Categorias Vida de Mãe

5 regras da maternidade moderna (e que você não precisa seguir!)

Ah, a maternidade! Vida louca, vida corrida, vida de culpas, vida de julgamentos, vida de palpites e opinões e é claro, de muito amor também!

Ser mãe é como ser inserida em uma nova “classe” de seres humanos, onde há muitas regras não ditas, muitos olhares tortos, muitos julgamentos e muitas vezes, ao invés de você se sentir completamente apoiada nesta nova “classe”, você se sente ainda mais sozinha!

A maternidade e o modo de criar filhos muda o tempo todo! As dicas e conselhos que me deram quando o Pedro nasceu, já não serviram para quando a Cacá era pequena e hoje em dia, estão mais que ultrapassados!

Os conselhos das avós, amigas e tias ás vezes, parecem sem sentido e eu, como blogueira, que estou o tempo todo compartilhando com vocês tudo o que aprendo e o que descubro de novidade deste universo, muitas vezes me vejo presa em questões que são tão ambíguas quanto primordiais.

Porque a verdade é que não existe uma maternidade perfeita ou uma receita para fazer tudo dar sempre 100% certo! Ser mãe é difícil sim e é principalmente, uma experiência pessoal e por isso, sempre diferente de mãe para mãe.

Mesmo assim, as pessoas insistem em declarar regras da maternidade moderna que parecem só existir para nos confundir e mudam o tempo todo, como se o objetivo principal delas fosse apenas nos fazer falhar!

Não importa se você escolheu amamentar, não amamentar, parto cesárea, parto normal, comida orgânica, comida industrializada, criação com apego, “mãe francesa”… as regras existem para te fazer sentir que não é suficiente para o “cargo” e para aumentar cada vez mais o peso da culpa que você já carrega nas costas!

Mas olha só, vou compartilhar com vocês uma coisa que eu descobri nestes meus quase 10 anos como mãe: você não precisa seguir regra nenhuma! Você só precisa ser você!

E pra você não achar que eu sou maluca, vou listar 5 regras básicas da maternidade (eu sei, existem muitas mais!) que você pode ignorar completamente!

1 – Você deve sempre saber de tudo, ter tudo sempre organizado e dar conta de tudo!

Ata… Desculpa mas, é sério isso? Algum ser humano consegue ser 100% em tudo todas as vezes? Eu acho que não! E se ninguém mais consegue, porque deveriam as mães conseguir?

Ah, porque inventaram que mães não são apenas seres humanos, mães são super humanos, prostradas em pedestais, indiferentes aos erros bobos do resto da humanidade, superiores a tudo e a todos…anhammm, só que não né?

Vai por mim, é simplesmente impossível você estar sempre 100% com tudo, você dar conta 100% de tudo, você conseguir acertar 100% das vezes! Sim, você vai falhar todos os dias, você vai sentir que poderia ter feito mais e melhor, mas quer saber de uma coisa?

Em todos os seus acertos você vai ser simplesmente maravilhosa e toda vez que você falhar, pode ter certeza que tanto você quanto seus filhos, vão aprender muito com tudo isso e é esta a grande “graça” da vida!

Errar, aprender, seguir em frente, acertar, cometer novos erros, aprender novas coisas, mudar de idéia e assim repetidamente! O que você estaria ensinando para os seus filhos se nunca errasse? Se nunca pudesse admitir que seres humanos falham, ás vezes, mas o mais importante é reconhecer isso, aprender e seguir em frente?

2 – Você deve apreciar cada milagroso momento como mãe!

Hummm…. não! Não tem como apreciar aquela hora da madrugada em que você estava no seu sono mais profundo e precisou levantar para amamentar ou acudir um choro! Não tem como morrer de amores pelo seu filho lindo quando você coloca o prato de comida na frente dele e ele diz que não vai comer ou que a comida está “um nojo” (história da minha vida!)!

Esqueça! Você não vai amar o seu filho quando ele estiver dando aquele xilique homérico no chão do shopping, nem quando ele começar a te responder e mais mil outros momentos que eu tenho certeza que você poderia enumerar!

E olha só que boa notícia: tá tudo bem!

Você não precisa estar amando ser mãe em t.o.d.o.s.e.g.u.n.d.o.d.a.s.u.a.v.i.d.a você tem todo direito de se questionar de vez em quando sobre onde foi que você amarrou seu burro ou onde estava com a cabeça quando decidiu ter filhos. Isso não faz de você menos mãe e nem significa que você não ame seu filho!

Eu amo meus filhos! Não me lembro de como era viver antes deles e jamais voltaria atrás para não tê-los aqui comigo. Eles foram as coisas mais importantes que já me aconteceram nesta vida, não há dúvidas sobre isso!

Mas sim, tem momentos em que eu queria ficar sozinha, que eu queria ser só uma garota bebendo vinho e assistindo seriado sem me preocupar se está na hora de fazer o jantar ou dar banho nas crianças, entende o que eu quero dizer?

