorei” em 1 semana e que valem muito a pena!

 

De Rupi Kaur, “Outros jeitos de usar a boca” é um livro de poemas, de sentimentos, empoderamento, de reflexão, de desatar nós, de botar pra fora, de lavar a alma!

E não são só as palavras de Rupi Kaur, o livro também tem ilustrações feitas pela autora e antes de ser publicado por uma grande editora e republicado em diversos países, Rupi teve a coragem de bancar sua obra, de publicar de maneira autônoma e acreditar em si mesma.

É muito amor próprio e inspiração!

O tipo de livro que você pode ler na ordem das páginas, a partir dos temas (porque está dividido em 4 partes) ou, simplesmente abrir uma página ao acaso quando estiver precisando de umas palavras, e ler a sua “sorte do dia”. Livro de cabeceira! Amei muito!

O segundo livro que me surpreendeu muito foi “O maravilhoso bistrô Francês”, de Nina George. Um livro leve, de leitura fácil e descomplicada que já começa com uma “bomba”: a protagonista comete suicídio!

Mas o que a levou a isso? Por que tomar esta atitude aos 60 anos e com uma vida, aparentemente, estável e feliz?

Se você está pensando que é estilo “13 Reasons Why”, esqueça! Neste livro há muita inspiração, muitas revelações e muita coragem da protagonista. Encontrar uma história de uma mulher que, aos 60 anos, encontra forças para mudar sua própria história e sair pelo mundo sem nenhuma garantia, é no mínimo uma lição de vida!

Além disso, sempre fico muito feliz quando encontro histórias sobre mulheres maduras, inteligentes, que tem muito mais do que a beleza física e aquele blá blá blá de romances de mocinhas desprotegidas, sabe?

Na nossa sociedade atual, a média de vida das mulheres é de quase 80 anos então, faz total sentido que uma mulher na casa dos 60 anos ainda tenha tempo para ressignificar a sua própria vida e história e acreditar que ainda tem muita coisa para ver, criar, conhecer…

Então é isso, se vocês também estão em busca de livros cheios de inspiração e motivação, escritos por mulheres incríveis e sobre mulheres incríveis #ficadica

E se você leu algum outro incrível, compartilha comigo também! Vamos criar o nosso próprio “círculo de leitura”, rs!

Bjs! ;)

Categorias Decoração

DIY: Mesa Listrada

Desde que nos mudamos aqui para a casa nova, em dezembro do ano passado, ando envolvida no projeto de decorar o nosso novo lar pra deixar ele mais aconchegante e com a nossa cara!

Saí de um “apertamento” de 70m² para uma casa de 200m² então, já viu né? Não tenho móveis suficientes para mobiliar a casa e o que trouxe do apartamento, é ridiculamente pequeno para os novos espaços. Eu brinco que parece que tô acampando na minha casa! hehehe

Sim, a mudança é super positiva mas, a decoração e novos móveis está sendo feita aos pouquinhos, de acordo com a grana que vai entrando, sabe como é?

Eu também não tenho pressa, gosto de ir pesquisando os estilos, os tecidos, as tendências, os preços… e adooooro colocar a mão na massa e fazer algumas coisas eu mesma!

Foi assim que, num passeio por uma loja Etna, entrei na área de saldos e encontrei uma mesinha de centro que estava pela metade do preço por causa do tampo todo judiado!

Ele estava cheio de cola de adesivos e alguns riscos que não tinham conserto mas, tinha a cor e o tamanho exatos que eu eu queria e daí, resolvi trazer a mesa pra casa e tentar arrumar um jeito de consertar ou reformar.

Já ouviram falar no conceito de Upcycling?

É quando você pega materiais que seriam desprezados, considerados ultrapassados ou estragados e reforma deixando a peça atual, dando nova utilidade pra ela e agregando valor.

Bom, saí pesquisando pelo Pinterest uma idéia que combinasse com a decor que quero aqui pra minha casa e dei de cara com esta mesa listrada aqui:

Eu ando numa coisa com dourado e metalizados que não sei explicar! Tô simplesmente apaixonada por usar estas cores na decor da casa toda e por isso mesmo, comprei um spray metalizado dourado e saí por aí pintando tudo o que via pela frente!

Quando vi esta mesinha, com estas listras douradas, na hora sabia que dava pra fazer o mesmo usando a minha latinha de spray e deixando a minha mesinha linda!

