Categorias Cinema&Cultura

7 filmes sobre bullying para ver com as crianças

Ano passado comentei por aqui e nas minhas redes sociais, que o Pedro passou por um episódio de bullying muito, muito difícil na antiga escola. E por mais que a gente já tenha passado por isso na infância e adolescência, por mais que tenhamos superado e saibamos exatamente como é, quando estamos no lado mãe da coisa, fica bem complicado!

Por aqui, minha postura foi de apoiar e ouvir o meu filho, identificar rapidamente o que estava acontecendo e buscar o apoio da escola. Como a escola não se posicionou para resolver a questão, mudamos de escola, de ares e agora, na nova escola, com todo apoio e suporte, buscamos desfazer as mágoas e medos e curar o que ficou pra que ele possa seguir em frente com o menor dano emocional possível.

Foi ele mesmo, o Pedro, quem me mostrou o filme Extraordinário, e disse que queria muito ver. Neste final de semana, finalmente conseguimos assistir e o filme é mesmo incrível!

Fala sobre bullying e inclusão social não somente do ponto de vista das dificuldades do protagonista, mas apresenta como o bullying afeta toda a família, toda a comunidade escolar e como estas pressões podem ser resolvidas com empatia, gentileza e carinho.

Achei tão maravilhoso que com certeza incluiria como filme obrigatório em atividades escolares e dai, pensando nisso, resolvi selecionar 7 filmes sobre bullying para ver com as crianças, que podem ajudar no processo de prevenção e compreensão do bullying escolar.

1. Extraordinário

2017, classificação: 10 anos

Auggie Pullman tem uma condição genética que o levou a fazer muitas cirurgias, seu rosto não é nada comum e por isso, causa estranheza nas pessoas ao redor e mais ainda, entre os colegas na escola.

Alem de mostrar a superação pela qual o menino precisa passar todos os dias, o filme mostra como o bullying sofrido por ele afeta a todos a sua volta, e como é importante que todos se empenhem para combater pois, a dor de um se transforma na dor de toda uma comunidade, mesmo que não seja tão óbvio num primeiro momento.

2. Te pego lá fora!

1987, classificação: 10 anos

Um clássico da sessão da tarde, em Te Pego Lá Fora!, Jerry aceita o desafio de entrevistar o aluno recém-chegado na escola, Buddy. Acontece que Buddy é um valentão que detesta ser tocado e isto é exatamente o que Jerry faz! Com a promessa de uma briga no estacionamento do colégio, Jerry vai fazer de tudo para tentar fugir da briga até perceber que a única maneira de lidar com isso, é encarando.

Gosto deste filme porque ele mostra como pode haver um abismo entre os alunos e os profissionais do ambiente escolar, e como isso pode causar desamparo. Além disso, Jerry descobre que precisa encarar o desafio e ao tomar esta decisão, percebe que o valentão também está sofrendo ou seja, o bullying é sofrimento para todos os envolvidos e se resolve com empatia.

3. Meninas Malvadas

2004, classificação: livre

Outro clássico da sessão da tarde, gosto de Meninas Malvadas porque ele mostra muito nitidamente os grupos sociais que se formam na escola e toda angústia e pressão que estes grupos sofrem para se firmarem como os “mais legais” ou “mais populares” do colégio.

Cady entra na escola nova e descobre rapidinho que não faz parte do grupinho cool e sim dos “rejeitados”, decidida a mudar isso, ela muda seu estilo de roupas, cabelo, atitudes, rejeita seus amigos e se transforma em outra pessoa para ser aceita. Este processo faz com que ela descubra o que importa de verdade.

4. Ponte para Terabitia

2007, classificação: livre

Jess nunca conseguiu se enturmar com os amigos da escola, vive sofrendo com os apelidos e brincadeiras sem graça. Até mesmo dentro de casa, ele se sente deslocado e assim, decide focar em um campeonato de corrida para tentar se enturmar e ser respeitado.

Depois de treinar por todo o verão, ele é derrotado por Leslie. A garotinha nova da escola é diferente e não tem medo de ser assim, eles desenvolvem uma amizade verdadeira e criam juntos um lugar mágico para onde podem fugir dos valentões da escola, das broncas dos pais e podem ser quem eles quiserem.

5. As vantagens de ser invisível 

2012, classificação: 14 anos 

Logan está lidando com muitos problemas pessoais e sofrendo com ansiedade e depressão, no meio disto tudo, ele muda de escola e na escola nova se sente completamente sozinho, invisível.

Ate que ele conhece os irmãos Patrick e Sam, que também são deslocados e decidem se apoiar para transformar esta solidão em algo positivo. Talvez este filme seja melhor para os maiores (fundamental II e ensino médio) porque a temática vai além do bullying, fala sobre depressão e como é fundamental procurar apoio e descobrir maneiras de lidar com tudo isso.

6. Sete Minutos Depois da Meia Noite

2017, classificação: 12 anos

Connor está enfrentando muitos problemas pessoais: pai ausente, avó mandona e  mãe com câncer terminal. Tudo isso o transforma no “diferente” da escola, e ele também passa a ser perseguido por lá.

Toda noite ele tem o mesmo sonho, com uma árvore meio monstro que deseja compartilhar sua história em troca de ouvir a dele. A árvore monstro é uma linda metáfora sobre toda a dor que está presa dentro do garoto.

Sem saber como lidar com tudo, ele vai apenas escondendo e absorvendo até que um dia encara suas dores de frente.

7. Forrest Gump – O Contador de Histórias 

1994, classificação: 14 anos

Forrest é diferente, e por causa disso, é perseguido durante toda a vida por pessoas intolerantes. Mas ele escuta o conselho de sua amiga e amor da infância e decide correr sem olhar pra trás em busca de seus objetivos.

Pelo caminho, ele conquista amigos, corações e riqueza mas sem nunca deixar de ser quem é. Um clássico que tem como maior lição a resiliência humana.

Eu acredito sinceramente que o cinema é a arte que se conecta mais facilmente aos corações e por isso, acho que filmes podem ser poderosas ferramentas na construção de empatia e vínculos com os nossos filhos.

E se você está vivenciando o bullying com o seu filho, não esqueça de pedir apoio escolar, de estar pronta para ouvir o que ele tem a dizer, sem julgar, sem menosprezar.

E sim, todos nós passamos por isso na infância e a maioria de nós sobreviveu, mas isso não significa que nossos filhos precisem passar pelo mesmo afinal, você está criando seus filhos para viver ou sobreviver?

Pensa nisso! Bjs ;)

 

Deixe seu comentário

Comentários

1 comentário via blog

  1. Rafael comentou em

    Adorei as dicas, botei já na minha lista. Uma outra recomendação de filme é um musical indiano (sim! hahaha) chamado Como Estrelas na Terra, é de um garoto cm dislexia que sofre na família e na escola. Tem na Netflix ^^