Se absolva! Você pode ficar chateada com a maternidade e com os seus filhos de vez em quando, sim!

3 – Tudo o que você fizer nesta vida, deve ser bom para os seus filhos. Se qualquer atitude que você tomar ou coisa que você resolver fazer, trouxer prazer, alegria e realização somente para você, você é uma péssima mãe!

Não, apenas não! Eu sei que depois dos filhos, a maioria das coisas que a gente faz é sempre para eles e por eles e, ok!

Como mães, estamos sempre pensando no melhor para eles e assim, as nossas decisões do dia a dia sempre levam em consideração o bem estar das crianças e eu acho que é assim que tem que ser mesmo!

Mas isso não significa que você precisará ser julgada e condenada se por acaso, resolver ir jantar com as suas amigas só porque você está precisando conversar com pessoas adultas sobre qualquer coisa que não seja filhos!

Ou que você deva se sentir culpada pra sempre porque aceitou aquela oferta de trabalho que te remuneraria melhor, traria o reconhecimento profissional que você sempre buscou mas, diminuiria as suas horas com os filhos! Há sempre maneiras de equilibrar as coisas!

Você pode e deve lembrar que você existe! Pode e deve fazer coisas que te deixam feliz, que te dão prazer, a você, somente a você! E se isso significa fazer o jantar para a sua família ou fugir uma vez por mês para um SPA, tá tudo certo!

Somente mães felizes podem criar filhos felizes!

4 – Atenda a todas as necessidades e pedidos dos seus filhos na hora em que eles quiserem! A sua missão é que seus filhos sejam sempre felizes porque se eles não forem, a culpa é sua!

Olha, eu demorei muito para entender que, por mais que isso possa desgraçar a nossa cabeça e nos fazer sentir totalmente sem controle, não somos responsáveis pela felicidade dos nossos filhos!

Nossa responsabilidade é sim protegê-los, educá-los, alimentá-los, mantê-los saudáveis, amá-los e estar aqui para eles mas, por mais que gostássemos disso, não podemos garantir a felicidade deles!

Aliás, ninguém pode garantir a felicidade de ninguém! Isso é inerente a cada indivíduo, estar feliz e ser feliz depende de cada um de nós. E isso inclui os nossos filhos!

É claro que, se você está fazendo a sua parte, com todo o seu amor e dedicação, estará com certeza proporcionando todos os meios para que os seus filhos sejam felizes. Mas não há garantias!

E não é porque você deu uma bronca ontem, porque não conseguiu fazer aquele almoço super nutritivo todos os dias da semana ou porque negou um brinquedo que ele te pediu, que ele estará fadado a infelicidade e a culpa será sua!

Educar e amar é colocar limites, é doloroso, e não é 100% bonito! Mas é necessário e faz parte da sua missão como mãe! Então apenas ame, com todas as suas forças e do fundo do seu coração! Quem sabe as reações poderosas que a força do amor pode exercer nas pessoas?

Eu acredito que amor traz felicidade, sim!

5 – Seja consistente!

Ter constância na vida em questões da rotina, da hora do sono, da hora de comer, das causas para cada atitude mal tomada e para a educação dos filhos em geral, é importante sim!

Mas isso não significa que você não possa mudar de opinião!

Se lá atrás você decidiu que seus filhos nunca dormiriam na sua cama e de repente, achou que tudo bem eles ficarem com você, tá tudo certo! Se você sempre disse a eles que não podiam fazer tal coisa e depois, ponderou que não há problemas, tudo bem também!

Mostrar aos seus filhos que tudo bem ser flexível e olhar as coisas sobre novos prismas, é uma lição de vida muito valiosa! Imagina que adultos maravilhosos e tolerantes eles serão no futuro com este exemplo de “mente aberta” e respeito ao novo?

Além disso, mostrar que está tudo bem quando mudamos de idéia ou escolhemos novos caminhos, ensina para eles que as coisas ainda podem dar certo mesmo que as coisas não saiam como eles queriam. Ensina a lidar com expectativas e frustrações, e não é justamente a falta de saber lidar com isso que nos traz tanto sofrimento?

Ser mãe é sim uma benção, um milagre, uma alegria! Mas cada mãe será mãe do seu próprio jeito e não existe uma maternidade igual a outra! A única coisa em que somos iguais é o amor imenso que sentimos por eles, e isso é o mais importante!

Então, seja você, confie em você, ame do seu jeito, faça com o seu coração! Afinal, você foi, é e sempre será a única escolhida através dos tempos e gerações para ser a mãe DOS SEUS FILHOS AQUI E AGORA, e você arrasa nesta função!

Vai por mim!

Bjs! ;)

regras da maternidade

Deixe seu comentário

Comentários

1 comentário via blog

  1. Patricia comentou em

    Amei! Vdd absoluta!