Achei esta outra mesinha aqui no Pinterest:

Isto me deu uma idéia de como começar a reforma da minha mesinha que também é retangular! Então, olha só o passo a passo:

Ela era assim, só que a minha estava com o tampo cheio de cola e alguns riscos. Então, eu usei Vim e esponja de aço para remover a cola e os riscos, contei com a sorte das listras para disfarçar.

Passei fita crepe na mesa toda! Começando marcando um X central, são as únicas linhas que se cruzam. Com a ajuda de uma régua, dei uma distância de 3,5cm da primeira linha e passei a fita de novo, fui repetindo e cortando o excesso para que as linhas não se cruzassem.

Passei o spray metálico na mesa toda, eu protegi as laterais também com fita crepe para não pintar sem querer. Deixei secar por 30 minutos!

Depois de seca, removi a fita crepe e ela ficou assim! Olha já com os enfeites e em cima do tapete da sala:

Eu amei! Achei que ficou muito linda mesmo! Como eu esperava, a tinta metálica dourada cobriu os riscos e disfarçou bem as imperfeições do tampo. A mesa parece novinha e parece muito mais cara do que foi!

Pra você ter uma idéia do custo:

  • Mesa avariada (mesa de centro Fly da Etna) R$ 49,90
  • Spray metálico dourado MetalGyn R$ 29,90
  • Fita crepre R$ 5,00
  • Custo total da mesa: R$ 85,00

Esta mesa, novinha, com acabamento branco ou em outras cores sólidas, custa R$ 99,90 então, eu acho que valeu muito a pena!

Pra quem também tem uma mesinha precisando de uma reforma ou de uma carinha nova, olha estas outras idéias que eu também achei no Pinterest:

Mesa xadrez com fita crepe e tinta fosca.

Triangulos laterais também com fita crepe e tinta fosca.

Tampo de mesa decorado usando stencil floral e tinta fosca.

Todas estas idéias são bem simples e fáceis de fazer, né? Ainda tenho um montão de coisas que quero fazer e mexer por aqui, vou mostrando pra vocês o que deu certo!

Quem também ama um DIY me mostra suas artes e me dá umas dicas também!

Bjs! ;)

Categorias Vida de Mãe

Aos 35…

Engraçado como tudo pode mudar de um ano para o outro, né? Eu sempre gostei de fazer aniversário! Não por causa de festas ou presentes, mas porque eu penso que o dia do seu aniversário é o único dia dos outros 365 dias do ano, que é só seu! Não importa quantas milhões de pessoas também façam aniversário no mesmo dia que você, pra cada uma delas é um dia só dela e pronto!

Birthday Girl!

No ano passado, eu não gostei…

Não é que eu estivesse infeliz ou que, de repente, tivesse perdido a graça do dia… É que no ano passado eu preferi ficar escondida, recolhida curando uma grande, grande dor no coração. Fruto de uma decepção com uma amiga…

Porque eu sempre fui destas, homem nenhum nunca me magoou, nunca permiti que nenhuma paixonite me tirasse do prumo, sabe? (não que eu nunca tenha sofrido por amor e estas coisas) mas as amigas… ah, quantas vezes eu já sofri por me decepcionar com pessoas em quem eu confiava!!

E no ano passado eu estava em “processo de recuperação”, porque eu também sou destas que sempre deixa tudo muito claro, que vai atrás, conversa, explica, expõe o que tá sentindo, escuta, dá uma segunda, terceira, quarta, quinta chance… mas quando estas chances se esgotam, eu vou pra uma espécie de UTI emocional.

Fico arrasada mesmo! Devastada! No chão!

E daí, vou me recuperando, aos pouquinhos, no meu tempo, respeitando meu prazo de sofrer, de compreender e de me libertar!!

Foi doloroso! Me escondi, chorei, sofri, mal disse, bloqueei e excluí da minha vida, das minhas listas, das minhas redes sociais…

Mas passou!

E agora, neste dia de hoje, aos 35 anos, eu estou feliz de novo por fazer aniversário! Feliz porque entendi que tá tudo bem precisar passar por este processo todo. Que está tudo bem ser quem eu sou, do jeito que eu sou, está tudo bem me amar assim mesmo!

Porque eu acho que é este o grande aprendizado deste último ano pra mim: me amar, me respeitar, entender meus limites e não tentar mudar quem sou para agradar ou me enquadrar em nada!

Por muito tempo, eu achei que pensar assim era puro egoísmo! Porque a gente precisava tentar conviver bem com as pessoas ao nosso redor e isso significa tosar um pouco quem a gente é, engolir alguns ~muitos~ sapos…

Mas hoje eu sei que não é bem assim!

Egoísmo é tentar enfiar goela abaixo das pessoas o que a gente é e como queremos que as coisas sejam feitas, é olhar só pra gente sem empatia ou solidariedade com quem está a nossa volta!

Respeitar quem você é, se amar, entender seus limites e ser gentil com os outros, ainda que eles não te compreendam, é necessário para que consigamos oferecer as mesmas coisas para as outras pessoas.

Quem não se ama e não se respeita é incapaz de amar e respeitar ao próximo! Parece complicado, mas na verdade é bem simples!

Eu não tenho a pretensão de dizer que finalmente atingi a tal maturidade, ainda tenho uma estrada bem longa a percorrer. Mas acho que aprendi, finalmente, que sou digna de amor e carinho, que preciso começar por mim mesma e que se alguém não quer ser meu amigo, tá tudo bem!

A culpa não é minha, nem do outro, não é de ninguém! Não existem culpados!

Certas pessoas se esbarram na vida e participam por um período umas das vidas dos outros apenas para ensinar alguma coisa, ou apenas por acaso. Nem tudo precisa ser problematizado, romanceado, analisado…

Eu aprendi a olhar a vida com mais leveza, a aceitar aquilo que vem e aquilo que vai! E com este olhar, eu entendi que no ano que passou, enquanto sofria por algo que deixou o meu coração sangrando, deixei de olhar outras coisas que foram também importantes e dignas de alegria e satisfação.

Acho que assim é a vida!

Mas persistir no erro é apenas mostrar pra ela que ainda não estamos prontos e assim, cair de novo na mesma dolorosa lição! E eu aprendi sim!

Aos 35, posso dizer com honestidade e clareza que nunca na minha vida fui tão feliz, nunca me senti tão leve, livre, plena, amada e em paz com as minhas escolhas!

Nestes 35 eu tenho muito o que comemorar, eu já tinha antes, eu sei! Mas agora enxergo com mais clareza, como se o choro do passado tivesse lavado os meus olhos para que eu pudesse finalmente ver!

Disse hoje de manhã no instagram (segue lá @bagagemdemae) que eu até tenho saudades da bunda durinha, disposição e peitos olhando pra cima de quando eu tinha 20 anos. Mas não trocaria nenhuma destas coisas por quem eu sou agora!

Afinal, ter 30 e poucos é ter o corpo que você conquistou, a alma que você calejou e dinheiro no bolso para comprar suas próprias “brusinhas” e pagar suas próprias baladas! (e tudo bem se você está nesta idade e ainda esta insatisfeita com algum destes itens!)

Então que venha mais um ano, que venham novas amigas, novas descobertas, algumas decepções (porque sim, elas são necessárias) e muitas, muitas alegrias! Que eu possa rir mais das coisas, aceitar o que não posso mudar e ter força e sabedoria para mudar o que for preciso.

Hoje é meu aniversário, e eu tô feliz da vida!

Meus melhores presentes sempre!

Categorias Cinema&Cultura

TOP 10 da TV: o que os tweens andam assistindo por aqui

Falei recentemente sobre a minha marcação em cima do que as crianças assistem na TV, Netflix, Youtube e tudo mais, lembram?

E por mais que eu prefira que eles brinquem muito de boneca, carrinho, brinquedo, bicicleta fato é que, eles assistem TV sim! E eu também!

Adoro um seriadinho, um filminho e vou confessar que curto assistir aos desenhos junto com eles! Morro de rir! E só acompanhando é que eu posso saber o que é que está influenciando a cabecinha dos meus tweens, porque sim, influencia e muito!

Pensando nisso tudo, resolvi compartilhar com vocês os TOP 10 da TV: o que os tweens andam assistindo por aqui!

A lista não está por ordem de preferência, tem um pequeno resumo, os pontos negativos e positivos e a classificação etária de acordo com os meus critérios de MÃE! rs

1 – Onze

Onde? Disney Channel

Tipo: seriado

Indicado para: maiores de 8 anos

Resumo: Gabo é descoberto por um olheiro de futebol e agora, está treinando em uma escolinha de futebol da cidade grande. Ele passa pelos conflitos de deixar a família, conhecer novos amigos, provar para si e os outros que merece fazer parte do time e lidar com o bullying de colegas de time. Ah, e tem muito futebol! Os meninos amam!

Pontos positivos: acho muito interessante que, apesar de ser uma escolinha de futebol, tem time feminino de esportes variados, meninos e meninas são respeitados e fazem parte da mesma turma, o Gabo está sempre buscando superar suas dificuldades emocionais apoiando-se nos professores e amigos. A mensagem é de que acreditar em si mesmo e buscar o diálogo é sempre o melhor caminho!

Pontos negativos: deteeeeesto esta coisa manjada de bullying praticado pelos alunos da “elite” contra os novatos e menos abastados, e esta divisão eterna de classes que enquadra a sociedade desde os primeiros anos escolares até a vida adulta e os cursos alternativos. Mas, ok! Dá pra conviver porque infelizmente, isso ainda existe e muito na vida real!

2 – PennZero

Onde? Disney XD

Tipo: desenho animado

Indicado para: maiores de 5 anos

Resumo: Os pais do Penn estão presos em algum lugar de alguma galáxia ou dimensão, ele está em busca de salvá-los e neste processo, atravessa mundos paralelos se transformando no herói certo, na hora certa e salvando o dia.

Pontos positivos: gosto da idéia de que você pode ser o que quiser

Pontos negativos: não achei ainda!

3 – Gravity Falls

Onde? Disney XD

Tipo: desenho animado

Indicado para: maiores de 8 anos

Resumo: Dipper e Mabel vão passar férias em Gravity Falls, a cidade do avô Stan. O avô administra uma atração turística chamada “Cabana do Mistério” onde os turistas podem ver coisas sinistras e sobrenaturais e saber mais sobre os mistérios da cidadezinha.

Enquanto ajudam o avô, as crianças desvendam mistérios no melhor estilo Arquivo X para crianças, lidam com adultos nonsense, fazem amizades… Gosto muito!

Pontos positivos: tem uma trama e um roteiro bem amarradinhos dignos da inteligência das crianças. Um tipo de terror leve que eles podem compreender sem sentir medo e ao mesmo tempo, serem surpreendidos. Gosto de coisas que fazem as crianças pensarem.

Pontos negativos: não gosto de todo o apelo romântico (ainda que leve) que faz com que o Dipper (que é uma criança) se apaixone por uma garotinha da cidade mas, é bem leve mesmo e eu entendo que, a cada dia que passa, este tipo de coisa está cada vez mais fazendo parte da vidinha dos meus tweens. E isso me assusta! hehehe

4 – Henry Danger

Onde? Nickelodeon

Tipo: seriado

Indicado para: maiores de 5 anos

Resumo: Henry é um garoto de 13 anos que consegue um emprego de meio período inacreditável: ajudante de super herói! O super herói é o Capitão Man, defensor da cidade de Swellview e fruto de uma experiência científica de seu pai maluco.

As aventuras dos dois são daquele tipo bem nonsense, mas é um seriado engraçadinho e serve como entretenimento!

Pontos positivos: diverte sem fazer piadas bestas discriminatórias ou com apelo de bullying, sexualização, etc.

Pontos negativos: eu deteeeesto a irmã do Henry, Pipper! Ela grita o tempo todo, é uma mimadinha e me dá nos nervos!!

5 – Kally’s Mashup

Onde? Nickelodeon

Tipo: seriado

Indicado para: maiores de 8 anos

Resumo: Kally ganhou uma bolsa de estudos no melhor conservatório musical da cidade! Por causa da bolsa, ela precisou se mudar da casa de sua mãe para a de seu pai (eles são separados) e se adaptar com os novos amigos, a nova escola, a nova cidade…

Apesar de ser uma ótima pianista clássica, Kally tem um segredo: ela ama fazer mixagens de som, o que é proibido no conservatório super tradicional e por isso, ela cria um perfil falso para compartilhar sua música na internet. A música é um sucesso e a trama toda gira em torno das pessoas querendo descobrir quem é a DJ secreta, da melhor amiga que a ajuda a se esconder e do amor platônico que a Kally sente pelo irmão da melhor amiga.

Pontos positivos: eu gosto muito da abordagem da música! As crianças aprendem sobre música clássica, instrumentos, entendem as diferentes composições, ritmos, batidas… Apesar de ter (sempre tem) uma “vilã” daquelas patricinhas praticantes de bullying, as confusões são sempre resolvidas com diálogo e gentileza por parte de todos.

Pontos negativos: eu considero este um seriado bem adolescente mesmo! As personagens são mais velhas e a temática está acima do que os meus tweens estão vivenciando neste momento mas, acho inofensivo e quando me coloco de volta na idade deles, entendo que tudo o que a gente mais queria era ser logo “adolescente grande” então, se é pra ter um exemplo, que sejam bons!

6 – 100 Coisas para fazer antes do High School

Onde? Nickelodeon

Tipo: seriado

Indicado para: maiores de 8 anos

Resumo: Este é o meu predileto! Os amigos CJ, Crispo e Fenwick estão no ensino fundamental II e decidiram fazer uma lista de 100 coisas para fazer antes de chegarem ao High School (ensino médio).

Na lista da CJ tem de tudo um pouco: um dia dizendo só sim, aprender uma nova habilidade social, participar de um grupo diferente de amigos, fazer voluntariado… eles querem experimentar tudo o que puderem para chegarem “mais preparados” ao ensino médio!

Os 3 são muito diferentes, CJ é a típica garota “mediana”, não é a mais bonita, a mais popular, ou a mais inteligente, mas é persistente, criativa, leal e uma boa amiga. Crispo é o bonitão da escola, o típico garoto por quem todas as meninas são apaixonadas mas, não é lá muito inteligente e não presta atenção em nada disso, quer apenas curtir com os amigos e Fenwick é o nerd que não tem muitos amigos, é o melhor da classe, o número 1 da escola, tímido e retraído tem a ajuda de CJ e Crispo para se tornar mais sociável.

Pontos positivos: o seriado é exatamente tudo o que os meus tweens estão vivendo agora, neste momento. Então, é muito legal observar como eles se identificam com os conflitos das personagens e percebem como pode ser mais simples do que parece, resolver aqueles problemas que na verdade, nem eram tão grandes assim.

Pontos negativos: ainda não encontrei!

7 – Star vs As Forças do Mal

Onde? Disney Channel

Tipo: desenho animado

Indicado para: todas as idades

Resumo: Star é a princesa de um mundo distante cheio de magia, ela é enviada para a Terra para aprender e adquirir experiência. Por aqui, ela entra na escola comum e conhece Marco Dias, um garoto que vai ensiná-la sobre a vida na Terra e também, aprender sobre magia.

Pontos positivos: eu adoooro um desenho bem colorido e bem nonsense cheio de coisas que jamais aconteceriam. Acho importante esta magia, esta liberdade para a imaginação!

Pontos negativos: tem aquela coisa do “romance infantil” que eu sou completamente contra! O Marco se apaixona pela Star e há no roteiro, alguns daqueles momentos desconfortáveis e constrangedores de pessoas apaixonadas. Acho que ainda é meio cedo para isso, sabe?

8 – Game Shakers

Onde? Nickelodeon

Tipo: seriado

Indicado para: maiores de 5 anos

Resumo: Babe e Kenzie são duas garotinhas muito gênias que criaram um joguinho de celular que se tornou um sucesso! Com isso, se juntam ao amigo Hudson para formar uma empresa que tem o objetivo de criar cada vez mais, novos e divertidos joguinhos.

Entra na história o rapper Doble G que se torna o investidor delas e acrescenta o filho Triple G na empresa, onde ele se torna o “testador” oficial dos novos aplicativos.

Pontos positivos: gosto muito da empresa ser comandada por duas MENINAS gênias, por elas serem as chefonas, as que desenvolvem, organizam, promovem e comercializam seus novos produtos. Acho importante a mensagem que isto passa para meninos e meninas!

Pontos negativos: não chega a ser ruim mas, o enredo está todo enrolado em bobagens do adulto sem noção da história: o Doble G. Desde ostentação desnecessária até conflitos de divórcio, ele faz as besteiras e as crianças consertam. É engraçado, mas prepare-se para maus exemplos!

9 – School of Rock

Onde? Nickelodeon

Tipo: seriado

Indicado para: todas as idades

Resumo: quem assistiu ao filme homônimo pode esperar basicamente o mesmo enredo: professor trapalhão viciado em rock’n roll e alunos brilhantes nas matérias e na música.

No seriado, há mais espaço para o desenvolvimento pessoal das personagens principais (que são as mesmas do filme) e com isso, podemos acompanhar os conflitos e dramas da vida na escola tradicional e cara, enquanto eles escondem que são uma incrível banda de rock.

Pontos positivos: o enredo não tem nada de politicamente incorreto, as crianças arrasam cantando e tocando, e as piadas são boas sem apelação.

Pontos negativos: ainda não encontrei!

10 – Jovens Titãs

Onde? Cartoon Network

Tipo: desenho animado

Indicado para: todas as idades

Resumo: O prédio da Liga da Justiça está sob a administração de um jovem Robin que precisa treinar e liderar as versões também adolescentes dos heróis Ravena, Estelar, Mutano e Ciborgue. Mais ou menos como um albergue estudantil, em Jovens Titãs os vilões são as coisas “chatas” do dia a dia: limpar o quarto, escovar os dentes, comer de maneira saudável, cortar as unhas…

Tudo é exagerado e elevado á máxima potencia com músicas e efeitos hilários! Adoro! Assistia muito quando eu mesma era criança! rs

Pontos positivos: acho importante fazer graça das coisas do cotidiano e deixar as tarefas mais leves. Sim, a gente reconhece que elas são importantes, vamos fazer o que precisa ser feito, mesmo que a gente não goste. Mas podemos fazer piada disso, sem dramas!

Pontos negativos: eu não vejo pontos negativos, o que acontece aqui é que se você está esperando que depois de toda a chacota vai vir uma grande “lição de moral” ao final, esqueça! Eles fazem piada de tudo, viajam na maionese, reclamam, dão risada e é isso! Não tem direcionamento ou lição. Pra mim está ok, e pra você?

Pedro e Cacá assistem a todos estes programas juntos, aqui não tem aquela coisa de “programa de menina e programa de menino”. Claro, que eles têm preferências mas, sentam juntos e assistem juntos!

Aliás, isto é outra coisa que eu preciso compartilhar…

Sabe a briga do controle remoto? Aquela coisa de irmãos que cada um quer assistir uma coisa, e escondem o controle, e discutem, e correm um atrás do outro?

Então, aqui também tinha! Daí, eu resolvi isso de uma maneira super diplomática #sóquenão: brigou, eu desligo a TV!! Simples assim!

Eu não discuto, não coloco regra, não digo quem pode o que. Eu deixo que eles se organizem e se entendam e se eu escutar uma briga por causa de programa de TV, eu desligo e acabou!

Normalmente eles se resolvem fazendo 1 programa de cada, como a hora da TV não é muito longa, dá pra rolar 1 episódio predileto de cada um e acabou. Ás vezes, também rolam as discussões sussurradas para eu não ouvir… Morro de rir!

Porque também acho importante que eles aprendam a se resolver sozinhos sem tanta interferência minha, e também porque não estou interessada em ficar mais maluca do que estou! #soudessas

E por aí? O que está fazendo sucesso com os tweens?

Aumenta a nossa lista!

Bjs! ;)

Categorias Receitas

Bolo de laranja sem glúten

Vamos para mais uma descoberta culinária sem glúten? \0/

Ter descoberto a doença celíaca me assustou no início, agora sou feliz por saber o que é que me fazia tão mal, por não sentir mais dores, por me sentir mais disposta e estou amando redescobrir o prazer de fazer doces!!

Eu não sou super fã de cozinha, mas quando o assunto é confeitaria, tô super dentro! E uma destas descobertas que é sucesso aqui em casa é esta receitinha de bolo de laranja sem glúten!

Fácil, com poucos ingredientes, ele fica gostoso, fofinho, molhadinho e é uma opção para o lanche da tarde ou para a lancheira das crianças!

Vamos aos ingredientes:

  • 2 xícaras de chá de farinha de arroz
  • 2 xícaras de chá de açucar
  • 250ml de suco integral de laranja
  • 3 ovos
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 1/2 copo americano de óleo

Modo de fazer:

Acenda o forno e deixe pré-aquecendo. Bata os ovos na batedeira até ficarem bem espumados, acrescente o óleo e o suco e bata mais um pouco. Coloque o açucar e a farinha de arroz e bata mais, por último acrescente o fermento e bata na velocidade alta!

Despeje a massa em uma forma redonda com furo no meio previamente untada, leve ao forno pré-aquecido por 30 a 40 minutos (depende do forno). Espete com um palito ou garfo e se ele sair sequinho, está pronto!

Pra ficar molhadinho e com uma caldinha gostosa, faça o seguinte:

  • Desenforme o bolo ainda quente e faça furos nele com uma faca, regue o bolo com um pouco de suco de laranja, 1 concha pequena, mais ou menos. Com a ajuda de uma peneira, polvilhe açucar de confeiteiro por cima do bolo. A calda vai ficar quentinha e quando esfriar, formará uma crostinha doce por cima do bolo. Delícia!

 

Aqui em casa é um super sucesso, e não tem como errar com bolo de laranja, né? Acompanha qualquer chá ou cafezinho da tarde!

Quem testar, me conta depois!

Bjs! ;)